Bebidas

Tributo

Governo zera imposto de importação de cápsulas e máquinas de café

Empresários são cautelosos em afirmar que a medida vai resultar na redução dos preços

por Priscila Bueno com Agência Folhapress Publicado em 02/04/2015 às 19h
Compartilhe

As máquinas de café monodose (que usam cápsulas ou sachês para preparação da bebida) podem se popularizar um pouco mais. O governo federal zerou o Imposto de Importação das cápsulas e das máquinas domésticas em uma resolução da Camex (Câmara de Comércio Exterior), órgão vinculado ao Mdic (Ministério do Desenvolvimento), publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (1.º). Antes, a alíquota era de 10% e 20% respectivamente. Os representantes de máquinas e fabricantes ainda estão cautelosos ao afirmar se isso deve resultar numa redução de preços ao consumidor.

Segundo a gigante suíça Nespresso, no momento não há previsão de de redução dos preços. “É importante notar que há uma série de fatores diferentes que entram em nossas decisões de preços. Não é somente o imposto de importação, e sim vários outros impostos, além de aluguel, energia, mão de obra, transportes, embalagens, entre outros, e que, devido a economia atual, todos foram impactados com a crescente inflação,” explica a gerente de relações públicas da Nespresso Brasil, Christiane Nunes.

Luigi Bazzicalupo, da Partenope (distribuidora autorizada Illy no Paraná), acredita que qualquer redução no imposto só vem a beneficiar o consumidor. Ele lembra que as máquinas monodose são bastante populares nos Estados Unidos e Europa e essa ação deve aumentar as vendas. “É uma política interessante, uma visão estratégica do governo brasileiro”, diz. No entanto, Bazzicalupo ressalta que o governo do Paraná reajustou recentemente o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre algumas mercadorias, o que resultou num aumento médio de 17% nos produtos comercializados por ele. Mesmo assim, o empresário acredita que a máquina mais barata da marca que custa hoje R$ 1.050 deve passar a custar R$ 900. “Não é uma posição oficial, mas espero que isso aconteça”, afirma. As cápsulas da Illy custam em torno de R$ 2,30.

Para o Lucca Cafés Especiais, o impacto da redução do imposto vai ser mais sentida pelas fabricantes das máquinas, já que a empresa fabrica as suas cápsulas no Brasil. O Lucca é detentor da marca DOP de cafés especiais, que é compatível com o sistema Nespresso. As cápsulas custam em média 30% a menos do que as tradicionais. Geórgia Franco de Souza, proprietária do Lucca, conta que o mercado espera o posicionamento da empresa suíça. “Não sabemos se eles irão diminuir seus preços ou aumentar a margem de lucro”, disse.

Entenda
A Camex (Câmara de Comércio Exterior), órgão vinculado ao Mdic (Ministério do Desenvolvimento), informou que as reduções tarifárias das máquinas de cafés domésticas e das cápsulas de café fazem parte de um conjunto de medidas para a criação de mercado e atração de investimentos no país para fabricação local de produtos com maior valor agregado. O aumento do ICMS no estado do Paraná foi decidido no final do ano passado, quando os deputados estaduais aprovaram o aumento de 12% para 18% a 25% a alíquota sobre 95 mil itens de consumo.

Compartilhe

8 recomendações para você