Bar do Celso

Bar do Celso

A rara cerveja de Berlim

Com 30% a 50% de trigo e sabor ácido, a Berliner Weisse é típica da capital alemã

por Luis Celso Jr. Publicado em 03/12/2014 às 23h
Compartilhe

Um estilo de cerveja raro, feito com 30% a 50% de trigo, de sabor ácido e distante. Era assim que os brasileiros conheciam a Berliner Weisse, cerveja típica da capital alemã, fabricada hoje por apenas duas cervejarias no mundo e servida só por lá mesmo. O que muda agora é a proximidade. Finalmente uma representante desse curioso estilo começa a ser importada para o Brasil: Berliner Kindl.

Não se sabe ao certo quando ou como esse tipo de cerveja teria surgido. Os primeiros registros são do século 16. Além da fermentação alcoólica, essa cerveja tem também fermentação ácida por bactérias láticas (lactobacilos), o que lhe confere um sabor suavemente ácido típico – bem distante da agressividade das Lembic belga. Além disso, há presença de um leve frutado cítrico no aroma e couro. Ou seja, também não lembra em nada a Weizenbier do sul da Alemanha, estilo mais conhecido por aqui. A Berliner Weisse teria feito muito sucesso na região tempos depois, a partir do século 17. Uma história sempre lembrada sobre ela é que foi chamada de “champanhe do norte” por Napoleão, que invadiu o país em 1806. No século 19, mais de 700 cervejarias produziam o estilo na região. O consumo e a fabricação decaíram logo após a Segunda Guerra Mundial e hoje está quase extinto.

Para seguir a Lei da Pureza, a cerveja não leva a adição de frutas. Mas é comum entre os habitantes da região que ela seja consumida com xarope de frutas, normalmente framboesa ou aspérula (uma planta medicinal, aromática de coloração verde e com flores brancas). Quando colocadas ao lado da versão pura, de cor amarela, formam o que os alemãs chamam de ampel, ou semáforo em bom português.

Além da pura, as versões que começam a chegar por aqui são com aspérula, framboesa e cassis, já engarrafadas com o xarope. A Berliner Kindl é a produtora mais tradicional ainda em atividade. Mas é curioso que em outras partes do mundo algumas cervejarias estão reproduzindo esse estilo, tentando manter a tradição viva. No entanto, não podem ser chamadas de Berliner Weisse. O termo é uma protegido legalmente por denominação de origem controlada (D.O.C).

* Os preços servem apenas como referência. São valores aproximados, com base nas indicações dos fornecedores.

***

Luis Celso Jr. é jornalista,blogueiro e sommelier de cervejas

bardocelso@gmail.com / www.gazetadopovo.com.br/blog/bardocelso

Compartilhe

8 recomendações para você