Produtos & Ingredientes

9 músicas brasileiras que falam da paixão pela comida

Com farinha, feijoada e batata frita. Selecionamos uma pequena playlist que fala sobre comida. Impossível ouvir sem terminar com fome!

por Da redação Publicado em 30/05/2016 às 20h
Compartilhe

1. Feijoada Completa (Chico Buarque)

Mais brasileiro impossível: Feijoada e Chico Buarque. Na música sobre o prato preferido dos sábados, o cantor cita diversos ingredientes: feijão, linguiça, torresmo, couve, laranja, arroz branco, farofa, pimenta, paio, carne seca, toucinho. E ainda fala do preparo: colocar água no feijão, refogar, engrossar.

“Salta a cerveja estupidamente gelada pr’um batalhão e vamos botar água no feijão. Mulher, não vá se afobar; não tem que pôr a mesa, nem dá lugar. Ponha os pratos no chão e o chão tá posto e prepare as lingüiças pro tiragosto. Uca, açúcar, cumbuca de gelo, limão e vamos botar água no feijão. Mulher, você vai fritar um montão de torresmo pra acompanhar: arroz branco, farofa e a malagueta; a laranja-bahia ou da seleta. Joga o paio, carne seca, toucinho no caldeirão e vamos botar água no feijão”.

***

2. Você já foi a Bahia? (Dorival Caymmi)

Um clássico da música brasileira, que apareceu até em filme da Disney, é “Você já foi a Bahia?”, de Dorival Caymmi. Na letra, ele convida todos a conhecerem sua terra natal e, é claro, a gastronomia.

“Você já foi à Bahia, nêga? Não? Então vá! Lá tem vatapá Então vá! Lá tem caruru. Então vá! Lá tem munguzá. Então vá. Se “quiser sambar”, então vá!”.

***

3. Farinha (Djavan)

A farinha é um prato tão essencial na culinária brasileira, consumido em todos os cantos, que chegou a ganhar uma música inteirinha de Djavan.

“A farinha é feita de uma planta da família das euforbiáceas, euforbiáceas de nome manihot utilissima que um tio meu apelidou de macaxeira e foi aí que todo mundo achou melhor! A farinha tá no sangue do nordestino, eu já sei desde menino o que ela pode dar. E tem da grossa, tem da fina se não tem da quebradinha, vou na vizinha pegar pra fazer pirão ou mingau. Farinha com feijão é animal!”.

***

4. Funk da Pamonha (Rodney Dy)

E não é só MPB ou jazz que tratam da gastronomia em suas letras. A seguir, o “Funk da Pamonha”.

“Alô dona de casa, pamonha, pamonha, pamonha. É o puro suco do milho. Alô dona de casa; olha a pamonha, olha o curau”.

 ***

5. Não é proibido (Marisa Monte)

Em “Não é proibido”, de Marisa Monte, uma explosão de doces.

“Jujuba, bananada, pipoca. Cocada, queijadinha, sorvete. Chiclete, sundae de chocolate. Paçoca, mariola, quindim, frumelo, doce de abóbora com coco, bala juquinha, algodão doce, manjar”.

***

6. Tropicana – Morena Tropicana (Alceu Valença)

Alceu Valença compara a musa Morena Tropicana a uma infinidade frutas. A música, além de um clássico, é praticamente uma aula sobre frutas brasileiras.

“Da manga rosa quero gosto e o sumo melão maduro, sapoti, juá. Jabuticaba, teu olhar noturno. Beijo travoso de umbu cajá. Pele macia, ai! Carne de caju! Saliva doce, doce mel. Mel de uruçu. Linda morena, fruta de vez temporana, caldo de cana caiana vem me desfrutar!”.

***

7. Yes, Nós Temos Bananas (Ney Matogrosso)

BANANAS! A fruta, tão representativa da história brasileira, ganhou uma letra inteirinha feita por Ney Matogrosso.

“Nós temos bananas! Bananas, pra dar e vender. Banana menina tem vitamina. Banana engorda e faz crescer”.

***

8. Caviar (Zeca Pagodinho)

Por conta do preço elevado, caviar é considerado um alimento de luxo. A música do sambista veterano é uma sátira a toda a questão.

“Caviar é comida de rico curioso fico, só sei que se come. Na mesa de poucos fartura adoidado, mas se olha pro lado depara com a fome. Sou mais ovo frito, farofa e torresmo, pois na minha casa é o que mais se consome. Por isso, se alguém vier me perguntar: o que é caviar? Só conheço de nome”.

***

9. Eu quero é mais (Sandy e Junior)

O som dos anos 1990 representa a realidade das crianças em todos os tempos: comer porcaria!

“Eu queria ter um dia pra comer só porcaria. Três quilos de sorvete dentro de uma melancia e mergulhar numa piscina cheia de Coca-Cola, uma caixa de bombom no meu recreio da escola. Eu quero é mais, eu quero é mais, eu quero é mais, mais, mais, mais, mais. Se eu fica gordo muito gordo, tudo certo, tudo bem tanto faz. Eu quero é mais. Quero chegar na lanchonete comer 15 sanduíches. Um pão de cada lado e dentro tudo que existe. Eu quero 5 salsichas dentro de um cachorro-quente, com creme chantilly, só pra ficar diferente. Uma pizza gigante, enorme colossal, grandona bem servida de tamanho anormal. Um saco de batatas, crocante super fritas – e só de falar nisso a barriga se agita”.

Compartilhe

8 recomendações para você