Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A banana faz parte da cultural gastronômica brasileira.
A banana faz parte da cultural gastronômica brasileira.| Foto: Bigstock

Se tem uma fruta que é quase que unanimidade no gosto popular é a banana. Além de tudo, é democrática: combina com pratos doces e salgados, dos mais simples aos mais sofisticados. A diversidade se estende aos tipos de banana, que são muitos e variam na textura da fruta, na espessura da casca e até mesmo na coloração.

“De Norte a Sul do país se consome banana. É um alimento que, sem dúvida, está presente na vida dos brasileiros e é um ingrediente muito rico e que aceita diversas formas de preparo”, conta a chef Vânia Kreknisk, proprietária do Restaurante Limoeiro.

Outro ponto forte da banana é que, na gastronomia, ela pode ser utilizada em diferentes estágios de amadurecimento. “Se queremos fazer um purê, por exemplo, podemos utilizá-la mais madura. Mas, para um tartar de banana, a fruta deve estar mais verde. Dessa forma, a polpa não estará tão macia”, ensina Vânia. O estágio de amadurecimento da banana, segundo a chef, interfere não apenas na textura do prato, mas também no sabor. “Afinal, quanto mais madura, mais doce ela estará”, explica.

Banana é coringa para preparações doces e salgadas.
Banana é coringa para preparações doces e salgadas. | Bigstock

A doçura da fruta, no entanto, não é determinante para que ela seja utilizada apenas em preparos doces. A banana é um coringa, que funciona bem com diversos pratos, inclusive os salgados – prova disso é que a fruta é o acompanhamento perfeito para o tradicional barreado paranaense.

Produção nacional

Bananas sobre a mesa.
Banana-prata, a banana-caturra e a banana-maçã são as mais cultivadas no Brasil. | Bigstock

O Brasil é o sétimo maior produtor de banana no mundo, com 4,4% da bananicultura mundial, e o Paraná é o 11º estado produtor do país. Apesar disso, engana-se quem pensa que é paranaense boa parte das bananas que consumimos no por aqui, em especial no litoral. De acordo com Paulo Andrade, engenheiro agrônomo da Secretaria de Agricultura do Paraná (SEAB), nossa produção não é tão expressiva quanto a produção dos nossos vizinhos Santa Catarina e São Paulo – o maior produtor nacional.

“As regiões do Vale do Itajaí e do Vale da Ribeira são grandes produtoras e também são importantes fornecedoras da fruta para o Paraná. Aqui no Estado o município que mais cultiva a fruta é Guaratuba, no litoral”, afirma.

No mundo, há diversos tipos de banana, mas os mais cultivados e consumidos no Brasil são a banana-prata, a banana-caturra e a banana-maçã. A prata e a caturra (também chamada de cavendish, nanica ou banana-d’água) têm características muito parecidas. Ambas são levemente curvas e com formato mais alongado; têm textura macia, sabor doce e levemente ácido. O que as diferencia é a casca: enquanto a prata possui a casca mais fina, na caturra apresenta a casca é mais espessa.

Já a banana-maçã é pequena e um pouco curva, com casca fina e polpa rosada, de textura úmida e macia. O nome dessa banana se deve ao sabor, que é adocicado e mais ácido, como a maçã. Além destes tipos mais comuns, também encontramos no Brasil a banana-ouro, que apresenta textura macia e é mais doce e menor que os tipos anteriores.

Parece banana, mas não é

Na foto, banana fora da casca.
A banana-da-terra deve ser consumida aquecida. | Bigstock

Aqui no Paraná é comum vermos, na serra que leva ao litoral, uma fruta mais alongada, maior do que as outras bananas, com casca fina e formato pouco curvo. Essa é a chamada banana-da-terra. Mas, às vezes, as aparências enganam. E, apesar da cor amarela e do nome, essa banana não é, de fato, uma banana. “O que conhecemos como banana-da-terra, na verdade, se chama plátano. É um primo da banana, que geneticamente é um pouco diferente da banana de fato”, explica o agrônomo Paulo Andrade.

