i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Unidos pelo food service: conheça quem está com o Bom Gourmet no Hack pela Gastronomia

  • PorBom Gourmet
  • 28/08/2020 16:51
Pessoas em restaurante.
Parceiros do projeto se uniram em ações que beneficiarão o segmento de alimentação fora do lar.| Foto: Caroline Attwood/Unsplah

Desde o começo de setembro, centenas de pessoas engajadas com os impactos da pandemia causada pela Covid-19 no setor de foodservice estão envolvidas nas ações do  Hack pela Gastronomia, projeto do Bom Gourmet em parceria com diferentes empresas, entidades e e instituições que, unidas, debateram e pensaram ações para que a indústria, restaurantes, bares e outros empreendimentos do ramo possam se reinventar neste período crítico.

Além dos talks com experts do setor, que reuniram cerca de 45 profissionais, cerca de 350 pessoas de todo o Brasil e até mesmo do exterior participaram do hackathon; na imersão de inovação que durou cinco dias e terminou na última quarta-feira (16), as equipes trabalharam em soluções para o desafio escolhido com a ajuda de mentores, dentro da plataforma da Panic Lobster, empresa responsável pela operação do Hack.  Até este domingo (20), 60 jurados avaliam os projetos; os melhores serão conhecidos nesta segunda-feira (21), em uma live às 19h30.

Fora a bagagem adquirida na competição, com o aprendizado da metodologia ágil, e a premiação para os vencedores, o projeto vai gerar um banco de ideias para o ramo da gastronomia, que ficará aberto e acessível a todos.

Os patrocinadores deste projeto, além de apoiar a construção de soluções reais para o setor por meio do Hack, vêm realizando medidas para amenizar os impactos no setor desde o início da pandemia. Lado a lado, como patrocinadores master, estão Connecty Pay, Gold Food Service, a marca italiana Paganini, importada pela Porto a Porto e o marketplace da Unilever Food Solutions, Compra Food Service. Confira o que cada marca está fazendo em prol do setor.

Unilever

A Unilever Food Solutions deixou à disposição dos empreendedores um atendimento gratuito que envolvia desde questões jurídicas até apoio psicológico, além de uma consultoria sem custos com o auxílio de chefs de cozinha e consultores gastronômicos, mais atendimento via WhatsApp para tirar dúvidas sobre as novas formas de operação, como delivery e take away. Além disso, o Compra Food Service zerou taxas na plataforma para distribuidores parceiros, por tempo indeterminado.

No dia 2/9, às 18h, Ricardo Marques (Head da Unilever Foods Solutions para o Sul da América Latina) e Luiz Henrique Dente (Head Sales & E-comm da Unilever Foods Solutions) participaram do talk História da Compra Food Service: Concretização do propósito UFS. Já no dia 8/9, às 9h30, a Chef Executiva da Unilever Food Solutions, Thais Gimenez, contribui na conversa Do salão ao delivery: um novo momento das operações.

Paganini

A marca italiana Paganini, trazida ao Brasil pela Porto a Porto, reforçou a sua relação com o fornecedor para garantir o abastecimento e reforçou o apoio para empórios, pequenos supermercados e restaurantes clientes da marca. Incentivo para atendimento via delivery e take away e renegociação dos prazos e pagamentos por parte dos empreendimentos também foram outras medidas de auxílio, o que evitou que alguns pequenos negócios quebrassem.

A Porto a Porto esteve presente nos talks do dia 3, às 18h.  Almir Porpetta (Gerente na área Administrativa, Financeira e Logística) e Diego Diego Juchnievski (Supervisor de Vendas -PR) falaram sobre Gestão como ingrediente de sucesso, e às 19h30 com Flávio Bin (Gerente de desenvolvimento de vinhos), no tema Receita de sucesso: menus e estoque na medida exata.

Gold Food Service

A Gold Food Service esteve no primeiro dia de programação do Hack, 1/9, às 19h30, com a participação do seu fundador, Ozeias Oliveira, tratando de algo fundamental:  Gestão profissional para sobreviver a crises, o que envolve medidas como respostas rápidas e profundo conhecimento dos clientes. Foi o que a empresa fez para se adaptar ao momento de isolamento social: instituiu drive-thru, renegociou com clientes, manteve entregas gratuitas e expandiu a atendimento para pessoas físicas.

