Produtos & Ingredientes

Qual é o jeito certo de comer coxinha?

Os donos dos bares de Curitiba que concorrem na categoria Sabor Popular do Prêmio Bom Gourmet 2016 respondem

por Katia Michelle, especial para Gazeta do Povo Publicado em 08/08/2016 às 11h
Compartilhe

Assim como a eterna polêmica entre “biscoito” e “bolacha”, a gastronomia também reserva outras divergências. A coxinha, por exemplo, se come pela base ou pela pontinha? Nós perguntamos para quem mais entende do assunto: os concorrentes do Sabor Popular 2016 nessa categoria específica.

>>> Clique aqui para votar no Sabor Popular

“Aqui na Sugar Bakey servimos a coxinha no prato e percebemos que os clientes pegam pela pontinha para começar a comer pela base”, conta Ana Luiza Torricillas, chef da Sugar Bakery. Para ela, no entanto, o melhor é saborear o produto, não importa a forma.

Já começar a comer pela ponta está entre as preferências dos clientes da Confeitaria Holandesa, que também concorre ao Sabor Popular 2016. A proprietária Karin Sabine conta que muita gente gosta de comer até com garfo e faca. “Não tem jeito certo, a melhor maneira é comer”, diz.

Para o proprietário da Confeitaria Valbella, Antônio Carlos Teixeira Gonçalves, o costume é começar pelo “bico”, embora essa parte tenha menos recheio. “Quem gosta de mais recheio, geralmente começa por baixo, pela base, onde se concentra mais o frango. Vai do gosto da pessoa”, diz. Como na Confeitaria Valbella, o produto também é servido no prato, acompanhado de garfo e faca, ele percebe que os clientes fazem um corte na transversal para começar a comer.

Corte na transversal? Bom, antes de começar uma nova polêmica, se o corte deve ser feito na transversal, vertical ou horizontal, no caso de abrir e comer a coxinha com garfo e faca, melhor é provar cada uma das três concorrentes e escolher a preferida. Confira detalhes das três coxinhas indicadas na primeira fase do Sabor Popular e vote até o dia 14 de agosto na sua preferida. 

>>> Novo Barista Coffee Bar tem cafés especiais do Paraná por R$ 5, comidinhas e vinho

>>> Escabeches e gengibirra caseira são as atrações do Bar Onitorrinco

Confira os concorrentes à categoria coxinha do Sabor Popular 2016

Sugar Bakery

COXINHA SUGAR BAKERY - FOTO -  Cassiano Bassil

Coxinha de Frango com Catupiry

A coxinha (R$ 7,00)  é feita artesanalmente, todos os dias, pois o produto não tem conservantes e não é congelada. O recheio é feito com frango desfiado, temperado com molho especial da casa, cebola branca, salsinha, cebolinha e uma generosa camada de requeijão cremoso catupiry. A coxinha pesa 200g e é frita no momento do pedido do cliente, para ficar sempre crocante por fora e manter o recheio macio e saboroso.

Serviço

Rua Bispo Dom José, 2655, loja 02, Batel – (41) 3030-6695. Abre de segunda a sexta das 12h às 19h e sábado das 14h às 19h.

***

Confeitaria Holandesa

COXINHA CONFEITARIA HOLANDESA - FOTO DIVULGAÇÃO

Coxinha de Frango com Catupiry

O salgado mais vendido da casa é produzido há mais de 20 anos. Feita com ingredientes selecionados, a receita inclui peito de frango desfiado envolvido em um molho que é segredo de família. A confeitaria, que já completou mais de meio século em Curitiba, diz que um dos diferenciais está na combinação da massa. A coxinha de frango desfiado é feita em massa especial de trigo e pode ser com catupiry (R$ 6,50) ou sem (R$ 6,00).

Serviço

Rua Dr. Pedrosa, 366, Centro. Abre de segunda a sábado das 8h às 20h e domingos e feriados das 10h às 19h — (41) 3224  1191. Rua Av. Sete de Setembro, 5656, Água Verde. Abre de segunda a sábado das 10h às 19h — (41) 3082-3709. Delivery (41) 3333-0111 de segunda a sábado, das 8h às 18h e domingos e feriados das 8h às 15h.

***

Confeitaria Valbella

COXINHA CONFEITARIA VALBELLA - FOTO DIVULGAÇÃO

Coxinha de Frango com Requeijão

A receita de mais de 15 anos tem versões com (R$ 5,10) ou sem requeijão (R$ 4,90). A coxinha que leva o nome da confeitaria pesa 140 gramas e os ingredientes da composição são guardados a sete chaves. Os segredos envolvem diferenciais tanto no cozimento da massa crocante como no tempero das várias partes do frango utilizadas no recheio.  O salgado é preparado e frito aos poucos e reposto sempre que necessário para que esteja sempre fresquinho.

Serviço

Rua Augusto Stresser, 561, Juvevê – (41) 3254-8820. Abre de segunda a sexta, das 11h às 19h. Sábado das 9h às 21h e domingos apenas com reserva de grupos.

Compartilhe

8 recomendações para você