i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Memória

A história dos Kaminski, que há 80 anos usavam frota de carroças para entregar pão

Hoje aos quase 84 anos, seu Nelson, da segunda geração de padeiros da família, segue presente nos negócios e está sempre no Empório batendo papo com os clientes

  • PorMarina Fabri, especial para a Gazeta do Povo
  • 07/03/2017 14:03
A história dos Kaminski, que há 80 anos usavam frota de carroças para entregar pão
| Foto:
Seu Nelson Kaminski em frente ao Empório, na Sete de Setembro. Foto: Letícia Akemi.
Seu Nelson Kaminski em frente ao Empório, na Sete de Setembro. Foto: Letícia Akemi.

Quando moço, Nelson Kaminski costumava dizer que as padarias iam acabar. O pai dele, Alexandre Kaminski, primeiro padeiro da família, respondia, categórico: “você só fala bobagem”. Hoje aos quase 84 anos, seu Nelson é o patriarca do clã proprietário do Empório Kaminski, na Avenida Sete de Setembro, e da padaria de mesmo nome, na Avenida Iguaçu, ambos no Água Verde. Bem pertinho da Rua Carneiro Lobo, onde essa história começa, no início da década de 1930.

Para falar a verdade, a história começa alguns anos antes, em 1920, quando Alexandre, então com 15 anos, começa a trabalhar numa padaria na rua Desembargador Westphalen. Sete anos depois, ele já era casado e dono do seu próprio negócio, uma pequena padaria na Rua Visconde de Guarapuava. Como os pães faziam sucesso, a família mudou-se no início da década de 1930, levando a empresa, para o icônico número 79 da Rua Carneiro Lobo, onde teriam mais espaço. Foi lá que funcionou o negócio da família por mais de 80 anos.

Projeto do imóvel que abrigou os negócios da família por mais de 80 anos. Foto: acervo familiar.
Projeto do imóvel que abrigou os negócios da família por mais de 80 anos. Foto: acervo familiar.

Nelson tinha então oito meses, e por lá se criou – aos 7 anos já ajudava na limpeza, aos 9 sabia fazer pão e aos 10 substituía funcionários quando necessário. “Entregávamos pão francês e pão d’água de carroça no Água Verde até Rua XV de Novembro, começávamos às 17h de sábado e só acabávamos às 5h de domingo”, conta ele. “Adorava essa época”, diz, saudoso, ao lembrar de si mesmo, ainda criança, encolhido entre os pães. Ao longo dos anos, a frota foi crescendo e chegou a 30 carroças, que depois foram substituídas por Kombis, que entregavam os mais variados tipos de mercadorias a bares, empórios e armazéns.

Rua Carneiro Lobo, no Água Verde, quando a família Kaminski por lá chegou. Foto: acervo familiar.
Rua Carneiro Lobo, no Água Verde, quando a família Kaminski por lá chegou. Foto: acervo familiar.

Como adorava assistir filmes e era ligado nas novidades, Nelson achava que as pessoas iam parar de comprar nas padarias para comprar em mercados – que até então pareciam coisa de um futuro distante por aqui. O pai não botava fé. Mas dito e feito, os mercados chegaram também em Curitiba e os costumes começavam a mudar… Os Kaminski sentiram na pele o peso do progresso da cidade, mas seguiram firmes.

Já nos anos 1960, quem tocava a padaria eram ele e a esposa Maresca, com quem é casado há 60 anos. Veio da família dela, inclusive, a receita do primeiro bolo vendido na Kaminski, um rocambole de massa fofinha e recheado de doce de leite ou goiabada. Ele é vendido até hoje e a receita pouco mudou desde aquela época. “Na verdade, acho que a única mudança foi o fato de que agora a receita foi toda dosada de forma mais precisa, até pouco tempo atrás, as medidas ainda estavam todas como se usava em casa mesmo, ‘dois copos de farinha’, por exemplo”, diverte-se a neta de seu Nelson, Camila, hoje responsável pela cozinha.

Na foto da direita, Nelson Kaminski e na da esquerda, seu pai, Alexandre Kaminski, o primeiro padeiro da família. (Fotos: acervo familiar)
Na foto da direita, Nelson Kaminski e na da esquerda, seu pai, Alexandre Kaminski, o primeiro padeiro da família. (Fotos: acervo familiar)

Curiosamente, foi só em meados dos anos 1990 que a padaria passou a levar o sobrenome deles na fachada. Até então, apesar dos pães já se chamarem Kaminski, o estabelecimento continuava com o mesmo nome do negócio que Alexandre Kaminski abriu décadas atrás: Padaria Universal. Durante alguns anos, também se chamou Kamille. Em 1994, virou Kaminski.

Em 2013 a padaria mudou de endereço pela primeira vez em 80 anos e passou a funcionar a poucos metros do endereço original, mas na Avenida Iguaçu. E um ano depois, foi aberto o Empório na Sete de Setembro, em um formato bem similar ao dos mercados que seu Nelson achava que ameaçariam seu negócio algumas décadas atrás.

A família

Seu Nelson, Cristine, Camila e Rodrigo no Empório Kaminski. Foto: Letícia Akemi.
Seu Nelson, Cristine, Camila e Rodrigo no Empório Kaminski. Foto: Letícia Akemi.

Seu Nelson e dona Maresca tiveram dois filhos, Nelson Júnior e Cristine – o primeiro trabalhou com os pais na padaria até meados da década de 1990, quando faleceu em um acidente. Na mesma época Cristine, que até então era instrumentadora cirúrgica, passou também a trabalhar no negócio da família fazendo “de tudo um pouco”. Há mais ou menos seis anos, os dois netos do casal, filhos de Cristine, entram no barco também. Rodrigo, que é engenheiro mecânico, hoje cuida da parte administrativa e financeira, enquanto Camila, engenheira de alimentos e com formação em confeitaria e panificação, cuida do cardápio e desenvolvimento de produtos.

Seu Nelson e dona Maresca apesar de não estarem mais à frente do negócio, seguem participando ativamente. Ele está quase todos os dias no Empório e tem um lugar cativo embaixo da árvore que fica em frente à entrada do estabelecimento, onde bate-papo com os clientes. Já ela gosta até hoje de analisar a qualidade dos produtos e, dizem os netos, liga pra puxar a orelha quando não gosta de algo.

Kaminski hoje

Atualmente, segundo Camila Kaminski, a produção de pães franceses do Empório pode chegar a até 7 mil por dia, dependendo da época – no início do ano, especialmente em janeiro e fevereiro, esse número costuma ser menor, por volta de 3 mil por dia. Quase toda produção das duas casas fica concentrada no Empório, da Sete de Setembro. É lá que são feitos também os bolos, tortas e salgados para as duas unidades – na Avenida Iguaçu, são produzidos só os pães franceses.

Serviço

Empório Kaminski, Avenida Sete de Setembro, 6355, Água Verde – (41) 3342-7371. Abre diariamente das 6h30 às 22h.

Kaminski, Avenida Iguaçú, 2735, Água Verde – (41) 3242-4072. Abre de segunda a sábado das 6h30 às 20h.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • J

    JOSE ADOLFO MUNTSCH

    ± 0 minutos

    Excelente qualidade de seus produtos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso