Restaurantes

JURERÊ INTERNACIONAL

Bar de Floripa tem pratos e drinks inspirados em esmeraldas e rubis

Em Jurerê Internacional, a casa apresenta um menu inspirado em joias como risoto de aspargos (R$ 55) e pescada amarela (R$ 62)

por Juliana Gomes, de Florianópolis, especial para a Gazeta do Povo Publicado em 26/10/2017 às 17h
Compartilhe

Natural de Florianópolis, o chef Rafael Campagnolo, de 34 anos, já passou por grandes desafios em sua trajetória gastronômica. Entre eles, o comando da cozinha de grandes hotéis e a gestão do próprio restaurante. Mas elaborar um cardápio de pratos e drinks inspirados em joias foi o mais recente.

Inédito em Santa Catarina, a proposta do Positano Diamond Bar By D’Vie é misturar gastronomia e joalheria no mesmo espaço. O resultado: os aspargos do risoto foram inspirados nas esmeraldas e o polvo a lagareiro, nos rubis. Entre um drink e outro, os clientes podem comprar as joias disponíveis no espaço.

“Quando eu vi, estava com uma pilha de catálogos de joias nas mãos e precisava tirar alguma coisa dali. Foi difícil, mas gostei do desafio. No geral, fiz a associação com as cores mesmo, principalmente pros drinks. Se um drink é baseado na esmeralda, ele precisa ser verde. Nos pratos, fui também pela sofisticação. Levei dez dias para pensar em tudo”, explica o chef.

O bar fica dentro do Resort Il Campanario, em Jurerê Internacional, mas há uma entrada própria, disponível na lateral do hotel. Desde a abertura, há cerca de um mês, o local costuma ser muito disputado à noite, até na segunda-feira. Como são apenas 38 lugares, quem não é fã de sentar no balcão pode reservar uma mesa. Em novembro, o bar também ganhará apresentações fixas de pianistas e artistas locais.

O salão do Positano Diamond Bar costuma ser muito disputado nas noites de segunda e quinta, além do fim de semana.

O salão do Positano Diamond Bar costuma ser muito disputado nas noites de segunda e quinta, além do fim de semana. Foto: Lucas Moço.

O menu vai variar de acordo com as estações do ano. No verão, devem sair os pratos mais quentes, como os risotos, e entrar opções refrescantes a base da prata da casa, os frutos do mar. Sobre os as novidades das próximas semanas, o chef Rafael Campagnolo garantiu a presença das ostras frescas, embora a captura tenha sido proibida em todo o litoral catarinense pela presença de uma toxina potencialmente mortal.

O cardápio não fugiu do conceito do renomado restaurante do hotel, sob o comando do mesmo chef. Ambos têm inspiração na cozinha italiana, que nunca deixou de ser tendência em Floripa. Mas há uma pegada asiática nos molhos, que mesclam diversas especiarias com um toque picante. Um exemplo é o prato te quero, te quero (R$ 58), composto de lombo de atum envolto em gergelim, levemente selado, com molho oriental.

O te quero, te espero é feito de atum selado com crosta de gergelim e está entre as estrelas da casa.

O te quero, te espero é feito de atum selado com crosta de gergelim e está entre as estrelas da casa. Foto: Lucas Moço.

De acordo com o chef, não há um prato específico que faça mais sucesso entre os clientes. No entanto, os maiores elogios ficam por conta da pescada amarela, grelhada no azeite, que acompanha arroz negro com castanha, soffrito, pesto, legumes crocantes e espuma de conchas. A porção é individual e sai por R$ 62. O polvo a lagareiro, que custa R$ 70, também compõe a lista dos mais pedidos. Ele é servido com batatas assadas ao alecrim, alho assado e salteado de tomates com ervas e azeite.

Pra quem prefere a gastronomia tupiniquim, o chef recomenda um risoto com cheiro de moqueca. Chamado de redescobrindo o Brasil (R$ 63), o prato é feito de arroz arbóreo cozido no caldo de peixe, além de camarões, polvo, lulas, mariscos, ostras e muito dendê. Para finalizar: queijo parmesão, manteiga, leite de coco e um azeite aromatizado com coentro.

