Pessoas

Mudanças

Tem mudanças no MB e no Lagundri

Quem vai tocar o MB Brasserie é o chef Rodrigo Martins. A cozinha do Lagundri será comandada pelo chef neozelandês Tom McDougall

por Flávia Schiochet, Gilson Garrett Jr. e Priscila Bueno, especial para a Gazeta do Povo Publicado em 15/07/2015 às 18h
Compartilhe
Marcelo Amaral e Manu Buffara.

Marcelo Amaral e Manu Buffara. Foto: montagem.

A gastronomia paranaense passou por mudanças nos últimos dias. A chef Manu Buffara revelou, com exclusividade ao Bom Gourmet, que vendeu 50% da sua parte no MB Mercearia Brasileira ao chef e empresário Rodrigo Martins e Elis Ribas, que agora assume a parte administrativa da casa. Rodrigo segue montando o cardápio e comandando a cozinha, como havia fazendo desde que adquiriu parte da operação em fevereiro. “Eu não entro mais na cozinha. Decidi sair da operação e ficar apenas como investidora porque não tenho mais tempo de respirar. O Manu e a Manu [vida pessoal da chef] tomam muito do meu tempo”, explicou a chef Manu Buffara. Ela esclarece ainda que no Restaurante Manu tudo permanece da mesma maneira, com ela sendo responsável tanto pela administração quanto pela cozinha e criação dos pratos.

Esta é a quarta mudança que acontece no MB Mercearia Brasileira em um ano e meio de funcionamento. A Chef 5 Estrelas do Prêmio Bom Gourmet 2014 começou o restaurante, que chamava 4 Sí Brasserie, ao lado da empresária e sommelière Tháys Ferrão. Por desentendimentos na condução do negócio a sociedade foi desfeita. A casa passou então a se chamar MB Brasserie e o conceito de restaurante super brasileiro passou para dining club. Em fevereiro, Rodrigo Martins assumiu o comando administrativo e a casa mudou o nome para MB Mercearia Brasileira. O conceito voltou ao de restaurante, focado nos ingredientes brasileiros regionais e na venda de produtos locais. O conceito do restaurante não deve mudar nesta nova fase.

Lagundri
Quem também anunciou mudanças, exclusivas ao Bom Gourmet, foi o chef Marcelo Amaral. Depois de um ano recluso na zona rural de Itacaré (BA), ele está de volta a Curitiba. Há duas semana na cidade, revelou que agora faz parte apenas da área administrativa do Lagundri. Quem comanda a cozinha da casa é o chef  neozelandês Tom McDougall. “Em um dia da semana eu vou para a cozinha, mas não quero interferir. Agora estou mais no atendimento, dando orientações sobre o menu degustação”, explica. Entre os próximos planos, Marcelo conta que deve partir para um restaurante secreto, que recebe poucas pessoas e não segue uma vertente gastronômica.

Marcelo, que ganhou o título de Chef 5 Estrelas do Prêmio Bom Gourmet 2013, conta que optou por esse ano sabático porque “precisava de novos ares”. Ele acredita que quando saiu da sua rotina, enxergou a vida de fora e mudou alguns pontos de vista. “Me sinto mais leve para resolver algumas questões e mais criativo. A rotina limita a gente”, ensina.

O chef, que surfou e pintou quando ficou na Bahia, conta que voltou apaixonado pelas farinhas e pelo dendê que consumiu na região. “Além da farinha de Buerarema, que é lendária, as farinhas de lá são simples, mas com uma textura diferente, com grãos maiores e o sabor é incrível”, diz. O dendê que usou era o feito na roça, “daqueles vendidos em garrafas pet”, acrescenta. “Peguei a técnica da cozinha tailandesa e fiz uma moqueca com curry. Peguei os ingredientes, fora a proteína, soquei no pilão e acrescentei dendê e leite de coco. Um curry baiano”, diz. “Quando fui pra lá, levei arroz thai Jasmine. Então, comia arroz thai com moqueca”.

Compartilhe

8 recomendações para você