Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
BBQ em Casa Smokehouse
Unidade do BBQ em Casa Smokehouse de São Bernardo do Campo, no interior de São Paulo.| Foto: André Dias/divulgação

Criada em 2012 como um canal no YouTube voltado ao ensino do preparo de churrasco no estilo texano, a rede BBQ em Casa chega a 2021 com cinco unidades abertas das chamadas “smokehouses” em três estados do país e mira uma expansão de 50 restaurantes até o próximo ano.

A rede, aberta em Curitiba em 2017 pelo mestre churrasqueiro André Dias, se especializou no preparo de carnes defumadas mais tradicional dos Estados Unidos, com cortes específicos de costela suína, brisket (peito bovino), pulled pork (copa lombo suína) e coxas de frango assadas no defumador. E adotou um formato mais enxuto de operação, com pedidos retirados no balcão e espaços menores de instalação.

A expansão começou em meados de 2019 com a abertura de uma loja em São Paulo, no bairro da Mooca; duas nas cidades paulistas de São Bernardo do Campo e São José dos Campos; uma no Rio de Janeiro, prevista para inaugurar em setembro; e uma em Palmas, no Tocantins, que está na fase de busca de um ponto para a instalação.

Segundo André Dias, o projeto de expansão precisou ser interrompido logo no início, por conta da pandemia. Mas, agora, a expectativa é acelerar a captação de novos franqueados com taxas menores e maior suporte aos lojistas.

“Eu optei por não acelerar a expansão naquele momento por conta das restrições de circulação provocadas pela Covid-19. Agora, com esse avanço da vacinação, estamos vendo o mercado voltar a reagir e retomarmos o foco da expansão. Já temos fila de interessados na marca”, conta.

Esse interesse, segundo Dias, se dá pelo modelo enxuto de operação das unidades da BBQ em Casa Smokehouse. As lojas têm um tamanho que varia de 90 m² a 120 m², e investimento médio de R$ 169 mil.

Formato enxuto

André Dias explica que o baixo valor médio de investimento se dá pela operação mais simples e popular, onde todo o atendimento é feito apenas no balcão – não há garçons no salão. De acordo com ele, este é o modelo tradicional das churrascarias texanas.

“A gente usa talheres descartáveis, mesas de madeira simples, a mesma coisa que se encontra nas smokehouses do Texas”, conta.

Lá são servidos pratos semelhantes aos de uma grande rede que opera no Brasil, como a costelinha defumada na lenha de árvores frutíferas, o molho barbecue artesanal e o picles feito na casa, mas com um serviço mais simples. Também são servidas porções variadas, sanduíches e hambúrgueres assados.

Implantação

BBQ em Casa Smokehouse
Rede aposta no tradicionalismo texano das lojas.| André Dias/divulgação

Dos R$ 169 mil de valor médio de investimento, apenas R$ 50 mil são fixos da taxa de franquia. O restante varia de acordo com o que será gasto para a implantação, como a compra de equipamentos de preparo dos pratos – entre eles a churrasqueira “pitsmoke” desenvolvida pelo próprio André Dias –, a decoração da loja no padrão da rede, etc.

Além disso, há ainda uma cobrança fixa mensal de R$ 1,5 mil de royalties, e isenção na taxa de marketing neste momento. Já todos os insumos são fornecidos por empresas específicas homologadas pela marca com entrega em todo o Brasil, e alguns ingredientes como molhos e temperos próprios.

A rede BBQ em Casa Smokehouse tem como projeção de retorno do investimento em um período de 24 a 48 meses, com faturamento médio mensal de R$ 30 mil a R$ 60 mil.

“Damos também todo o suporte aos franqueados para o dia a dia das operações, e auxiliamos os novos a encontrarem o ponto comercial ideal de instalação e execução do projeto”, completa André Dias.

Ele explica, ainda, que o perfil dos novos franqueados é de pessoas que participem do dia a dia das operações, e não apenas investidores. Embora já tenha lojas comercializadas em São Paulo, Rio de Janeiro e Tocantins, a rede BBQ em Casa Smokehouse está focando a expansão no Paraná e Santa Catarina.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]