Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Madero
Grupo Madero confirma que tem uma dívida líquida bancária de R$ 981,1 milhões.| Foto: arquivo/Tribuna do Paraná

Dias depois de divulgar o primeiro relatório de resultados prestes a abrir capital, confirmando uma dívida de R$ 981,1 milhões, o Grupo Madero anunciou um novo investimento de R$ 300 milhões do fundo Carlyle, na manhã desta segunda (22).

O fundo, que já detém 23,3% da rede desde o começo de 2019, receberá mais uma porcentagem de ações a partir de agora – 2,4 milhões – mas o novo porcentual não foi informado. Na época, o fundo investiu R$ 700 milhões na rede fundada pelo paranaense Junior Durski.

Em nota ao Bom Gourmet Negócios, o Grupo Madero informou que o novo aporte, feito através do Madrid Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, será destinado principalmente para a expansão da rede. Só neste ano, já foram abertos 27 novos restaurantes.

“O Grupo Madero tem superado com sucesso os desafios impostos pela pandemia e está bem posicionado para alavancar sua plataforma verticalmente integrada única e um portfolio de grandes marcas para continuar com seu plano de expansão de forma sustentável no longo prazo”, disse Jay Sammons, Managing Director and Global Head of Consumer, Media and Retail do fundo Carlyle, em nota.

O grupo afirma que, uma vez concluída a negociação, o controle do Madero continuará nas mãos de Durski. E que a realização da operação está sujeita ao cumprimento de condições usuais.

Resultados

Na última quinta (18), o Grupo Madero divulgou pela primeira vez um balanço dos resultados trimestrais das operações, uma obrigação imposta pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) às companhias de capital aberto.

A rede recebeu a permissão de registro no último dia 17, o que abre caminho para a abertura de capital na Bolsa de Valores de São Paulo.

No balanço do terceiro trimestre de 2021 na comparação com o mesmo período do ano passado, o grupo apurou uma receita recorde de R$ 310,4 milhões – aumento de 66,6%. O valor superou a marca anterior de R$ 277,1 milhões registrada no mesmo período de 2019, antes da pandemia.

O volume equivale a 95% do registrado ao período pré-pandêmico, “confirmando a tendência de retomada das vendas aos níveis pré-pandemia”, diz no balanço enviado à CVM.

O Grupo Madero também confirmou que acumula uma dívida líquida bancária de R$ 981,1 milhões, mas que isso não afeta as operações da rede por ter uma “parceria com as maiores instituições financeiras do Brasil”.

A rede conta com 250 restaurantes multimarcas e cerca de 7.300 colaboradores. Ao todo são sete marcas operadas: Madero, Jeronimo Burger, Durski, Ecoparada Madero, Madero Café, Empório Madero e Dundee Chicken & Burgers.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]