i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Cultura alimentar

Conheça o hábito chinês de comer polvo vivo e o que aconteceu com uma blogueira que mostrava ritual ao vivo

Jovem ficou com o rosto machucado ao ver que não conseguiria engolir o molusco; comer o bicho vivo é comum na China e nas Coreias

  • PorGuilherme Grandi
  • 09/05/2019 08:23
Conheça o hábito chinês de comer polvo vivo e o que aconteceu com uma blogueira que mostrava ritual ao vivo
| Foto:

Uma blogueira foi atacada por um polvo enquanto tentava comê-lo vivo na cidade de Lianyungang, no leste da China. A jovem transmitia o vídeo ao vivo em uma rede social chinesa quando viu que não conseguiria engoli-lo inteiro, e passou a tentar tirá-lo do rosto.

‘Little Seven’, como é conhecida, quis mostrar aos seus seguidores como é comer um polvo vivo – uma experiência comum na China e nas Coreias. No começo do vídeo, de 50 segundos, ela relata como é difícil ‘degustar’ o prato, já que o molusco ainda está se mexendo. Mas, algo sai errado e o animal passa a atacá-la, prendendo os tentáculos no rosto até ela desistir.

Origem

A experiência de comer o polvo vivo – e gravá-la para as redes sociais – se tornou tão comum na China quanto suas curiosas tradições. Não é difícil encontrar vídeos no YouTube ou outras plataformas com corajosos chineses engolindo-o sem medo.

Não se sabe exatamente quando este prato, conhecido como Sannakji, foi criado. Mas, os fãs desta iguaria consumem assim mesmo, ainda vivo, mas também cortado em pequenos pedaços – curiosamente continuam se mexendo – servidos com gergelim ou óleo de gergelim.

Só para se ter uma ideia da experiência, um polvo como esse tem cerca de 280 ventosas em cada um dos seus oito tentáculos, e algumas delas podem conter até mesmo substâncias químicas usadas para capturar animais – quando ainda estão no mar, claro. Há ainda o perigo do molusco entalar na garganta e sufocar enquanto é engolido, já que pode prender suas ventosas se não for bem mastigado (por isso, os estabelecimentos que vendem a iguaria recomendam mastigá-lo exaustivamente).

No caso da blogueira, dor, choro e pedidos de socorro se sucedem ao longo do vídeo, até terminar com as “marcas” do ataque nos lábios e na bochecha dela. Veja como foi:

Revanche
Apesar do ataque e dos perigos, a jovem ‘Little Seven’ prometeu dar o troco. “Eu vou comê-lo no próximo vídeo”, disse enquanto segurava a criatura em suas mãos. O vídeo alcançou os Trending Topics na rede social chinesa (semelhante ao Twitter).

Veja outros vídeos: 

A youtuber JaeYeol coleciona mais de quatro milhões de visualizações em um de seus curiosos vídeos. É possível ver até mesmo a tinta do polvo sendo solta em seus dedos:

Em outro vídeo compartilhado na plataforma, é possível ver pelo menos cinco polvos se mexendo (e a jovem degustando-os como se fosse algo corriqueiro):

Se você achou essa experiência curiosa, precisa conhecer uma outra também interessante: o churros de caixinha para comer no café da manhã.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.