Produtos & Ingredientes

Padaria

Espaço de sobra para se sentir em casa

O empório e padaria Joaquim José faz mais de 30 tipos de pão com fermentação natural e serve café colonial diariamente

por Juliana Vines Publicado em 22/04/2010 às 00h
Compartilhe

Programe-se

A hora e o dia do pão

De manhã há uma fornada de pão francês. Às 11h30 começam a sair as outras receitas especiais. Cada dia é dia de um pão diferente. A escala é fixada no balcão de vendas. O pão de roquefort, uma das especialidades da casa, sai todos os dias, assim como a broa de milho, ciabatta, baguete tradicional e integral, pão de queijo, de batata e cueca virada.

O pão de legumes, outro destaque, só não é feito na segunda-feira. Ainda há o de cúrcuma, uma receita francesa que leva açafrão-da-terra e nozes, as broas úmidas e pão irlandês de nozes com passas. A fermentação natural deixa a massa macia, aerada e crocante por mais tempo. “Os clientes já sabem o dia certo de cada pão e cobram se não fazemos”, diz Karoline.

Às 15h30 é o horário do pastel de belém e a qualquer hora tem rabanada de vários sabores, entre eles cereja, tradicional e de chocolate. O cliente pode ligar e encomendar ou então esperar 10 minutos para que as rabanadas sejam fritas. Além da padaria, os pães da Joaquim José são vendidos na Bon Vivant Delicatessen, no Mercado Municipal de Curitiba e no Shopping Curitiba. Dentro de seis meses Karoline abrirá uma nova loja no Ecoville.

O balcão, que mais parece uma vitrine cheia de broas e pães especiais, combina muito bem com o espaço rústico decorado com móveis de demolição. “A inspiração foram as padarias francesas”, conta Karoline Marteloti, sócia-proprietária da Joaquim José Padaria e Empório, que fica na Avenida das Torres, no Jardim das Américas, bem no caminho do Aeroporto Afonso Pena.

Aberta há apenas cinco meses, a casa fabrica pães com fermentação natural e tem um espaço com adega e empório com produtos importados, como queijos, geleias, patês, massas e molhos. “Morei 20 anos no bairro e não encontrava produtos diferentes”, conta ela, que se formou em Ciências Equinas e é padeira há quase um ano.

Foi a saudade do avô, Joaquim José, e da avó, Anália, ele português e ela polonesa, que motivou Karoline a mudar de carreira e tentar recuperar algumas receitas de quitutes da família. Sua avó, muito prendada, fazia cuca recheada, paçoca e pão caseiro duas vezes por semana. “A sobra da massa de pão, ela esticava e fritava para tomar com café. Eu adorava. Depois que os dois se foram, pensamos, eu e meu marido, em abrir um lugar que recuperasse a sensação de se ter uma grande família.”

Foi um ano de estudos e pesquisas. A empresária, que não sabia nada sobre pães, começou visitando boulangeries na França. Conheceu cozinhas, fotografou tudo e trouxe da viagem, além dos dois álbuns de fotos, vários livros. “Testei as receitas por vários meses até chegar ao ponto ideal.”

Enquanto os pães saíam do forno, a casa era totalmente reformada reaproveitando peças de demolição e objetos da família. O resultado é um ambiente aconchegante que condiz com a proposta de re­­cu­­­perar uma panificação mais na­­tural. No salão principal, com dez mesas de quatro lugares, é servido o cardápio com café, lanches e almoço executivo. Nos fundos há a adega e o empório, com grandes mesas de madeira e capacidade para 60 pessoas. Lá tem café colonial com pelo menos 15 itens todos os dias, a partir das 15h30 (R$ 19,80).

Sirva-se

Tudo que é vendido no empório pode ser degustado no próprio local. “O cliente pode comprar um pão da casa, abrir um patê e tomar um vinho. É o mesmo preço, só acrescentamos 10% da taxa de serviço”. A ideia de se sentir em casa está até no cardápio, que tem ovos mexidos (R$ 4,90 a porção), cebolas fritas (R$ 4,90) e uma cesta com pães especiais – dois pães franceses e três diferentes, como broa úmida, integral e pão de roquefort, acompanhando manteiga – (R$ 7,90). Para beber, café com leite servido separadamente em garrafas térmicas (R$ 3,20 os dois).

Além dos lanchinhos, em fevereiro a casa passou a oferecer almoço executivo de segunda a sábado a R$ 12,90. “Cada dia há três opções de pratos, como frango com legumes e arroz, ou alcatra com risoto”, diz. Quarta e sábado é dia de feijoada (R$ 16,90).

Serviço: Joaquim José Padaria, Confeitaria e Empório – Avenida Comendador Franco, 2.777, Jardim das Américas – (41) 3266-1113. O acesso é bem fácil porque há retorno nos dois sentidos da Av. das Torres. Estacionamento para 25 carros. Horário de funcionamento: de segunda a sábado das 7 às 20 horas e domingo das 8h20 às 20 horas. Aceita cartões de crédito, débito e Visa Vale. www.joaquimjose.com.br

Tags: pão
Compartilhe

8 recomendações para você