i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Variedade

La Violetera entra na casa das pessoas com produtos especiais para ajudar os “novos chefs”

  • Por Gisele Rech
  • 15/07/2020 20:09
O mix de produtos chega a mais de 250 itens, incluindo conservas e condimentos, massas, molhos, frutas em calda, entre outros.
O mix de produtos chega a mais de 250 itens, incluindo conservas e condimentos, massas, molhos, frutas em calda, entre outros.| Foto: Divulgação

Se você (re)descobriu a cozinha durante a quarentena, possivelmente já passou pelas suas mãos algum produto da La Violetera, cujos carros-chefe são os azeites e azeitonas. E o papel que a marca quase centenária quer assumir, neste momento tão delicado pelo qual passamos, é levar, cada vez mais, os melhores sabores do mundo para a mesa dos consumidores brasileiros. Para reforçar esta missão, a La Violetera passa a ser uma das parceiras no projeto Redescubra a Cozinha, Redescubra o Amor, do Bom Gourmet.

O CEO da La Violetera, Luiz Carlos Siciliano, acredita na tendência cada vez mais forte do ato de cozinhar em família. "A cozinha passou a ser um local que a família se reúne para cozinhar junto, aflorando a criatividade e o gosto por cozinhar em casa. E estamos atentos para surpreender estes novos “chefs de cozinha” que estão se destacando".

Antes da pandemia, já no final do ano passado, a La Violetera passava por um processo de transformação, que foi acelerado em função das mudanças provocadas pela disseminação do novo coronavírus. "Começamos o processo de remodelação das nossas plataformas digitais com investimento no e-commerce, aceleramos nossa eficiência dentro da fábrica e um maior controle dos custos internos", explica Siciliano. Estes ajustes permitiram que, mesmo que a maioria dos produtos da marca seja importado, o repasse integral ao consumidor não fosse feito.

Dentro da fábrica, que fica na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), os cuidados sempre foram intensos, já que o produto alimentício requer atenção especial no quesito higiene. Mas, com a chegada da Covid-19, os trabalhos de controle se intensificaram. Além de colocarem a maior parte dos colaboradores em home office, a empresa também aumentou o distanciamento entre os trabalhadores da fábrica, passou a fazer medições de temperatura três vezes ao dia e isolamento para aqueles que apresentarem o menor sintoma.

"Também reduzimos a capacidade do nosso refeitório para 1/3 da ocupação e separamos os espaços com divisórias de acrílico", explica o CEO. A empresa também dispõe de ônibus próprios para buscar e levar os colaboradores e muitos passaram a ser entregues na porta de casa. "Com esta e outras medidas estamos conseguindo manter o nosso time e funcionamento normal da nossa a fábrica", finaliza Siciliano.

História

Próxima de completar 100 anos, a La Violetera foi fundada em 1928 pelo imigrante libanês Hassan Mohamed Raad, com o nome inicial de Imperatriz das Frutas. O foco, inicialmente, era a comercialização de frutas compradas no litoral do Paraná, mas após alguns anos tornou-se pioneira na importação de frutas frescas da Argentina.

Quatro décadas depois, em 1967, a empresa passou a se chamar Importadora de Frutas Filomena, com aumento do número de fornecedores e países de onde importava (Chile, Estados Unidos e quatro europeus: Portugal, Espanha, França e Itália). Foi neste momento que foi inaugurada a sua loja anexa ao Mercado Municipal de Curitiba, que faz parte da paisagem da região central.

A loja da La Violetera fica na esquina da avenida Sete de Setembro com a General Carneiro. Foto: Divulgação
A loja da La Violetera fica na esquina da avenida Sete de Setembro com a General Carneiro. Foto: Divulgação

No entanto, o nome atual, La Violetera, surgiu apenas em 1973 e a inspiração veio de uma atriz e cantora espanhola chamada Sara (Sarita) Montiel, que estrelou o filme La Violetera, anos antes. A referência somou-se a imagem de uma bela espanhola que estampava a capa da revista da companhia aérea Ibéria, que encantou o filho do senhor Raad em uma viagem à Espanha. Da combinação dessas inspirações, nasceu novo nome e a presença da bela “Sarita”, que pode ser apreciada nas embalagens e peças publicitárias da marca.

A empresa conta, ainda, com outras marcas, como a La Preferida, para produtos com boa relação de custo/benefício, a Mastroiani, voltada ao segmento premium, a Granoro na comercialização de massas tradicionais e italianíssimas e as marcas Nootz e VC+ dedicada à comercialização de snacks. O mix de produtos chega hoje a mais de 250 itens, incluindo conservas e condimentos, massas, molhos, frutas em calda, entre outros.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.