Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Linha de produção Nestlé
Uma das linhas de produção da Nestlé no Brasil. Laboratório vai diminuir pela metade os custos de pesquisas de novos produtos.| Foto: Douglas Eiji Matsunaga/divulgação

Com o objetivo de analisar e entender as mudanças no comportamento e nos gastos dos consumidores, a Nestlé criou um laboratório interno de inovação para pesquisar como a pandemia da Covid-19 está afetando o mercado de alimentos. Chamada de C.Lab, a iniciativa pretende mapear com mais agilidade e eficiência as novas tendências de consumo e demandas da população pelos produtos da marca – a marca estima um incremento de quase 70% nas pesquisas com um custo 50% menor.

Os trabalhos para o início da divisão já estão levando em consideração os dados obtidos na pesquisa Tracking Covid-19, que apontou que os consumidores brasileiros estão mesclando alimentação saudável com indulgência na cesta de compras neste período de pandemia, com a busca por itens que tragam conforto emocional no atual período.

Das 593 pessoas de 18 a 45 anos entrevistadas em todas as regiões do Brasil no mês de maio, 34% afirmam que perderam renda durante a quarentena, mas aumentaram os gastos com alimentos como frutas, verduras, leites, chocolates, biscoitos e carnes. Esse número sobe para 37% entre os que tiveram incremento de renda no período.

Comida feita em casa

Para Diego Venturelli, gerente de consumo e marketing da área que coordena o C.Lab da Nestlé no Brasil, os dados reforçam o movimento de consumo dentro do lar que deve se manter mesmo com o fim do confinamento.

"Em países no estágio mais avançado da pandemia, é possível identificar que o hábito de cozinhar em casa se manteve", diz.

Além de analisar os hábitos alimentares, a pesquisa também mostrou o impacto do novo coronavírus na renda dos brasileiros e de que forma a pandemia repercutiu em gastos como supermercado, educação, mobilidade, entre outros. Segundo a Nestlé, a categoria de alimentos e bebidas se mostrou uma das mais resilientes no atual cenário, pouco afetada na comparação com outros setores da economia.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]