Especialidades

Adega

O Vencedor

Barolo Trattoria

Quatro vezes indicadas ao Prêmio (2011, 2013, 2015 e 2018), nesta edição leva o título melhor do ano. O restaurante tem duas adegas, uma no salão superior, com capacidade para 400 garrafas, e outra no salão principal com capacidade para 1,2 mil garrafas. Ambas são climatizadas a 18ºC. Juntas, oferecem uma variedade de 245 rótulos de 12 países, entre as opções estão rótulos brasileiros, espanhóis, portugueses, italianos, argentinos e estadunidenses. O Pio Cesare Barolo, vinho produzido com a uva nebbiolo, originária da região italiana do Piemonte, é uma das estrelas. Preço: de R$ 85 (Anakena, Chile) a R$ 1.410 (Amaroni clássico Bertani, Vêneto).

Onde: Av. Silva Jardim, 2.487, Água Verde - (41) 3015-4500.

Atende: Almoço: de segunda a sexta, das 12h às 14h30; sábado das 12h às 15h30; domingo das 12h às 16h. Jantar: De segunda a quinta, das 19h à 0h; sexta e sábado das 19h à 0h30.

Voto: Guilherme Rodrigues e João Manoel Garcia da Costa

Hors-concours 10 anos

Restaurante Durski

Premiada como a melhor de Curitiba desde a primeira edição do Prêmio Bom Gourmet, a adega do restaurante não tem competidores à altura. Ela recebe todo ano a maioria dos votos dos jurados, como aconteceu novamente em 2019. Por isso, ela é muito mais que Hors-Concours (título dado aos que vencem mais de três vezes consecutivas no Prêmio). É insuperável e tem sua posição consagrada nacional e internacionalmente. É detentora de prêmios como a Melhor Adega do Brasil e também uma das mais reconhecidas no mundo, como o Best of Award of Excellence, da consagrada revista norte-americana Wine Spectator. São mais de 2.500 rótulos, composta por mais de 100 safras de 26 países, sendo a mais antiga do ano de 1780. Foi concebida pelo chef Junior Durski em 2006. O projeto arquitetônico é de Kethlen Ribas Durski e comporta mais de 15 mil garrafas. Compartilhada pelos restaurantes Madero Prime Steakhouse e Durski, é climatizada e dividida em três seções: uma para vinhos de maior rotatividade, outra para os estoques das marcas com maiores quantidades e a adega blindada, que abriga os vinhos de longa guarda. Alguns dos destaques são o celebrado Romanée Conti, da safra de 2009, o Château Haut-Brion de 1.934 e o famoso Château d’Yquem, melhor vinho branco doce do mundo, presente na adega com 78 safras. Preço: de R$ 39 (Convento da Serra, 2017) a R$ 165 mil (Romanée Conti, 2009).

Onde: Av. Jaime Reis, 254, São Francisco - (41) 98855-5383.

Atende: No almoço, sábado e domingo, das 12h às 15h. No jantar, de quarta a sábado, das 19h30 às 22h30.

Voto: Guilherme Rodrigues, João Manoel Garcia da Costa, Márcia Toccafondo e Rodrigo Linné Neto.

Hors-Concours 2019

La Varenne

É o terceiro ano consecutivo que leva os votos dos jurados e, por isso, ganha o título de Hors-Concours. Com capacidade para 1,2 mil garrafas ambientadas a 16ºC, o acervo da adega conta com 256 rótulos originários de 25 países. A carta tem vinhos de produtores exclusivos e outros menos comuns, de regiões como Marrocos, Peru, Israel e Macedônia. Além de rótulos tradicionais, oferece vinhos orgânicos, biodinâmicos e veganos, e uma ampla variedade de vinhos em taça. Entre as novas aquisições da carta está o raro vinho australiano Gran Muscat de Rutherglen, do reputado produtor Chambers. Preço: De R$ 88 (Casa do Salgueiro) a R$ 7.200 (Justino's Madeira Sercial, 1940).

Onde: Pátio Batel. Av. do Batel, 1.868, Piso L4 - (41) 3044-6600.

Atende: No almoço: de segunda a sábado, das 11h30 às 15h; domingo das 12h às 17h. No jantar: de segunda a quinta, das 19h às 23h; sexta e sábado, das 19h à 0h.

