Bebidas

Ranking

Paraná é o terceiro mais premiado no Concurso Brasileiro de Cervejas

Do total das 256 medalhas, os paranaenses levaram 47. A curitibana a Bodebrown ficou com o maior número, 11, além de ter garantido 2.º lugar entre as eleitas cervejarias do ano

por Marina Fabri, especial para a Gazeta do Povo Publicado em 09/03/2017 às 16h
Compartilhe
Cervejas artesanais

Foto: Alexandre Mazzo / Gazeta do Povo.

O Paraná foi o terceiro estado brasileiro a levar mais medalhas no Concurso Brasileiro de Cervejas, cuja 5.ª edição faz parte do Festival Brasileiro da Cerveja, em Blumenau (SC). A competição é considerada uma principais da área no mundo e teve 2.034 rótulos inscritos. A premiação foi revelada na terça-feira (7).

Os jurados deram 256 medalhas — deste total, o Paraná levou 47, oito a mais que em 2016, e ficou atrás do Rio Grande do Sul (58 medalhas, em primeiro lugar) e Santa Catarina (51 medalhas, em segundo). Só a cervejaria curitibana Bodebrown levou 11 medalhas — quatro de bronze, quatro de prata e três de ouro. Por conta disso, levou também o título de 2.º lugar na categoria Cervejarias do Ano (foi a segunda a ter mais medalhas nesta edição) e o Prêmio Especial, já que participaram de todas as cinco edições do concurso e são recordistas em medalhas.

Para Samuel Cavalcanti, mestre cervejeiro e dono da Bodebrown, o nível do concurso foi alto. “O mercado brasileiro está cada vez mais competitivo e os rótulos premiados confirmam a primazia das cervejas envelhecidas em barris de madeira”, explica. Entre as medalhas que a cervejaria levou, algumas foram justamente para esse tipo de bebida — um exemplo é a Atomga Cherry, uma cerveja estilo Russian Imperial Stout envelhecida por 10 meses em barricas de carvalho usadas por uísque Bourbon e vinho tinto da serra gaúcha. Na competição, levou medalha de prata na categoria de cervejas híbridas com frutas.

Outras cervejarias paranaenses que se destaram na competição foram a Bier Hoff, com nove medalhas, a Morada Cia. Etílica, com seis, a Way Beer, com mais três – todas de Curitiba – e a Cathedral, de Londrina, também com três. O concurso foi dividido em algumas categorias — Cervejarias do Ano, Best of Show, Best of Show Experimental, Prêmio Especial (de 5 anos de concurso), premiação por estilos e Brazilian Beer. Confira como foram as cervejarias paranaenses em cada uma delas:

Cervejarias do Ano

O prêmio de cervejarias do ano (ouro, prata e bronze) foi entregue àquelas que acumularam mais medalhas na competição. Duas cervejarias curitibanas levaram o 2.º e o 3.º lugar: Bodebrown e Bier Hoff, respectivamente. O 1.º lugar foi para a gaúcha Tupiniquim, de Porto Alegre.

Best of Show

Essa categoria reúne apenas juízes estrangeiros — todas as cervejas participantes dessa etapa tinham que ter levado medalha de ouro na premiação por estilos. E o segundo lugar foi para a Morada Cia Etílica, de Curitiba (com a Gasoline Sour). Os demais prêmios foram para a Colorado, de Ribeirão Preto (Guanabara Wood Aged, em primeiro lugar) e para Eden Beer (Patillazo Melancia, terceiro lugar).

Best of Show Experimental

A categoria reúne cervejas ainda não lançadas no mercado (mas já registradas junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), podendo, assim, ser lançadas já premiadas. Nenhuma paranaense aqui — quem levou o primeiro lugar foi a gaúcha Tupiniquim (Funky Framboesa), seguida pela paulista Baden Baden (IPA Wood Aged) e pela também gaúcha Dubbel Dragon (Honey Revenge).

Prêmio Especial de 5 anos de concurso

Quem levou também foi a curitibana Bodebrown — eles participaram de todas as edições e têm o maior número de medalhas no total.

Premiação por estilos

Para conferir toda a lista de vencedores por estilo, clique aqui.

Compartilhe

8 recomendações para você