Bebidas

Medida governamental

Reino Unido aumentará preço de bebidas alcoólicas

Medida do governo britânico pretende estabelecer preço mínimo para vinhos, destilados, cervejas e outros itens. Garrafa de vodca pode custar a partir de R$ 40

por EFE Publicado em 11/02/2014 às 09h
Compartilhe

O governo britânico anunciou na semana passada que proibirá a partir de 6 de abril a venda de álcool a preço muito baixo nos estabelecimentos da Inglaterra e País de Gales. A lei estabelecerá um preço base para o álcool, que para uma garrafa de vinho será de 2,24 libras (pouco mais de R$ 8) e para uma de vodca e outros destilados será de 10,16 libras (cerca de R$ 39).

Além disso, o governo impedirá grandes descontos nos produtos alcoólicos. A norma não necessitará passar pelo Parlamento para entrar em vigor, informou o departamento de Interior.

“Esta é parte de uma ampla gama de medidas que estamos tomando destinadas a lutar contra o abuso do álcool”, disse o secretário de Estado de Interior, Norman Baker, que lembrou que a criminalidade ligada ao consumo de álcool custa anualmente ao país cerca de 11 milhões de libras (R$ 43 milhões). A medida do governo do conservador David Cameron deixará isentas as cervejas de baixo teor alcoólico (1,2% ou menos) e os estabelecimentos de venda “duty free” (livre de impostos), como os de aeroportos.

Se estima que esta medida pode fazer a venda de álcool cair em 1,3%. Segundo um estudo de 2008 da Comissão de Concorrência, seis das sete maiores cadeias de supermercados do Reino Unido vendiam álcool abaixo de seu preço real.

Eric Appleby, diretor da Álcool Concern, a maior organização beneficente que combate a dependência do álcool, disse após o anúncio que “a ideia de proibir as vendas abaixo de seu custo real é confusa e quase impossível de se implementar”.

 

 

 

Compartilhe

8 recomendações para você