Pessoas

bodas de ouro

Há 50 anos juntos, casal mantém restaurante em Santa Felicidade cozinhando todos os dias

Restaurante em Santa Felicidade abriu em 2009, mas a união das panelas de Claudinei e Felicidade completa bodas de ouro

por Ronise Vilela, especial para Gazeta do Povo Publicado em 07/10/2017 às 14h
Compartilhe

Claudinei Trog e Felicidade Trevisan Trog, o casal “Felicidade”, completa 50 anos de casados dia 3 de novembro. E as bodas de ouro não são apenas do casal: há cinco décadas eles dividem também as panelas, em uma história que começou há 52 anos no antigo restaurante Cascatinha, no bairro gastronômico de Santa Felicidade.

Felicidade, aliás, deixou de ser nome próprio, substantivo feminino ou meta de vida: virou a referência do bairro. O filho de alemão e a filha de italianos abriram em 2009 o Fellini Pani Pasta Dolci, no número 4.227 da Avenida Manoel Ribas, onde dona Felicidade morou. O casal trabalha junto desde então, cozinhando todos os dias no restaurante com os filhos Marco Aurélio e Mariane na equipe, em casa e nos almoços beneficentes da igreja São Judas Tadeu. Qual seria o segredo para manter a união? Claudinei diz ser imprescindível “o amor, a tolerância, a confiança e religiosidade”.

O encontro da felicidade

Seu Claudinei, um homem empreendedor e versátil, tem 73 anos. Começou na cozinha aos 12 anos, no Cristo Rei, quando ajudava o pai com problemas de vista e uma aposentadoria precoce. Serviam pratos em uma pensão e ali começou a logística de entregas, a ajudar na cozinha e a servir mesas. Depois, sua família teve uma empresa de móveis, uma mercearia de secos e molhados na Rua Comendador Macedo e duas bancas no Mercado Municipal, uma delas com produtos importados.

Foi durante um negócio em um açougue de Santa Felicidade, no começo dos anos 1960, que o encontro aconteceu. “Tinha uma lambreta, era solteiro. Logo soube de uma italiana que disseram que estava apaixonada por mim e diziam o mesmo de mim para ela”, ri o cozinheiro.

Felicidade e Claudinei se conheceram no restaurante Cascatinha, onde faziam serviços gerais. Os dois estavam sempre entre as panelas preparando a comida típica de Santa Felicidade: risoto, salada de radiche com bacon e vinagre de vinho tinto, polenta frita e frango. Desde a troca de olhares até o casamento entre o “Alemão” como era chamado Claudinei, e a “Princesa da Festa Uva”, alcunha dada à Dona Felicità por amigos, passaram-se dois anos.

  • Fachada do restaurante Fellini, em Santa Felicidade. Foto: Fred Kendi/Gazeta do Povo
  • Polenta frita do restaurante Fellini, a entrada cortesia da casa. Foto: Divulgação
  • Cheesecake com calda de frutas vermelhas do restaurante Fellini. Foto: Divulgação
  • Claudinei e Felicidade: 50 anos de amor e panelas. Foto: Divulgação
  • Claudinei Trog no preparo das carnes do Fellini. Foto: Divulgação
  • Dona Felicidade, a Felicità, e seu sorriso no preparo dos pratos do Fellini. Foto: Divulgação
  • Foto: Fred Kendi/Gazeta do Povo
  • Mignon com risoto, um dos pratos do Fellini. Foto: Divulgação
  • Fachada do restaurante Fellini, em Santa Felicidade. Foto: Fred Kendi/Gazeta do PovoFachada do restaurante Fellini, em Santa Felicidade. Foto: Fred Kendi/Gazeta do Povo
  • Polenta frita do restaurante Fellini, a entrada cortesia da casa. Foto: DivulgaçãoPolenta frita do restaurante Fellini, a entrada cortesia da casa. Foto: Divulgação
  • Cheesecake com calda de frutas vermelhas do restaurante Fellini. Foto: DivulgaçãoCheesecake com calda de frutas vermelhas do restaurante Fellini. Foto: Divulgação

Fellini, o restaurante

A saga empreendedora da família formada por Claudinei e Felicidade se consolidou com uma fábrica de móveis na década de 1980. Em 2009, inauguraram o Fellini, uma homenagem ao cineasta italiano Federico Fellini. O nome foi sugerido pela filha Mariane Trog, uma apaixonada pela sétima arte, que imprimiu na antiga casa da família da mãe, a decoração temática cinema e a administração do restaurante.

No cardápio do Fellini, a famosa porção de polenta frita é feita de fubá de milho branco abre as refeições como entrada cortesia. Nos pratos principais, lasanha à bolonhesa e bife à milanesa são destaques. Junto da casa, há um espaço reservado para pequenos eventos, em que os convidados são recebidos com o calor humano da família Trog.

O casal folga apenas aos domingos, quando Claudinei vai à missa e reserva o dia para a família. Ele comanda a estação de carnes da cozinha, enquanto Felicità cuida das saladas e guarnições. A cada 40 dias, o casal trabalha voluntariamente na cozinha da igreja São Judas Tadeu, servindo até mil refeições por dia.

 

***

Compartilhe

8 recomendações para você