Foto: A Life Worth Eating.
Foto: A Life Worth Eating.| Foto:

Kika Marder, Bistrô Sel  et Sucre

Cesol Freire dá a dica para o público aproveitar muito bem o evento: comprar ingressos com antecedência e "passear" pelo cardápio. Foto: divulgação.
Cesol Freire dá a dica para o público aproveitar muito bem o evento: comprar ingressos com antecedência e "passear" pelo cardápio. Foto: divulgação.

“Como é muito difícil escolher apenas um chef para mencionar, escolhi dois muito especiais. O primeiro é o meu amigo e chef Celso Freire, com quem eu tive o prazer de começar a minha carreira e por quem tenho enorme carinho e respeito. O segundo é o grande chef francês Paul Bocuse, conhecido como precursor da culinária francesa tradicional. Foi na escola dele, em Lyon, que eu me aperfeiçoei e me formei. Foram, e ainda são, inspirações para mim até hoje!”

***

Felipe Miyake, La Varenne

Foto: A Life Worth Eating.
Foto: A Life Worth Eating.

“São muitas as inspirações e influências, mas acredito que o nome principal seja o de Paul Bocuse. Afinal, a disciplina, a história e as ideias do chef francês revolucionaram a cozinha e deixaram um imenso legado para a gastronomia mundial.”

***

Manu Buffara, Manu

O chef Alex Atala
O chef Alex Atala

“As principais inspirações do meu trabalho são: Alex Atala, Rene Redezpi e Michel Bras. Pessoas inspiradoras não são necessariamente líderes, mas compartilham os mesmos valores que você, traduzindo-os em melhores práticas. Cada um deles me inspira de uma forma, mas todos me inspiram por serem seres humanos antes de serem chefs.”

***

Lênin Palhano, Nomade

Albert e Ferran Adrià. Foto: Divulgação
Albert e Ferran Adrià. Foto: Divulgação

“Na verdade, é uma junção de vários trabalhos que observei durante toda minha carreira. Alguns nomes que posso citar são o Alberto Landgraf, que tecnicamente é muito bom; o Rafa Costa Silva, que tem uma postura fantástica, além de uma dinâmica na cozinha, que é algo que me inspira bastante; e o Onildo Rocha, pelo empreendedorismo. Fora do Brasil, o José Avillez, que consegue ter um restaurante com duas estrelas Michelin e conciliar com vários negócios, e os irmãos Adrià, que revolucionaram a gastronomia e hoje possuem um grupo de restaurantes com personalidades distintas, mas todos com uma evolução técnica muito grande.”

*O chef Junior Durski não respondeu à pergunta.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]