Bom Gourmet

Programa

Mercado Municipal de Curitiba tem programas para todos durante o fim de semana

Curitibanos e turistas se espalham pelos corredores do tradicional espaço para comprar alimentos nas bancas, saborear um café e almoçar nos inúmeros estabelecimentos

por Luan Galani Publicado em 16/04/2016 às 14h
Compartilhe
O espaço no Centro da capital é um verdadeiro “parque de diversões” para famílias, casais e amigos. Fotos: Antônio More/Gazeta do Povo

O espaço no Centro da capital é um verdadeiro “parque de diversões” para famílias, casais e amigos. Fotos: Antônio More/Gazeta do Povo

Com quase 60 anos de existência, o Mercado Municipal de Curitiba é uma verdadeira instituição da cidade. Além de ser o principal e mais tradicional endereço para compras gastronômicas, nos fins de semana tornou-se um verdadeiro “parque de diversões” para famílias, casais e amigos de todas as idades. Neste sábado (16), não foi diferente. Curitibanos e turistas, mesmo de vez em quando dando uma olhadinha nas televisões ligadas nos discursos na Câmara Federal sobre o  impeachment da presidente Dilma Rousseff, se espalharam pelos corredores do mercado para comprar alimentos nas bancas, saborear um café e almoçar nos inúmeros estabelecimentos, além de dar um trato no cabelo e até adquirir um aquário. Neste sábado (16), o Mercado Municipal fica aberto até 18 horas. No domingo, das 7 as 13 horas.

 

DE TODO O MUNDO

O casal Elcimara e Carlos Alberto Ramalho com o filho Pedro, de 1 ano: compras para o almoço com amigos.

O casal Elcimara e Carlos Alberto Ramalho com o filho Pedro, de 1 ano: compras para o almoço com amigos.

O sotaque inconfundível de Portugal chama atenção ao passar por um dos açougues do mercado. É do gerente comercial Carlos Alberto Ramalho, natural da pequenina Viena do Castelo, com 30 mil habitantes, entre as cidades de Porto e Santiago de Compostela, ao norte do país. Pelo menos duas vezes por mês, ele e a família, a professora Elcimara Ramalho, 36 anos, e o filho Pedro, 1 ano, fazem compras no local. Neste sábado, escolheram carnes para um churrasco que farão para um casal de amigos. “Eu adoro cozinhar e aqui acho diversos produtos de Portugal, como vinhos e peixes”, conta Ramalho. “Sem falar que aqui você tem diversas opções. Tudo a um passo de você. Não é como no mercado que você só tem opções restritas.”

LEIA TAMBÉM 

Festivais de gastronomia agitam o fim de semana de Curitiba

Veja o menu completo do festival Have a Beer

Mikado reabre com antigo cardápio e mesma equipe de cozinha

 

AULA DE GASTRONOMIA EM FAMÍLIA

A aula de gastronomia que acontecou no sábado no átrio do mercado municipal.

A aula de gastronomia que acontecou no sábado no átrio do mercado municipal.

Rafael Schmitt e Ceres Battistelli com a filha Alice Schmitt, 5 anos: compras e aula no sábado.

Rafael Schmitt e Ceres Battistelli com a filha Alice Schmitt, de 5 anos: compras e aula no sábado.

A família Battistelli Schmitt saiu cedo para pedalar. Onze quilômetros do Santa Quitéria até o mercado. Depois de descansarem um pouco, Rafael Schmitt, 37 anos, Ceres Battistelli, 35 anos, e Alice Schmitt, 5 anos, surpreenderam-se com uma aula de gastronomia que acontecia no átrio do mercado e resolveram assistir. “A gente valoriza bastante as opções mais saudáveis de vida e nos chamou atenção a palestra sobre agricultura orgânica”, confidenciam.

 

MUITA QUALIDADE

Nos boxes das peixarias, opções fresquinhas para os consumidores.

Nos boxes das peixarias, opções fresquinhas para os consumidores.

 

O empresário Bruno Ghem escolheu sardinhas para integrar o cardápio do fim de semana.

O empresário Bruno Ghem escolheu sardinhas para integrar o cardápio do fim de semana.

A área das peixarias é um dos locais preferidos do empresário Bruno Ghem, 59 anos, frequentador assíduo do mercado, que não cogita de jeito algum trocar os produtos que encontra lá pelos convencionais de grandes supermercados. Enquanto ele compra sardinha, a esposa e o genro estão em outras partes do mercado, procurando por outros produtos para o almoço em família que eles farão logo depois.

 

ESPECIARIAS E CORTE DE CABELO

O bancário Mauro Takaso sendo atendido pelo cabeleireiro Eloir Luvizotto.

O bancário Mauro Takaso sendo atendido pelo cabeleireiro Eloir Luvizotto.

“O grande diferencial é que o mercado remete a um ambiente interiorano em plena capital”, sentencia o bancário Mauro Takaso, 50 anos, que aproveita todas as manhãs de sábado para ir religiosamente ao Mercado Municipal. Às vezes compra especiarias e carnes, outras vezes vai só para passear. Mas hoje aproveitou a ida para cortar o cabelo no Lule Cabeleireiros, um pequeno salão familiar que contabiliza mais de 50 anos de vida. O proprietário é o Eloir Luvizotto, um senhor de 73 anos de poucas palavras, mas com a gentileza dos bons.

 

FRUTAS, VERDURAS E ATÉ UM AQUÁRIO 

Felipe Romanowski com o pai, Hamilton Romanowski, de olho num aquário enquanto outros da família escolhem alimentos.

Felipe Romanowski com o pai, Hamilton Romanowski, de olho num aquário enquanto outros da família escolhem alimentos.

Enquanto quase todo mundo corre atrás de frutas, verduras ou carnes, o engenheiro agrônomo Felipe Romanowski, 36 anos, escolheu o Mercado Municipal para comprar um aquário para seu filho Vítor, de 2 anos. Felipe aproveitou e levou seu pai junto, o engenheiro florestal aposentado Hamilton Romanowski, 65 anos, que entende de aquários como poucos, com conhecimento retirado da prática: “Eu que limpava o aquário do meu filho”, brinca Hamilton.

Compartilhe

8 recomendações para você