Além deste talk, Ozeias Oliveira contribuiu com sua experiência no tema  Food Service Online: A nova forma de abastecer seu estabelecimento, ao lado de Philipe Rangel, do Green Dog e Seu Loke.

Connecty Pay

A fintech paranaense Connecty Pay focou na sua expertise para auxiliar os empreendimentos de alimentação, oferecendo opções de pagamento contactless e parcerias com restaurantes com ações que envolveram um valor expressivo em cashback para os usuários da plataforma, o que contribuiu para ajudar a impulsionar as vendas dos estabelecimentos parceiros.

A empresa contou sua trajetória no talk  De meios de pagamento a programa de fidelidade: uma fintech 360° , com Leonardo Bazzo (Coordenador de Compliance) e Ana Kaminski (Diretora Comercial), além de contribuir no tema  Ferramentas tecnológicas para se comunicar, se aproximar e fidelizar clientes,, com os conhecimentos de seu CEO, Rafael Belon.

Desafios

Durante o hackathon, os participantes precisaram resolver desafios em cinco áreas distintas (negócios, comunicação, espaço, comportamento e tecnologia); essa etapa também contou com apoio de empresas como a Companhia Paranaense de Gás (Compagas); desde o início da pandemia, a companhia vem auxiliando o setor de foodservice com medidas como a redução da tarifa para o segmento, por exemplo, e renegociações para o ramo, além de ações sociais e de prevenção da Covid-19 entre os colaboradores. 

Outra patrocinadora é a Jasmine, referência nacional no segmento de alimentação saudável, que fortaleceu os seus conteúdos para ajudar os consumidores que estavam se aventurando recentemente na cozinha, e também abraçou causas sociais, com doações para projetos de instituições como a CUFA (Central Única das Favelas). Sua especialista em Marketing, Cristiane Alves dos Santos, esteve presente no tema Consumo pós-covid: novas preferências e tendências.

Na mesma conversa sobre comportamento do consumidor, a multinacional Electrolux, do setor de eletrodomésticos, participou com o representante da Electrolux Food Foundation na América Latina, Cosimo Scarano. A multinacional Electrolux, também vai integrar o rol de empresas que terão um contato direto com os participantes do hackathon, que poderão ter acesso a expertise de profissionais da empresa que, na pandemia, viu aumentar em 40% a busca por alguns produtos relacionados à cozinha e ao lar, como lava-louças e aspiradores verticais. Além disso, a Electrolux vem realizando ações sociais desde o início da pandemia, com fabricação de máscaras e doação de aparelhos de refrigeração para hospitais.

Talks

Talks on-line reuniram mais de 45 profissionais.
Talks on-line reuniram mais de 45 profissionais.

Como patrocinadora dos Talks, a Ouro Fino, empresa paranaense de Água Mineral, contribuiu no tema Planejamento financeiro: o que priorizar em tempos difíceis com a expertise de seu CEO, Marcelo Marques. Com o fechamento de bares e restaurantes, em função do novo coronavírus, a empresa sentiu os impactos no consumo de água mineral natural fomentado por esse setor. Sendo uma das principais fornecedoras do produto no food service paranaense, decidiu então reforçar o seu papel social, apoiando projetos e ações que contribuíssem para o enfrentamento da crise.

Hackathon online

Além dos talks, as empresas participaram ativamente no hackathon realizado entre 12 e 16 de setembro; as equipes premiadas serão conhecidas no dia 21. Os patrocinadores compuseram a base de mentores e padrinhos, além de inscrever seus colaboradores para resolver os desafios.

Todas as soluções propostas e projetos ficarão disponíveis em um grande banco de oportunidades e ideias para que a cadeia de food service como um todo possa fazer proveito desses conhecimentos para enfrentar esse período desafiador.

O projeto, idealizado pelo Bom Gourmet, conta também com o apoio do Facebook Journalism Project (FJP), que, em parceria com o Centro Internacional para Jornalistas (ICJF), lançou um fundo de US$ 2 milhões para ajudar as organizações de notícias na América Latina durante a crise de Covid-19, do qual o projeto do Hack foi um dos escolhidos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.