Plantão

História

Morre produtor de icônico vinho italiano, conhecido pelo escândalo “Brunellogate”

Considerado um dos melhores produtores de Brunello, Gianfranco Soldera sofreu um ataque cardíaco enquanto dirigia em uma rodovia

por Guilherme Grandi Publicado em 19/02/2019 às 13h
Compartilhe

Morreu no último final de semana o produtor italiano Gianfranco Soldera, 82 anos, vítima de um ataque cardíaco enquanto dirigia em uma rodovia da região de Montalcino, na Itália. Ele ficou famoso por denunciar um escândalo conhecido como ‘Brunellogate’, em 2008, que descobriu um esquema de falsificação dos famosos Brunellos e por ter sido vítima de sabotagem que o fez perder cinco safras de vinho em 2012.

Gianfranco Soldera

Gianfranco Soldera era considerado um produtor polêmico, e não aceitava variações do Brunello di Montalcino. Foto: reprodução/site Soldera.

Soldera é considerado por especialistas como um dos melhores produtores do Brunello di Montalcino da Itália, pregando o cultivo natural das uvas sem a adição de produtos químicos ou grandes tecnologias. Seus vinhos, por exemplo, amadurecem em grandes tonéis de carvalho importados da Eslovênia, sem controle de temperatura.

“Ele era muito purista e com uma personalidade forte, lutou contra a mistura de outras castas proibidas nos Brunellos, e por isso injustamente agredido por maus produtores regionais”, explica Guilherme Rodrigues, autor da coluna Notas Báquicas da revista Bom Gourmet.

>> Leia também: Polêmica iguaria francesa volta ao centro das atenções (e não é o foie gras)

A agressão a que o colunista se refere foi o ataque sofrido pela vinícola de Soldera em 2012, quando um ex-funcionário invadiu a propriedade e abriu as tampas das barricas que guardavam as safras de 2007 a 2012. Foram mais de 60 mil litros de vinhos perdidos, e um prejuízo incalculável.

Brunellogate

Guilherme Rodrigues considera que o ataque foi uma retaliação à denúncia feita em 2008, quando Soldera levou à tona a falsificação de Brunellos da região. Ele descobriu que os produtores estavam adicionando castas de cabernet sauvignon e de uvas do sul da Itália à sangiovese usada na elaboração dos vinhos.

“Isso provocou um baque muito grande no Soldera, com reflexos não só financeiros, mas também na própria personalidade dele. Ele nunca mais se recuperou”, conta. Gianfranco Soldera produziu vinhos por quase 50 anos em sua propriedade na Itália. As garrafas, em edições muito limitadas, são difíceis de encontrar e custam a partir de R$ 4.500 no Brasil.

Compartilhe

8 recomendações para você