Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Pão arrematado durante a live.
Pão arrematado durante a live.| Foto: Divulgação

Que o pão de fermentação natural tem um grande valor agregado, dado o esmero no seu processo produtivo, já é de conhecimento (quase) geral. Mas já imaginou pagar R$ 550 reais em uma unidade de 1,5 kg do produto? Foi este o maior lance do leilão beneficente realizado durante a live "Do campo à mesa: pão quentinho do Paraná à sua mesa" , realizada pelo Sebrae-PR nesta quarta-feira (29), para valorizar a farinha e ensinar a fazer pão, neste momento em que muita gente está buscando informações para fazer em casa.

O valor do arremate feito por um entusiasta do pão em Curitiba, somado a R$ 550 doados pela Moageira Irati e mais R$ 200 de outro generoso participante da live, totalizando R$ 1.300, vai para a Associação Lar Criança Arteira, em Curitiba, que atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

O pão em questão foi preparado, ao vivo, pelo chef boulanger Rodrigo Santiago, da Chicago Bakery, na cozinha da padaria. "Um dos segredos do pão de campanha [pain de campagne, um pão rústico francês] está na qualidade da farinha, parte fundamental do processo de fermentação", explicou Santiago. Ele também reforçou a importância da sova para ajudar na estruturação da massa e torná-la mais elástica. Outro cuidado é no processo da dobra, que Santiago faz de 15 em 15 minutos. O chef também deu uma dica de como criar o vapor no forno, na hora de assar o pão. "É possível borrifar água dentro do forno ou ainda assar o pão dentro de uma panela", explicou.

Rodrigo Santiago, da Chicago Bakery, e um exemplar do pão de campanha arrematado no leilão.
Rodrigo Santiago, da Chicago Bakery, e um exemplar do pão de campanha arrematado no leilão.| Divulgação/Sebrae

Um dos anfitriões da live, Eduardo Freire Feliz, do Lucca Cafés Especiais, que também trabalha com pães de fermentação natural, reforçou a importância de sempre usar a mesma farinha de qualidade na produção. "É assim que é possível ver a evolução da qualidade do pão que a gente faz".

O diretor-executivo da Trilhas do Trigo, Divanildo Carvalho, disse que para se chegar a uma farinha de qualidade, é necessário respeito de toda a cadeia produtiva. "O cuidado é desde a seleção das sementes, do cuidado do produtor em obter o melhor trigo e também com o processo de segregação, que permite separar o tipo de farinha ideal para a preparação do pão."

Para ter certeza da qualidade da matéria-prima, são feitos testes com a produção de pães, como acontece na Moageira Irati, produtora do chamado trigo de origem. "Quando aprovada, a farinha é ensacada e recebe um QR Code que revela o nome da semente, do produtor, da propriedade e dá todos os detalhes de certificação da qualidade do produto".

Na próxima quarta-feira (5), também às 16h, será realizada uma nova live, desta vez com uma receita ao vivo de Eduardo Freire Feliz, do Lucca Cafés Especiais, e com a presença do também panificador Oscar Luzardo, de La Panoteca. Mais uma vez, será feito um leilão durante o bate-papo sobre panificação. Mais informações e o link para as inscrições gratuitas podem ser obtidas no site do Sebrae.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]