Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
compras para o restaurante
| Foto: Unsplash/Pexels

Quando paro para pensar sobre as dificuldades de uma pequena ou média operação de varejo, food service, ou similar, sempre acabo voltando ao quesito compras. E isso é uma luta diária!

Sem dúvidas, cuidar da equipe é uma tarefa difícil, atender aos clientes também. Se falarmos de restaurantes, então, o preparo da comida é um sufoco sem tamanho.

Assim, muitos quando pensam em melhorar a lucratividade de um negócio, partem logo para olhar como otimizar o atendimento, treinar a equipe ou mesmo fazer diversas promoções. E acabam esquecendo que existe uma mina de ouro chamada "compras".

Como ganhar mais?

Quer ver um exemplo? Se pegarmos um restaurante mediano, com um faturamento de R$ 60 mil/mês, falando de um CMV aproximado de 30%, ou seja, R$ 18 mil em compras, todo mês.

Este mesmo restaurante de R$ 60 mil de faturamento, deve deixar, se bem operado, em torno de 12% para os sócios, ou seja, uns R$ 7,2 mil. Não é um retorno ruim.

Mas, se dissermos que, dando uma leve atenção àquelas compras ali de R$ 18 mil por mês, é possível economizar em torno de 10% em gastos com ela – sem deixar de comprar nada?

E se o lucro desse restaurante passasse simplesmente de R$ 7,2 mil para R$ 9 mil. Ou seja, se o lucro pulasse dos 12% para 15% de retorno, isto seria bom? Maravilha, não é mesmo?

Automatização

Então é sobre isso que um bom sistema de gestão de compras pode ajudar a alcançar e que viemos aqui para te contar.

O mundo das compras em restaurantes e pequenos varejos engloba uma enormidade de itens diversos.

Este nosso estabelecimento do exemplo acima deve ter, fácil, uns 150 itens de compra, seja de insumos diretos (como arroz, feijão, carnes) até insumos indiretos como limpeza, escritório, embalagens entre outros.

Apenas olhando o que "entra no CMV", podemos afirmar que mais de 90% dos estabelecimentos hoje em dia não utilizam o simples processo de cotação de preços. Não por não conhecer, mas por não ter tempo de ficar ligando, enviando mensagens ou planilhando tudo que precisa.

E é neste ponto que um bom sistema de compras pode te ajudar.

Fica aqui a dica de ouro para que você, pequeno e médio empresário, comece a olhar com outros olhos o processo de cotação de preços. Bons negócios e mais lucros!

*Marcio Blak é CEO da consultoria Food & Franquias e da plataforma CotaCompras.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]