Bebidas

Páscoa

Os melhores vinhos para acompanhar o bacalhau a partir de R$ 39

Provamos às cegas vinhos que levam a casta portuguesa Castelão, com preços entre R$ 30 e R$ 100; conheça os melhores da prova

por Guilherme Rodrigues, colunista Publicado em 15/04/2019 às 11h
Compartilhe

Castelão, também conhecida por Periquita ou João de Santarém, é a casta tinta mais plantada em Portugal. Das mais antigas uvas viníferas, referências documentais a ela datam da época do descobrimento do Brasil. É muito provável que o vinho da Primeira Missa, rezada em 1500 entre os índios, tivesse nele a Castelão. É conhecida ainda por uma diversidade de outras denominações, sendo as três indicadas as mais correntes.

É plantada em todo Portugal. A faixa onde melhor frutifica abrange as regiões vinícolas vizinhas e atualmente denominadas de Lisboa, Tejo, Alentejo e sobretudo a Península de Setúbal.

Seu DNA indica resultar do cruzamento da Alfrocheiro com a Cayetana Blanca varietais ibéricos ancestrais. Apesar da importância, ao menos atualmente, é pouco usada em vinhos varietais, sendo empregada largamente em cortes. Entra até no blend de alguns vinhos do Porto. Possui um luminoso e sápido sabor de fruto vermelho maduro, notadamente cereja, em geral carnudo, com nuances interessantes à resina de árvores ou anis. Sua acidez se integra muito bem com os demais ingredientes. Contribui para arredondar os cortes.

Os vinhos com a Castelão têm outra característica importante, em geral acompanham lindamente as refeições, dos mais variados pratos. Vão muito bem, por exemplo, com o bacalhau. Além de não doerem no bolso.

Leia também: Tradicional restaurante de Lisboa ensina como fazer um legítimo bacalhau

Selecionamos e testamos para os leitores um painel com 13 dos mais expressivos rótulos de tintos com a Castelão disponíveis no mercado, na faixa de R$ 30 a R$ 100 por garrafa. Como era de esperar, face à diversidade de cortes e regiões de origem, os vinhos são bem diferentes uns dos outros. Contudo, um denominador comum é seu caráter gastronômico, comprovando a grande afinidade desses tintos para acompanhar as refeições. Em alguns casos chegaram a lembrar certas nuances dos vinhos de Châteauneuf-du-Pape, guardadas as proporções.

Vai bem com assados e churrascos. Boa pedida na mesa de Páscoa, que se aproxima, ainda mais se o prato principal for o “fiel amigo” – como o bacalhau também conhecido em Portugal. Num certo sentido, parafraseando, até podemos pensar na Castelão como a “fiel amiga”. Uma casta que torna os vinhos atraentes e bons de beber, sem judiar do bolso.

A degustação foi realizada às cegas, isto é, com os vinhos servidos em copos numerados, sem que os provadores conhecessem os rótulos. Transcorreu no inspirado restaurante K.SA, com o serviço perfeito da bem treinada brigada da casa, sob o comando do sommelier Nertan Monteiro. Além deste redator, dela participaram os consagrados degustadores Luiz Carlos Zanoni e João Manuel Garcia, e Talita Boros Voitch, editora do Bom Gourmet. Após os trabalhos, foram servidos alguns dos apetitosos pratos da lavra da chef Claudia Krauspenhar.

Confira os vinhos selecionados:

 

 

 

 

 

 

 

 

Lagoalva 2016
Quinta da Lagoalva de Cima – Tejo
Nota 90
O enólogo Diogo Campilho, integrante da família proprietária desta belíssima vinícola, conseguiu um grande resultado neste inspirado tinto. A Castelão loteada junto à Touriga Nacional e Touriga Franca. As uvas foram vindimadas à noite para maior frescor e qualidade. O vinho estagiou em barricas de carvalho por 6 meses. Deliciosos aromas emergem do copo, seguido em boca de um vinho com textura aveludada e cremosa. Frutos vermelhos maduros encantam os sentidos, enriquecidos por belas nuances almiscaradas e balsâmicas.
PREÇO: R$ 76,71
ONDE: www.mistral.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

Portal da Águia 2017
Quinta da Alorna – Tejo
Nota 89
De cor rubi escura, com a Castelão bem marcada nos aromas e sabores que remetem a cerejas e frutos vermelhos. Touriga Nacional e Trincadeira completam o blend. O vinho não passou pela madeira, retendo um belo frescor e frutado maduro. Taninos maduros na medida certa, boa vivacidade, redondo e bom de beber.
PREÇO: R$ 42,50
ONDE: Adega Brasil Auto Serviço Curitiba – Rua da Paz, 643, Centro. De terça a sábado das 9h às 18h; domingo das 8h às 13h — (41) 3044-2727.