Votos: Rodrigo Linné Neto, João Manoel Garcia da Costa e Márcia Toccafondo

Nova Votação

Com o título de Hors-Concours conquistado pelo La Varenne, os jurados que indicaram a adega deste estabelecimento realizaram nova votação.

Conheça os indicados da categoria

Terra Madre Ristorante

A adega do restaurante é a loja da importadora Grand Cru, que fica anexa ao restaurante e tem em seu portfólio 1.500 rótulos de 14 países. Entre eles, produtores cultuados como Pulenta (Argentina), Vega Sicilia (Espanha), Chateau Margaux (França) e Ornellaia (Itália). Preço: de R$ 54,90 (Miluna, Itália) a R$ 9.000 (Chateau d’ Yquem, França).

Onde: Rua Desembargador Otávio do Amaral, 515, Bigorrilho - (41) 3335-6070.

Atende: Terça à quinta, das 19h30 à 0h; sexta, das 19h à 0h; sábado, das 12h às 15h30 e das 20h à 0h; domingo, das 12h às 15h30.

Voto: Nilson Nishimura

Bar do Victor

A adega tem 180 rótulos do Velho ao Novo Mundo. É climatizada e abastecida por importantes parceiros do mercado, resultando numa carta de vinhos atualizada e com boa relação custo-benefício. O sommelier Luciano Basuc dá suporte e realiza o serviço aos apreciadores de vinho. Preço: De R$ 52 (vinho verde Messias Santola, Portugal) a R$ 7.500 (Domaine Comte Georges de Vogue Musigny Grand Cru 'Cuvee Vieilles Vignes, 2005).

Onde: R. Livio Moreira, 284, São Lourenço - (41) 3353-1920.

Atende: No almoço: de segunda a sexta, das 11h30 às 14h30; sábado, das 11h30 às 16h; domingo, das 11h30 às 16h. No jantar: de terça a sexta, das 18h às 23h; sábado, das 19h às 23h30.

Voto: Rodrigo Linné Neto

Porcini Trattoria

Construída no subsolo da casa, um teto de vidro permite ser visualizada no hall de entrada. São mais de 500 rótulos. O ambiente é climatizado a 16ºC e tem capacidade para 1500 garrafas. Compõem o acervo vinhos tintos, brancos, rosés, espumantes, champagnes, vinhos de sobremesa e fortificados. Preço: De R$ 79 (Korbelli nero d'avola) a R$ 55 mil (Porto Niepoort, 1912).

Onde: R. Buenos Aires, 277, Batel - (41) 3022-5115.

Atende: De terça a sábado, das 12h à 0h; domingo, das 12h às 16h; segunda, das 19h à 0h.

Voto: Márcia Toccafondo

Quem são os jurados que deram suas indicações na categoria:

Marcia Toccafondo

Advogada por formação, colunista, blogueira e enófila, há 11 anos integra a Confraria Feminina do Vinho de Curitiba. É encantada pela arte da boa mesa: reunir amigos para provar seus pratos é uma de suas paixões.

Rodrigo Linné Neto

São os vinhos e a gastronomia que motivam o advogado a viajar pelo mundo, sempre em busca de novos sabores em adegas e restaurantes. Participa de confrarias no Brasil e na Europa.

Nilson Nishimura

O empresário da Elco Engenharia dedica parte de seus momentos de lazer para aprender cada vez mais sobre vinhos. Se tornou sommelier e é membro da Confraria Rolha 16 e da Vignerons de Coeur (Vinheteiros do Coração) da Borgonha, na França.

Guilherme Rodrigues

Colunista do Bom Gourmet há mais de 10 anos, o advogado é um dos maiores conhecedores de vinho do Brasil. É membro de importantes confrarias, viaja o mundo e conhece o melhor da gastronomia.

João Manoel Garcia da Costa

Além da medicina, o vinho é uma de suas paixões. O médico conhece vinícolas de várias regiões do mundo. Faz parte da Confraria dos Cavaleiros da Ordem do Bebedouro e dos Enófilos da Bairrada e do Vinho do Porto.
Veja também os vencedores de:
Sabor Popular 23 Categorias

Últimas

Apresenta
Apoio
Apoio Técnico