Os plátanos também são conhecidos como “bananas de cozer”, pois não são agradáveis para consumo in natura, e são muito utilizados em diversos pratos doces e salgados. Curiosamente, plátano significa banana em espanhol, mas, por aqui, o plátano tem apenas um parentesco com a nossa tradicional banana.

Tlápia braseada servida com gnocchi de banana ao molho bisque

Vânia Kreknisk
PreparoMédia

Ingredientes

  • PEIXE
  • 4 filés de tilápia
  • 1 limão
  • 1 alho
  • Sal
  • Pimenta-do-reino
  • Vinho Branco
  • Azeite
  • Alfavaca
  • GNOCCHI DE BANANA
  • 450g de banana-caturra madura com casca
  • 80g de parmesão ralado
  • 1 xícara de chá de farinha de trigo
  • 2 colheres de azeite
  • Sal a gosto
  • Pimenta a gosto
  • MANTEIGA DE SÁLVIA
  • 5g de sálvia
  • 20g de manteiga sem sal
  • BISQUE
  • 1,5 kg de camarão médio
  • 1/4 de xícara de azeite
  • 1/2 xícara de vinho branco seco
  • 1,5 l de água
  • 1,5 colher (chá) de sal
  • 1/4 de xícara de suco de limão
  • 1 cebola média cortada em pedaços
  • 4 tomates sem pele e sem sementes cortados em pedaços
  • 2 xícaras de creme de leite fresco
  • 3 colheres (sopa) de mostarda preparada
Na foto, prato feito com tilápia e nhoque de banana.
| Bigstock

Instruções

MODO DE PREPARO - Bisque:

  1. Limpe os camarões, reserve a casca e descarte a cabeça. Numa panela média, aqueça metade do azeite em fogo médio. Junte as cascas do camarão e frite por dois minutos.
  2. Junte o vinho branco e deixe evaporar. Adicione a água e abaixe o fogo. Deixe ferver por 20 minutos. Retire do fogo e bata no liquidificador. Passe por uma peneira fina e reserve.
  3. Tempere o camarão limpo com o sal e o suco de limão. Numa panela, aqueça o azeite restante. Junte a cebola e frite até ficar macia.
  4. Acrescente o tomate e refogue por cinco minutos ou até o tomate ficar macio. Acrescente o camarão e cozinhe por cinco minutos ou até ficar rosado.
  5. Retire do fogo e transfira para o liquidificador. Bata com o caldo reservado aquecido até ficar homogêneo.
  6. Coloque de volta na panela, junte o creme de leite fresco e leve ao fogo médio até aquecer bem. Junte a mostarda, misture e sirva.

MODO DE PREPARO - Gnocchi de banana:

  1. Envolva as bananas no papel alumínio e coloque no forno a 180° C.
  2. Depois de assadas, amasse as bananas ainda mornas e misture com todos os ingredientes.
  3. Modele a massa em um rolinho e corte as bolinhas do nhoque.
  4. Doure o nhoque na manteiga e sirva com as folhas de sálvia crocante.

MODO DE PREPARO - Manteiga de sálvia:

  1. Derreta a manteiga no fogo baixo e adicione a sálvia para aromatizar a manteiga.

MODO DE PREPARO - Peixe:

  1. Em uma tigela, junte o alho, o limão, a alfavaca, o vinho, o azeite, misture bem com um mixer e coloque o peixe. Reserve por 10 minutos.
  2. Aqueça uma frigideira em fogo médio com uma colher de sopa de azeite de oliva, tempere os filés com sal e pimenta, coloque para grelhar com a pele para baixo. Grelhe por aproximadamente 4 minutos o lado da pele;
  3. Vire e adicione o molho preparado e deixe por mais dois minutos.
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]