Restaurantes

Novidade

Izakaya Hyotan: boteco japonês com menu de petiscos típicos e carta de saquês

O pequeno restaurante é inspirado nos tradicionais bares do Japão e só acomoda 20 pessoas. Serve as bebidas e as porções no balcão

por Andrea Torrente Publicado em 16/09/2015 às 22h
Compartilhe

“Irasshaimase!”. Com essa saudação japonesa, a equipe do Izakaya Hyotan dá as boas-vindas aos clientes que entram no pequeno local inaugurado em julho no Batel em Curitiba. Izakaya significa, em japonês, literalmente “lugar para sentar e beber saquê”, enquanto Hyotan é a cabaça que antigamente era utilizada para guardar a bebida de arroz. O bar é muito diferente dos clássicos restaurantes japoneses e se inspira nos tradicionais botecos do país asiático. Nada de sushi e sashimi, no cardápio enxuto tem porções quentes e frias para beliscar e uma seleção de saquês importados.

O takoyaki (R$ 13 para três unidades)  é um dos carros-chefe. O bolinho é feito com polvo e arroz. Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

O takoyaki (R$ 13 para três unidades) é um dos carros-chefe. O bolinho é feito com polvo e arroz. Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

O menu é bilíngue (japonês/português) e é pendurado na parede sobre o balcão. Além do clássico guioza nas versões carne suína e repolho ou vegetariana (R$ 20 para seis unidades), tem uma seleção de espetinhos: tentáculo de polvo, lula, camarão, shiitake, alho-poró com bacon, e frango. Chamam a atenção também as versões com moela, rabo de frango, língua de boi e bucho. Os preços vão de R$ 8 a R$ 15. “Nos inspiramos nos tradicionais botecos do Japão, locais informais que os japoneses frequentam depois do trabalho”, explicam os proprietários Keiji Mitsunari e Antônio Carlos Salomão de Araújo, mais conhecido como Cacau Horihana, ambos grandes apaixonados pela cultura e culinária do Japão. A grelha e o fogão são comandados pelo sushiman Hiroito Motoki, ex-Miyako, no Rebouças.

Espetinho de tentáculos de polvo. Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

Espetinho de tentáculo de polvo. Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

O bar é pequeno. No balcão cabem dez pessoas sentadas. Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

O bar é pequeno. No balcão cabem dez pessoas sentadas. Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

Os carros-chefes da casa são o takoyaki, bolinho assado de polvo polvilhado com alga nori moída e peixe seco ralado (R$ 13 para três unidades); e o bolinho de arroz envolto na folha de alga e recheado com pasta de soja ou com conserva de ameixa (R$ 5). Para abrir o apetite tem as conservas da casa servidas em cumbuquinhas: o combo com repolho agridoce, repolho salgado, misto de legumes e pepino custa R$ 15. Outras opções são o kinpira gobo, uma vasilha de raiz de bardana (R$ 5), o nirá, comumente conhecido como alho japonês servido com ovo (R$ 10), e as asinhas de frango fritas (R$ 10).

Combo com repolho agridoce, repolho salgado, misto de legumes e pepino (R$ 15). Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

Combo com repolho agridoce, repolho salgado, misto de legumes e pepino (R$ 15). Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

Para beber tem chope da Gauden Bier (R$ 12), algumas cervejas japonesas em garrafa e uma seleção de oito saquês importados. O único servido em dose é o Hakutsuru (R$ 25 para 200 ml). As demais opções são vendidas só em garrafas a partir de R$ 140. O local tem capacidade para 20 pessoas e, no melhor estilo japonês, quem não encontrar lugar para sentar, pode consumir em pé nas mesinhas.

***

Serviço

Al. Augusto Stellfeld, 1.281, Centro – (41) 3224-1910. De terça a sábado, das 18 às 23 horas. Capacidade para 20 pessoas: dez sentadas e dez em pé.

Compartilhe

8 recomendações para você