Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Loja Bob's
Drive thru e formatos multicanais de vendas estão no foco das novas inaugurações da rede.| Foto: Felipe Trindade de Vasconcelos/divulgação

Após perder quase 1/4 do faturamento ao longo de 2020 por causa da pandemia, um cenário vivido por todo o setor de food service, a rede brasileira de fast food Bob’s planeja recuperar as perdas e expandir os negócios até o final do ano que vem. O plano inclui 200 novas lojas principalmente de rua e drive thru, algumas delas seguindo a risca o conceito de “omnichannel” – ou multicanalidade, com diversos formatos de venda em uma única unidade.

É o caminho encontrado pela marca de quase 70 anos que enfrenta concorrentes estrangeiros de peso no mercado nacional, e que adotou o conceito de “startup” para reinventar as operações e se manter atual com uma velocidade maior do que as outras redes. A expectativa é crescer 8% neste ano e chegar a R$ 1 bilhão em faturamento, o equivalente a 80% dos níveis pré-pandemia.

O Bob’s opera atualmente cerca de 1,1 mil pontos de venda no Brasil, com a abertura de 57 deles durante a pandemia. Mas, como todas as outras redes, o negócio também foi impactado negativamente e perdeu 50 operadores.

Marcelo Tristão, diretor de desenvolvimento da marca, contou ao Bom Gourmet Negócios que a performance do Bob’s neste período foi condizente com o que todo o mercado passou. Mas isso não impediu a entrada de novos interessados por uma franquia.

“Alguns franqueados novos que aprovamos durante a pandemia tinham dinheiro aplicado e viram que não estava dando o resultado que eles queriam, e resolveram nos procurar por ver no nosso segmento um canal que foi muito resiliente neste período”, explica.

Ele conta que mesmo operadores atuais viram no formato de drive thru uma oportunidade de investimento, já que marcas concorrentes vinham registrando longas filas de carros para fazer pedidos. E isso impulsionou os planos de focar os esforços neste tipo de operação.

A marca teve de postergar algumas inaugurações ao longo dos últimos 14 meses, com 57 aberturas de 110 previstas em 2020. Já para 2021, a meta era alcançar 120, mas serão abertos de 80 a 90 pontos. E outras 120 no ano que vem, compensando o que foi adiado até agora.

Inovações

Parte considerável destas 200 novas lojas será de unidades de rua e drive thru, que Tristão vê como as mais promissoras neste momento. Operações em shoppings centers devem ter uma atenção menor do Bob’s por conta da própria mudança de hábitos do consumidor e da falta de uma previsão mais realista de até quando vai durar a pandemia, já que os centros de compras sempre fecham as portas a cada decreto mais restritivo.

“Tem dois fatores aí muito importantes: um deles é o planejamento realmente nosso e o outro é a questão do shopping center, que é um canal importante, mas é um canal estagnado hoje. Mas, claramente, quando a gente fala em planejamento hoje, loja de rua e principalmente drive thru são os principais modelos que buscamos para o desenvolvimento da marca”, analisa.

A rede prevê chegar a todas as capitais e maiores cidades do país com pelo menos uma operação completa de drive thru e espaços exclusivos apenas para a retirada no balcão (take away). Há ainda outras inovações previstas que já estão em processo de implantação ou com estudos avançados.

Uma loja conceito do Bob’s está em vias de ser aberta em Campinas (SP) com todas as ações de multicanalidade desenvolvidas pela rede. A unidade chamada de “Bob’s Conecta” reúne inovações como um drive thru de pista dupla, em que uma delas é voltada apenas aos clientes que fizerem os pedidos previamente pelo aplicativo ou marketplace da região, e uma solução de “lockers” – armários em que a comida é retirada sem qualquer contato com atendentes ou cozinha.

“A solução de lockers já existe lá fora e aqui no Brasil seremos pioneiros nisso. A pessoa faz um pedido pelo aplicativo e, quando chegar para pegar na loja, vai ter um locker que ele vai digitar um código e o produto vai ser colocado nele sem contato algum entre a cozinha e o cliente. Isso já esta funcionando há três meses em uma loja de são Paulo e a ideia é levar para outras unidades também”, explica o diretor de desenvolvimento da rede.

Marcelo Tristão conta que essas soluções já estavam sendo desenvolvidas desde antes da pandemia, mas que precisaram ser aceleradas nos últimos 14 meses. Assim também como o delivery, que já existe na rede há quatro anos mas que, até então, era restrito a apenas poucas lojas. Nestes últimos meses, o canal de entrega foi acelerado para chegar a todas as grandes unidades.

Franqueados independentes

Nesta nova fase de reinvenção da marca, o Bob’s está focando a expansão em operadores que sejam independentes, ou seja, franqueados que não operam muitas lojas ou uma região inteira. O objetivo da rede é ter o investidor que atue no dia a dia da unidade.

“Há alguns anos estamos mudando o perfil do franqueado, queremos aquele operador local que seja engajado no negócio e que está direto dentro da operação”, reforça.

Para isso, a rede faz todo o acompanhamento da montagem da operação, desde a escolha do ponto até o melhor formato para a cidade escolhida. O Bob’s já tem um planejamento de onde instalar determinados canais de venda, mas em outros é feito um estudo de viabilidade tanto do público-alvo como das próprias condições do novo operador.

“Dificilmente hoje eu não vou tentar colocar o máximo possível de canais de venda, o ideal pra gente é ter uma loja que funcione 24 horas com todos disponíveis”, completa Marcelo Tristão.

Ele afirma que a rede Bob’s tem um processo de implantação mais rápido que as concorrentes, com a abertura de uma loja completa, por exemplo, em até seis meses. Já as operações de rua em imóveis já existentes têm um período um pouco menor, de três meses, com investimento a partir de R$ 700 mil.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]