Pessoas

Combate ao desperdício

Padarias do bem: doação de pães para pessoas carentes se multiplica pelo Brasil

Panificadoras afirmam que iniciativa pesa no orçamento, mas compensa e ajuda a evitar sobras no fim do dia


por Guilherme Grandi Publicado em 17/02/2019 às 13h
Compartilhe

“Queremos fazer essa corrente do bem girar, ajudar o próximo”. É com esta ideia, dita de várias formas, que quatro padeiros espalhados pelo país justificam a doação de pães a quem não tem sequer alguns centavos para o café da manhã. De Norte a Sul, as boas ações se multiplicam e além de ajudarem aos mais necessitados evitam também o desperdício de alimentos.

Postagem Padre

A postagem do Padre Fábio de Melo teve mais de 800 mil curtidas em uma rede social. Foto: Reprodução/Instagram.

Mesmo pesando mais no orçamento do mês, o padeiro José Carlos Quintino não deixa de ajudar quem precisa. Ele doa pães em sua Padaria Santa Rita, em Pirajuí (SP), há dez anos e ficou famoso recentemente após o Padre Fábio de Melo fazer uma postagem nas redes sociais sobre a ação.

Para ele, o resultado compensa. São cerca de 700 pães frescos doados diariamente em uma caixa na porta da padaria. “Eu faço isso desde o começo porque as pessoas mais necessitadas chegavam aqui ainda de madrugada e pediam um pãozinho. Às vezes vinham só com algumas moedinhas que não davam nem para um pão inteiro. Faço de coração”, conta o empresário.

Segundo Quintino, a iniciativa inspira ainda outras boas ações já que há pessoas que vão à padaria e fazem doação de dinheiro para ajudar a comprar farinha.

>>> Doação de pães para pessoas carentes se multiplica pelo Brasil

O básico

Padaria ES

A padaria do ES deve retomar a ação ainda neste ano. Foto: reprodução/Facebook.

O pão sempre foi considerado a refeição mais básica, que deveria ser acessível a qualquer pessoa, mas não é isso que se vê. A empresária Maria do Céu Lisboa, da padaria República dos Pães, em Guarapari (ES), conta que a ideia de doar pães para quem precisa surgiu durante um café da manhã com o marido, Clóvis Laviola. O objetivo, segundo ela, era de criar uma corrente de bondade para retribuir os 26 anos de tradição na cidade capixaba.

“Falávamos sobre essa visão de ajudar ao próximo. Nesse país de desigualdades é importante doar seu tempo e coração para o próximo”, diz a empresária. A ação durou pouco mais de um ano e distribuía de 500 a 700 pães frescos por dia. A doação foi interrompida em meados do ano passado, mas será retomada em breve.

>>> Leia também: Pão de queijo vira sorvete, coxinha e bruschetta em Belo Horizonte

Pão solidário

Dona Neca

Dona Neca e a cesta de pães: todos os dias entre 50 e 100 produtos são doados. Foto: arquivo pessoal.

No Sul do país, a doação de pães a quem não pode comprar também ganhou adeptos. Em Balneário Camboriú (SC), a empresária Alaíde Sandi Baramarchi coloca uma cestinha de pães frescos para serem doados na entrada da Padaria e Confeitaria Neca desde o final de 2017.

Alaíde contou ao Viver Bem, da Gazeta do Povo, que sempre sobravam pães no fim do dia. Ela passou a colocá-los na cestinha com uma mensagem convidando as pessoas mais necessitadas a se servirem do que precisassem.

“Tivemos a ideia de colocar a cesta na frente da padaria e ir colocando produtos no decorrer do dia para que estivessem sempre fresquinhos para doação. Dessa forma, também não temos sobras na padaria no fim do dia para jogar fora”, diz. Ela doa de 50 a 100 pães por dia.

>> Leia também: Faça em casa! Aprenda uma receita deliciosa de pão rústico

Na cidade de Marília, no interior de São Paulo, o dono do Cantinho dos Pães também serve pães franceses e doces a quem não pode pagar pela refeição. João Alexandre Montesso conta que as pessoas têm ido à padaria para conhecer e ajudar na corrente de ajuda ao próximo.

*Conhece mais iniciativas como estas? Envie para bomgourmet@gazetadopovo.com.br

Compartilhe

8 recomendações para você