Produtos & Ingredientes

temperos

Basílico, alfavaca e manjericão roxo: saiba como usar os tipos de manjericão

Confira as características de cada planta e como cada uma deve ser usada na cozinha

por Andrea Torrente Publicado em 16/05/2019 às 17h
Compartilhe
Tipos de manjericão.

Foto: Fred Kendi / Gazeta do Povo

Quem nunca se confundiu na hora de escolher o manjericão? O que mais complica é que existem vários nomes para identificar a mesma planta, embora sejam todas espécies do mesmo gênero Ocimum, que pertencem à família das Lamiaceae. “Podemos simplificar dizendo que há duas espécies: o basílico italiano, também conhecido como basilicão, que chega a cerca de 50 cm de altura, e a alfavaca que é conhecida também como manjericão doce, e que é a espécie mais difundida no Brasil e pode chegar a 1,5 metro”, explica a engenheira agrônoma e paisagista da Enjoy Therapeutic & Garden, Joyce Nascimento.

Confira as características de cada planta e, com as instruções da chef Fernanda Zacarias, da Ragú Rotisseria & Co., como cada uma deve ser usada na cozinha.

Tipos de manjericão

Alfavaca ou manjericão doce

É a espécie mais comum no Brasil. É conhecida também como manjericão doce por ter menos amargor que o basílico italiano. Tem folhas médias, pontiagudas e serrilhadas, seu sabor é marcante com notas do cravo-da-índia e toque cítrico. A rugosidade das folhas lembra as de hortelã. Fresca, pode ser usada no preparo de peixes, saladas, pizzas, massas, cogumelos, carnes, sanduíches e sopas. É amplamente empregado na culinária catarinense em ensopados de lagosta e caldos de camarão. Não é muito indicado para o pesto genovese por causa do sabor que remete à hortelã. Existem também a espécie atroveran ou alfavacão cuja função é medicinal e não culinária.

Basílico ou basilicão

É a variedade mediterrânea, introduzida no Brasil pelos imigrantes italianos. Tem folhas arredondadas, pontiagudas, levemente curvadas e brilhantes. Tem altura máxima de 50 cm. Seu aroma é intenso, o sabor amargo e tem notas de cravo. Combina com tomate, abobrinha, feijões, vagens, alho, cebola e azeitonas e aromatiza muitos pratos, como saladas, hortaliças, ovos, aves, carne suína, peixes, frutos de mar, queijos curados, massas frescas e pizzas. É usado também para o que os italianos chamam de o verdadeiro pesto alla genovese.

Manjericão francês

Essa variedade, introduzida no Brasil recentemente, é conhecida também como manjericão cravo por causa do aroma muito característico. Tem flores brancas, folhas pontudas e miúdas, parecidas com a alfavaca. Tem função principalmente medicinal, como ansiolítico, e é utilizado para fazer chá. Na comida dá um toque de leveza e frescor ao prato, mas é pouco usado porque o sabor é muito suave.

Manjericão roxo

É uma erva híbrida desenvolvida nos anos 1950 na Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos. Sua função é basicamente decorativa e não tem sabor e perfume persistentes. É indicado para temperar saladas ou para decoração de pratos.

Compartilhe

8 recomendações para você