Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
curso sebrae
Novo curso vai capacitar empresas a digitalizarem os negócios para acelerar a retomada econômica.| Foto: Bigstock

Um curso intensivo para acelerar a retomada econômica de pequenas empresas voltadas à alimentação e turismo foi lançado nesta semana pelo Sebrae/PR e a Fecomércio PR, com início no dia 14 de junho. Chamado de Fature+, a capacitação vai preparar os serviços para se inserirem no mundo digital, aumentando as oportunidades de negócios para além das divisas do estado.

Ao todo serão onze módulos de aprendizado em temas como as novas tendências de consumo das pessoas, a gestão de resultados e métricas, a jornada do cliente (“customer experience”), planejamento financeiro, uso de marketplaces, entre outros temas. As aulas, totalmente ministradas pela internet, terão uma duração total de 25 horas, ministradas até o dia 18 das 8h às 13h.

A expectativa das entidades é beneficiar mais de 2,3 mil empresas dos setores de comércio e serviços (que incluem bares, restaurantes e lanchonetes) e outras 1,2 mil ligadas ao turismo no estado, com técnicas e estratégias para aumentar o fluxo de clientes, vender mais e expandir o faturamento melhorando os processos internos.

Julio Cezar Agostini, diretor de Operações do Sebrae/PR, diz que o objetivo é acelerar a retomada da economia através da inserção das micro e pequenas empresas no mundo digital, como encontrar uma saída positiva após o impacto da pandemia.

“Esse programa é uma resposta a este ambiente da pandemia que levou a uma mudança do comportamento do consumidor e da maneira como os negócios são feitos. As empresas que já atuavam com o mercado digital tiveram um crescimento de quase 73% [ao longo do ano passado]”, explicou durante o evento de lançamento.

De acordo com ele, cerca de cinco mil empresas do varejo com atendimento presencial fecharam as portas no ano passado em todo o estado por causa das medidas restritivas que tiveram de ser tomadas para frear o avanço da pandemia da Covid-19.

Bases

Foi a partir das principais “dores” que o mercado começou a sentir após o início da pandemia que o Fature+ fincou a base de capacitação. Entre elas estão o medo dos impactos causados pela crise econômica, a falta de clientes junto de uma concorrência maior, a dificuldade em traçar estratégias de marketing e de fidelização, e o entendimento sobre o processo de digitalização – principalmente como começar a atuar no mercado digital.

Para o setor de bares, lanchonetes e restaurantes, essa questão da digitalização é um pouco mais difícil, já que o serviço é muito mais baseado no atendimento presencial do que no digital. Mas, o caminho é usar os serviços de marketplace e estratégias para manter a marca em alta e lembrada pelos clientes o tempo todo na hora de decidir o que escolher – o mesmo vale para os serviços de turismo e hotelaria.

Além dos 11 módulos temáticos, o curso também terá desafios e fóruns de discussão sobre os temas abordados, mentorias diárias com especialistas das 8h às 22h, masterclasses de experiência de consumo, e parcerias de benefícios em empresas como a B2W (controladora dos marketplaces das Americanas, Submarino e Shoptime), Omnibees (soluções tecnológicas de pagamentos e reservas para hotéis) e Hotel Urbano (maior agência de viagens online do Brasil).

“Temos um resultado muito claro que queremos atingir [ao final do curso]: instalar a área comercial digital dentro da empresa. Queremos aumentar o faturamento delas, esse é o desafio do momento”, completa.

Para Rodrigo Sepulcri Rosalem, diretor regional do Senac-PR, é clara a preocupação com o comércio, serviços, bens e turismo de manter e ampliar os negócios que até aqui já foram fortemente impactados pela pandemia.

“Essa migração do analógico, do presencial, para o digital é um caminho super importante que muitas empresas têm adotado. [Elas] têm sim alternativas para buscar novos nichos de mercado e posicionamento”, afirma.

O próprio Senac-PR vai trabalhar dentro do programa com a questão da qualificação de mão-de-obra, uma das principais “dores” apontada pelos empreendedores de acordo com Rosalem. Serão até duas vagas por empresa para que colaboradores possam participar do Fature+, para ajudar os empresários a implementarem o que for orientado no curso.

Já Vitor Roberto Tioqueta, diretor-superintendente do Sebrae/PR), lembrou que as micro e pequenas empresas normalmente são os maiores empregadores das cidades, e que necessitam de um olhar especial neste momento em que o mercado ainda está se recuperando da crise.

“Elas são as maiores geradoras de renda dos municípios, essas empresas estão tendo dificuldades, muitas fechando e deixando de produzir. É o momento de trabalharmos em conjunto”, finaliza.

As inscrições para o curso Fature+ podem ser feitas aqui, com um investimento de R$ 799.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]