Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Pedidos se perdem
Segundo os empresários, entregadores de delivery retiram os pedidos no restaurante e cancelam no meio do caminho.| Foto: Bigstock

A cena: você faz um pedido em casa, pelo delivery, e recebe um aviso de cancelamento sem motivo minutos antes do horário marcado de entrega. Do outro lado, o restaurante despachou o preparo como se nada tivesse acontecido. E, no meio disso, o entregador.

Essa é a situação que restaurantes brasileiros vivem de tempos em tempos desde que o delivery passou a fazer parte do nosso dia a dia – quando a pandemia deu caras de que demoraria a passar. Um levantamento do Procon-SP feito no ano passado apontou um aumento de 186% na quantidade de golpes assim, entre outros, aplicados nas plataformas.

Mas, segundo relatos recebidos pelo Bom Gourmet Negócios, a prática do pedido se perder no meio do caminho parece que foi intensificada junto dos perfis falsos de restaurantes no Instagram.

A mais recente situação, que deixa tanto clientes como empresários no prejuízo – o primeiro sem o jantar que esperava para o dia, enquanto que o segundo sem o pagamento que receberia pelo alimento já pronto –, aconteceu com Silion de Conto, proprietário do restaurante Cutelaria Carne com Cerveja, de Curitiba.

Na última semana, um cliente dele fez um pedido por volta das 21h30 e, meia hora depois, o entregador apareceu para pegar a encomenda. Depois disso, ninguém sabe onde o pacote foi parar.

“Ele pegou o pedido e, ao sair do restaurante, não deu o comando no aplicativo de que havia retirado para entrega. Ele deu o pedido como cancelado e apareceu no sistema. Tentamos descer no pátio para ver se o motoboy estava ali ainda, mas já havia ido embora”, conta.

A alegação do entregador foi de que o restaurante passava por “dificuldades técnicas” e, por isso, cancelou o pedido. Argumento contestado por Silion, que diz ter despachado a comida do cliente.

Várias ocorrências

Situação parecida, mas vivida várias vezes, aconteceu com Viviane Giarola, sócia do restaurante Armazém Santo Antônio, também na capital paranaense. Ela já até perdeu as contas de quantos pedidos foram despachados e deixaram de ser faturados por se “perderem” no meio do caminho.

“Já aconteceu do motoboy dar o pedido como entregue, ou dizer que não havia ninguém no local. Outra de pedido extraviado pelo restaurante. Enfim, alguns pedidos foram ressarcidos pelo aplicativo, mas muitos não”, relata ao Bom Gourmet Negócios.

Viviane chegou a pedir o registro de documentos dos entregadores durante o período mais restritivo da pandemia, para ter um suporte caso algo ocorresse. Segundo ela, o aplicativo não fornece nenhum dado do entregador, o que dificulta na identificação.

Um empresário do setor que atua no Rio de Janeiro afirmou, anonimamente, que situação semelhante vem ocorrendo quase que diariamente nas lojas em que opera na cidade, mas sem entrar em detalhes.

Os casos relatados à reportagem aconteceram com restaurantes que utilizam o aplicativo de delivery iFood, que detém 75% do mercado segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). O aplicativo é alvo constante de reclamações dos empresários, seja pelas taxas cobradas ou pelas dificuldades de suporte em ocorrências.

Com BO e sem resposta

Rachel Sanches, proprietária da lanchonete Hamburguinho, em São Paulo, contou ao Bom Gourmet Negócios que vive situações de golpe pelos aplicativos de delivery quase que diariamente. A maioria deles pelo iFood e sem receber uma resposta contundente.

Até mesmo roubo com imagens e boletim de ocorrência (BO) já aconteceu. O mais recente no começo do mês.

“Um falso entregador do iFood furtou um celular do estabelecimento e até hoje não obtivemos retorno da plataforma, se ele já banido. Mandamos o vídeo, cópia do BO e até hoje nunca nos confirmaram se ele banido, não nos reembolsaram o prejuízo. Enfim, completamente ‘despreocupados’ com a conta que também é deles”, relatou.

Sem resposta

Tanto Silion de Conto como Viviane Giarola afirmaram ao Bom Gourmet Negócios que tiveram dificuldade em reaver o dinheiro perdido com os pedidos extraviados no meio do caminho pelos entregadores.

“Tentamos entrar em contato com o iFood referente a esse pedido, mas não conseguimos. Quando consegui, a plataforma disse que não poderia contestar”, conta Silion.

A dificuldade de ter uma posição mais contundente do iFood e demais plataformas fez os empresários criarem suas próprias estratégias para evitar cair no golpe do pedido perdido. Marcelo Soder, do Rock Pizza Roll, também de Curitiba, disse à reportagem que acompanha a expedição de cada entrega para se certificar.

“Aprendi que só se entrega pro motoboy depois que despacha na sua frente, senão acontece isso de não chegar o pedido e você não tem comprovação de que o entregou. Assim, fica registrado pro cliente, no iFood, que foi retirado o produto”, conta. Assim, segundo ele, fica comprovado que não se trata de um erro do restaurante, “não pode alegar que estava com dificuldade”.

Medidas de segurança

Ao Bom Gourmet Negócios, o iFood informou que repudia desvios de conduta de qualquer usuário cadastrado no aplicativo, sejam consumidores, estabelecimentos parceiros ou entregadores independentes. E, sendo constatada prática que viola os Termos de Uso da Plataforma, qualquer usuário pode ser descadastrado.

“Com relação aos entregadores da plataforma, é importante destacar que no processo de cadastro, seus dados e documentos são verificados, o que inclui a checagem de antecedentes criminais e reconhecimento facial. Essa validação facial também é solicitada de forma periódica, para garantir que o entregador é ele mesmo e evitar o aluguel e empréstimo da conta”, diz, ainda, a nota da plataforma.

O iFood afirma que segue investindo em processos de escuta com os restaurantes parceiros, para buscar soluções em conjunto para o ecossistema. Neste mês de março, promoveu o 1° Fórum de Restaurantes com a participação de 20 parceiros de todo o país para discutir diversos temas e melhorias para a plataforma. Será uma série de doze encontros com o mesmo grupo, por um período de um ano.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]