 

 

 

 

 

 

 

 

Marques D’algares 2015
Adega Cooperativa do Cartaxo –Tejo
Nota 88
Mesmo compondo com a Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alicante Bouschet e Syrah, a Castelão faz um lindo papel, dando personalidade e harmonia ao todo, enaltecendo um adicional e saboroso frutado a cerejas e cerejas negras. Cremoso, aveludado, base rica, belas notas balsâmicas, e a cacau, boa harmonia e ótima presença.
PREÇO: R$ 48,90
ONDE: Adega Brasil Auto Serviço Curitiba. Rua da Paz, 643, Centro. Terça a sábado das 9h às 18h; domingo das 8h às 13h – (41) 3044-2727.

 

 

 

 

 

 

 

 

Loios 2017 JP Ramos – Alentejo
Nota 89
A maestria de João Portugal Ramos revela-se neste belo tinto onde a Castelão compõe um inspirado conjunto com a Aragonez, Trincadeira e outras castas. Uvas de solos argilo calcário e xistosos. Cor rubi escura, encantador bouquet com notas florais e frutos maduros, excelente vivacidade. Boa acidez e final vivo, cesta de frutos maduros,
bem resolvido, interessante e saboroso.
PREÇO: R$ 59,90
ONDE: www.tintowine.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

Vinhas da Comporta 2015 Herdade da Comporta – Península de Setúbal
Nota 89
A Castelão domina o vinho com 65% do blend, completada pela potente Alicante Bouschet. Belo frutado maduro, com o corpo bem cinzelado. Mostra notas bem vivazes
e bons nervos, um leve resinoso que enaltece o vinho, um fundo a ânis e balsâmico. Bem característico da Castelão, taninos de boa presença.
PREÇO: R$ 39,90
ONDE: Festval

 

 

 

 

 

 

 

 

Quinta dos Bons Ventos 2016 Casa Santos Lima – Lisboa
Nota 88
De cor rubi escura, um tinto de aromas e sabores dominados por um bom frutado maduros a cerejas e morangos. Redondo, cremoso, algo balsâmico e terroso,
lembra certas nuances de um Chateuneuf du Pape.
PREÇO: R$ 39,90
ONDE: Festval

 

 

 

 

 

 

 

 

Periquita 2016 José Maria da Fonseca – Península de Setúbal
Nota 87
O mais famoso vinho de Castelão e de nome emblemático. Uma garrafa que se revelou um pouco mais austera que de costume, com belo frutado a cerejas negras, recoberto por notas a couro e arreios de cavalo, que não passam por cima do todo. Um toque apimentado e um leve tostado fecham o conjunto.

PREÇO: R$ 56,99
ONDE: Festval

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Redondo 2017 Roquevale Alentejo
Nota 87
Bonitas notas florais irradiam-se do bouquet. Castelão em conjunto com Trincadeira, Moreto e Aragonez, sem passar pela madeira. Bom corpo, com frutos azuis, acidez
no limite e um toque resinoso.
PREÇO: R$ 41,90
ONDE: Festval

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quinta Da Alorna 2015 Quinta da Alorna – Tejo
Nota 87
De um dos mais renomados produtores da região, neste tinto a Castelão desempenha bem afinada em conjunto com a Tinta Roriz, Syrah e Alicante Bouschet. Cheio
e de boa profundidade, um vinho mais sério e encorpado, com nuances a cereja e ameixas. Taninos e estrutura se mostram bem compostos no todo.
PREÇO: R$ 73,69
ONDE: Festval

 

 

 

 

 

 

 

 

Quinta do Espírito Santo Reserva 2013 Companhia das Quintas – Lisboa
Nota 87
De tonalidade rubi escura, notas de carvalho americano, chega a lembrar um vinho espanhol. Corpo e fruto para suportar, elétrico e com notas apimentadas. Algo
a mineral, tinta de caneta, potente.
PREÇO:  R$ 39
ONDE: Festval

* Guilherme Rodrigues é advogado, enóficlo, membro de importantes confrarias internacionais. Dedica-se ao estudo e à degustação de vinhos há mais de 25 anos. 

Compartilhe

8 recomendações para você