Redescobrindo o Brasil é um risoto para amantes da moqueca. O prato sair por R$ 63. Foto: Lucas Moço.

Redescobrindo o Brasil é um risoto para amantes da moqueca. O prato sair por R$ 63. Foto: Lucas Moço.

Ainda entre os risotos, o mar de esmeraldas está entre as opções para ovolactovegetarianos. A porção sai por R$ 55 e leva aspargos, limão siciliano e um creme de queijo que lembra iogurte. O prato é uma criação da casa e o chef faz questão de manter a receita sob sete chaves.

Para beber, há um extensa carta de gim e outra de vinhos e espumantes. Os drinks saem todos pelo mesmo preço: R$ 25. Entre os autorais, inspirados nas joias, estão o sublime D’Vie, que leva gim, rum, triple sec e twist de limão, além do double diamond D’Vie, feito com vodca, limão siciliano e licor fino de laranja.

As opções de sobremesa são enxutas, mas não passam despercebidas. O cremeux de chocolate, que mistura creme inglês com chocolate amargo, tuille de amêndoas, laranja e calda de maracujá é uma boa pedida pra dividir. A porção sai por R$ 20.

  • restaurante em Jurerê
  • restaurante em Jurerê
  • restaurante em Jurerê
  • restaurante em Jurerê
  • restaurante em JurerêO chef Rafael Campagnolo na montagem do risoto mar de esmeraldas, que leva aspargos na composição. Foto: Juliana Gomes.
  • restaurante em JurerêAs pedras de esmeralda são a inspiração desse prato, feito de aspargos com limão siciliano. O creme de queijo que finaliza o risoto é segredo do chef. Foto: Lucas Moço.
  • restaurante em JurerêNo cardápio de drinks da casa, há os tradicionais mojitos, margaritas e aperol spritz, além de drinks autorais inspirados em joias, como o sublime D'Vie. Foto: Lucas Moço.
  • restaurante em JurerêO cremeux sai por R$ 20 e mistura creme inglês com chocolate amargo. Foto: Juliana Gomes.

Mas não é só o cardápio inspirado nas joais que faz do Positano um bar único. O chef Rafael conta que também trata os insumos que chegam na sua cozinha como pedras preciosas. Os ostras vêm da cidade de Palhoça, na Grande Florianópolis, porque o cozinheiro acredita que elas são mais saborosas quando produzidas em praias de mar aberto. Ficam com um sabor mais característico de sal e são menores, o que concentra o sabor. O atum chega sempre fresco, da região de Itajaí. Em geral, são compradas peças de 40 quilos de duas a três vezes por semana. Também são catarinenses o mel e a manteiga usadas pelo chef. De fora, vêm o arroz arbóreo, o azeite, o molho de tomate pelado, o salmão e os aspargos.

Entre os vegetais, a cenoura é a melhor amiga do chef. Vai em quase todos os pratos. No molho de tomate, por exemplo, entra pra ajudar a controlar a acidez. Também é indispensável no caldo de legumes que serve de base para os risotos.

A maior parte dos temperos são oriundos do próprio quintal. Em cada espaço verde do resort é possível encontrar árvores frutíferas, raízes e temperos plantados, que acabam indo pro bar e pro restaurante. Há desde jabuticabeiras e pés de lavanda até salsinha, manjericão e erva doce. Tudo cultivado com o composto orgânico feito a partir da compostagem do lixo produzido no hotel.

Serviço

Av. dos Búzios, 1.760, Jurerê Internacional. Florianópolis. Aberto diariamente das 9h às 23h. Reservas: (48) 3261-6000 / 3261-6096.

LEIA TAMBÉM

Onde comer e beber no litoral de Santa Catarina

Sorveteria italiana vira febre em Floripa

Floripa tem restaurante especializado em mandioca

Compartilhe

8 recomendações para você