Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Matte n’ Roll inova ao apresentar a erva com diferentes torras para o chimarrão e também ao desenvolver novos produtos. Foto: Theo Marques
Matte n’ Roll inova ao apresentar a erva com diferentes torras para o chimarrão e também ao desenvolver novos produtos. Foto: Theo Marques| Foto: THEO MARQUES

A inovação é a mãe da comida. A humanidade foi capaz de transformar a natureza em experiências sensoriais e sociais utilizando a observação e a criatividade. O que seria de nós, seres humanos, sem o domínio do fogo, sem a agricultura ou ainda sem a refeição como partilha social? É por isso que a gastronomia foi um dos pilares escolhidos para o Propulsão Local, uma maratona de cocriação em Curitiba que foi realizada ao longo de 14 dias e agora irá impactar 50 negócios locais, criativos e inovadores de vários setores.

Na área da gastronomia, diferentes iniciativas se inscreveram e com trajetórias empreendedoras muito distintas. Desde a AOPA, que já 22 anos trabalha para que produtos agroecológicos cheguem na casa das pessoas, até a Cacaúba Chocolates, uma pequena empresa fundada neste ano que produz por meio do conceito bean to bar (do grão à barra). O que estes negócios em diferentes estágios de vida têm em comum está justamente na inquietude de seus empreendedores.

A questão de lixo, por exemplo, é preocupação do Kria Kombucha, ao apostar na logística reversa, enquanto a Cacaúba visa a política do lixo zero. O resgate cultural e transformador da gastronomia é o que movimenta o tão paranaense Matte n’Roll e também o tão sírio Yasmin Comida Árabe, onde uma família de refugiados sírios viu na comida uma forma de se comunicar com o Brasil e também de manter suas origens. Inovação se encontra também nos baldinhos de cogumelo da Amuscária Fungi, uma iniciativa que permite até três colheitas de cogumelos dentro de sua casa.

Impactar positivamente a rede local de empreendedores, fortalecendo as características peculiares de cada um enquanto fornece suporte aos problemas comuns de todos. O Propulsão Local veio para mostrar que na gastronomia temos muito potencial de inovação e o que falta é apenas espaço. “A gente sempre faz tudo muito sozinho. Mas de repente nos vemos juntos a vários profissionais. E daí a gente sai de um casulo para entrar numa colmeia”, resumiu Thaurean Schimidt, da Kria Kombucha, um dos projetos participantes.

A iniciativa do Propulsão Local é do Coletivo Soylocoporti e da Rede Livre, em parceria com Lab1299, Instituto LocalBIz, Terraço Verde e uma rede de profissionais, organizações e empresas. Os 50 negócios selecionados na maratona ganharam rebranding estratégico, website completo, book fotográfico e participação em podcasts, clipes audiovisuais e laboratórios formativos.

Conheça as iniciativas que estão participando

Yasmin Comida Árabe

Quando a família Tokmaji chegou ao Brasil, em 2014, a comida típica árabe virou sua nova língua. Fugindo de uma guerra na Síria, a família tinha na bagagem unicamente sua cultura e foi ela quem permitiu reconstruir a vida de todos os cinco imigrantes. A comida virou linguagem, renda e uma nova inserção no mundo. O Yasmin conta, através do alimento, o drama de todo refugiado. Começaram vendendo esfirras, abriram um restaurante invisível (atendendo sem portas abertas) e hoje participam de feiras e eventos apresentando sua condição étnica, geopolítica e sobretudo humana.

Kria Kombucha

Kria Kombucha recolhe as garrafas utilizadas pelos clientes. Foto: Divulgação/Propulsão Local
Kria Kombucha recolhe as garrafas utilizadas pelos clientes. Foto: Divulgação/Propulsão Local| Henry Milleo

A Kombucha é um chá fermentado com propriedades probióticas, que auxiliam a flora intestinal. O método é antigo, data de 200 a.C., mas ressurgiu com novos sabores, como o de caju, o de uva branca com hibisco, e o de maracujá, manga e gengibre. A produção é artesanal, entregue na casa das pessoas e com a política de logística reversa, ou seja, a empresa coleta as garrafas usadas. Atualmente cerca de 50% das 900 garrafas/mês são recolhidas. “Acreditamos que agindo localmente podemos gerar uma mudança a nível global se cada um fizer a sua parte”, afirma Thaurean Schimidt. A Kria também está disponível em cerca de 20 estabelecimentos em Curitiba, a maioria em cafeterias.

Cacaúba Chocolates

Foto: André Rodrigues
Foto: André Rodrigues

A idealizadora da marca Sabina Mendonça participa de todo o processo – avaliação, torra, quebra, separação, moagem, conchagem, temperagem, moldagem e embalagem. Da amêndoa de cacau até a embalagem do chocolate. Inovação ambiental é o foco da Cacaúba, que busca fornecedores orgânicos e o máximo de redução de lixo. Suas barras são embaladas em papel craft, para que possam ser recicladas ou colocadas diretamente na composteira. A empresa foi aberta em agosto deste ano, vendendo 10 quilos por mês, mas com o objetivo de aumentar em cinco vezes seu processo produtivo em 2020.

Amuscária Fungi

Trazer a agricultura para dentro das cidades, permitindo que cidadãos comuns possam plantar e colher seus alimentos morando em casa ou até mesmo em apartamento. A Amuscária Fungi começou em 2010 cultivando cogumelos e desenvolvendo produtos, como cavilhas, sementes e blocos de cultivos. Há dois anos lançou os baldinhos de cultivo próprio, que permite até três colheitas dentro de qualquer ambiente favorável a planta – local claro e sem corrente de ar. Tem sido sucesso entre professores, veganos, crianças e a todos que gostam de estar perto da natureza.

Matte N’Roll

Matte n’ Roll inova ao apresentar a erva com diferentes torras para o chimarrão e também ao desenvolver novos produtos. Foto: Theo Marques
Matte n’ Roll inova ao apresentar a erva com diferentes torras para o chimarrão e também ao desenvolver novos produtos. Foto: Theo Marques| THEO MARQUES

A erva mate foi a grande propulsora de desenvolvimento no Paraná durante a virada do século XX. Mas hoje não ocupa tanto o nosso cotidiano urbano, o que fez André Zampier pensar em um projeto para modernizar a estética e a linguagem do mate. O Matte n’ Roll inova ao apresentar a erva com diferentes torras para o chimarrão e também ao desenvolver novos produtos, como o chope e refresco gaseificado. André acredita na redescoberta cultural da erva mate, e para isso constrói pontes de conexão entre a história e o nosso cotidiano. “Resgatar a história para preencher a imensa lacuna cultural, que é uma das responsáveis pela dificuldade de traço na identidade do paranaense”, afirma Zampier.

*Laura Schuhli é jornalista, chef de cozinha do Terra Café e apoiadora do Propulsão Local. Escreve sobre comida, cultura alimentar e inovação em seu instagram @terracafecwb

VEJA TAMBÉM

>>> Erva-mate sai da cuia para complementar pratos doces e salgados

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]