Restaurantes

Restaurante

L’Osteria Concheta serve almoço e jantar com toque italiano

Casa abriu em outubro no Batel e tem opções de massas artesanais, polentas e risotos

por Flávia Schiochet, especial para a Gazeta do Povo Publicado em 27/12/2012 às 03h
Compartilhe

Tradição e sabor na ponta da língua

Os temperos usados na L’Osteria Concheta seguem a tradição italiana – além do famoso manjericão, o tomilho, o alecrim e o azeite de oliva emprestam seu sabor delicado a carnes, peixes, massas e risotos. “Como a matéria-prima não é a mesma que se encontra na Itália, procuramos trabalhar com o melhor dos ingredientes que temos disponível, mas sem perder a essência, que é o uso racional do sal, da apreciação do sabor natural dos ingredientes”, explica o chef Alfredo Coelho, que estudou no Instituto di Cucina, Cultura e Enologia dele Regioni d’Italia e estagiou na região sul do país.

À noite, o cardápio muda e a sequência é entrada, seguida de um primeiro e segundo pratos. Para abrir o paladar dos fregueses a novos sabores, o restaurante oferece um amuse-bouche pré-jantar cortesia, como nhoque de manjericão ao molho de queijo pecorino e frango na crosta de coco com salsa de gengibre.

A L’Osteria Concheta, restaurante italiano aberto em setembro no Batel, propõe um almoço à la carte rápido e saboroso para dias de semana e uma refeição mais elaborada para o jantar. O chef Alfredo Coelho e seu sócio Roberto Consalter uniram no restaurante duas paixões: a comida italiana e um lugar para servi-la.

Coelho assina o cardápio e traz receitas italianas tradicionais, como massas artesanais, polentas e risotos, precedidos de couvert e salada. Destacam-se as polentas cremosas (R$ 18), risoto de frutos do mar (R$ 35) e costela de porco com purê de batata e cebola caramelizada (R$ 24). Desde outubro, a casa atende também à noite e os pratos do cardápio ganham novos ingredientes e modo de preparo. É o caso do fettuccine negro de com camarão e lagostim (R$ 40) e o carré de cordeiro grelhado com manteiga trufada e alho confitado, guarnecido com batatas pequenas assadas (R$ 47).

Outras receitas do jantar são servidas frias, como o lombo com feijão branco italiano e agrião com geleia de hibisco (R$ 39). “À noite trabalho com uma cozinha mais experimental, por isso o cardápio não é muito fixo”, explica o chef. Alguns pratos são receitas tradicionais italianas que não estão no imaginário brasileiro, como o Sformatini de Verza (R$ 23), uma tortinha de lombo de porco com menta, pinholes, uva passa, repolho e molho de gorgonzola. “Esse é um prato originário do vale da Campagna, onde a carne bovina é escassa”, explica Coelho.

Casarão de família

Na Itália, uma osteria é um restaurante gerido pela família, em que os pais cuidam da administração e cozinham, enquanto os filhos atendem como garçons e auxiliam outros afazeres. É o “primeiro nível” dos estabelecimentos que servem comida, seguido por trattoria, cantina e ristoranti.

Apesar de se chamar L’Osteria Concheta, o restaurante dos sócios Roberto Consalter e o chef Alfredo Coelho não é gerido por suas famílias, mas foram elas que inspiraram o empreendimento – o nome do restaurante, aliás, faz referência à avó de Roberto, a italiana dona Concheta, e na entrada, fotografias antigas dão as boas-vindas ao cliente.

***

Serviço

L’Osteria Concheta. Rua Desembargador Motta, 2041, Batel – (41) 3206-4034. Abre de segunda-feira a sábado, das 12h às 15h e das 19h às 0h. Capacidade para 88 pessoas.

Tags: almoço jantar
Compartilhe

8 recomendações para você