i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Plant based

Startup abre novo mercado de alimentos plant based com linha de produtos com ervilha como base

  • 06/01/2021 10:06
Alimentos 100 Foods
Marca pretende lançar mais 6 produtos ainda neste ano.| Foto: Erick Soares/divulgação 100 Foods

O crescente mercado de alimentos plant based, que ganhou a adesão de multinacionais alimentícias no ano passado investindo forte no Brasil, já começou 2021 com mais indústrias lançando produtos inovadores. Logo nestes primeiros dias de janeiro, a startup paulista 100 Foods está colocando no mercado uma linha de nuggets e hambúrgueres semelhantes aos de carne bovina e de frango feitos de ervilha amarela, um grão que tem um preço um pouco mais elevado que a soja utilizada normalmente.

A empresa, que recebeu um aporte de R$ 700 mil no final do ano passado para expandir as operações, está apostando nesta leguminosa como uma forma de se diferenciar das grandes concorrentes – e abrir um mercado para a utilização de novos insumos na formulação de alimentos plant based.

Para Paulo Ibri, CEO da 100 Foods, a escolha de um grão mais caro como base para os alimentos vai compensar depois no volume de vendas. Ele acredita que os consumidores de alimentos plant based já estão aprendendo a diferenciar os variados produtos oferecidos pelo mercado.

“Nascemos para levar a saudabilidade para as pessoas e para o planeta, somos totalmente plant based. Mas, como a gente fala da saúde das pessoas em primeiro lugar, não faria sentido começar com a soja, que é altamente modificada geneticamente”, diz.

A startup nascida no final de 2018 trabalhava apenas com condimentos e temperos 100% naturais veganos, sem calorias e zero sócio adoçados com stevia. Já a nova linha de produtos plant based é vendida congelada.

Produtos

O objetivo da 100 Foods é conquistar parte da crescente parcela de pessoas que se afirma como “flexitariano”, que vem reduzindo o consumo de proteína animal mas ainda não se afirmam como veganas, por exemplo. Os nuggets e o hambúrguer empanado semelhantes aos de frango e o hambúrguer que lembra o de proteína bovina vão concorrer com lançamentos recentes feitos por gigantes como Unilever e Seara e startups como a brasileira Fazenda Futuro e a chilena NotCo, que nacionalizou a produção em 2019.

“A gente queria resolver o problema da pressa das pessoas em fazer tudo muito rápido, elas chegam em casa tarde e precisam de algo rápido para comer e descansar. E vimos que as industrias têm produtos assim, mas com altos teores de gordura, de sódio e de conservantes, e vimos que aí teríamos um nicho para os nossos produtos”, explica.

Os produtos da 100 Foods são livres de gorduras trans e contém 13g de proteína por porção. Elementos que dão aparência semelhante ao da proteína animal são obtidos com vegetais como a beterraba, por exemplo. Todas as fórmulas são desenvolvidas internamente e produzidas em indústrias parceiras.

Os novos congelados plant based da 100 Foods são vendidos em 20 estados do país na faixa de R$ 20 a R$ 22.

Crescimento

Com o investimento recebido no ano passado, a 100 Foods pretende alcançar todo o território nacional – atualmente só não chega nos estados do extremo Norte do país – e expandir para países próximos da América do Sul. No primeiro ano de atuação, a marca faturou mais de R$ 500 mil, e já busca novos investidores para lançar pelo menos mais seis produtos e atingir a meta de crescer até 250%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.