Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
comida africana
Soso ya muamba (frango com pasta de amendoim) um dos pratos do Merci Afrik.| Foto: Divulgação

Um novo restaurante promete trazer mais diversidade para a gastronomia já diversificada de Curitiba. O Merci Afrik apresenta comida típica africana, com seus temperos e nova forma de cozinhar produtos conhecidos no Brasil. Atualmente, o restaurante funciona com sistema delivery e entrega no balcão apenas aos sábados, mas nas próximas semanas o atendimento será ampliado.

A casa promete pratos bem temperados, preparados com amendoim, couve, opções vegetarianas ou carne, e servidos com Fufu ou Kwanga. Esses acompanhamentos são pouco conhecidos por aqui. O Fufu é feito com base de fubá e farinha de mandioca e o Kwanga com base de mandioca.

A chef Gloire Mvángi, proprietária do Merci Afrik, conta que o menu começa com pratos congoleses, sua terra natal, e que aos poucos vai introduzir comida africana de outras regiões. Em Curitiba desde 2007, Gloire diz que nunca sentiu falta da comida africana porque encontrou aqui tudo que precisava para cozinhá-la. “O que não encontrei, como Fumbwa, eu substituo por couve, que é uma folha muito parecida. Alguns temperos para fazer a pasta de mandioca são difíceis de achar em Curitiba, mas sempre tem alguém que traz do Mercado dos Africanos, em São Paulo”, conta.

Cardápio

Dentre os pratos do cardápio de inauguração estão o Mipazi – costela defumada com beringela, cebola e alho (R$ 33 o tamanho M e R$ 38 o G); Ngulu Gombo – carne suína e quiabo (R$ 23 tamanho M e R$ 30 o G); Makayabu, prato congolês com bacalhau (R$ 34 M e R$ 39 G); o Makayabu na Nkovi – couve amendoim, tomate, cebola e bacalhau (R$ 35 M e R$ 45 G), e o Soso ya Mwamba - frango feito com molho a base de amendoim (R$ 23 M e R$ 30 G), além de duas opções de pratos vegetarianos: Nkovi – couve, amendoim, tomate e cebola (R$ 20 M e R$ 25 G)– e o Ndunda – alface, tomate, cebola, alho e beringela (R$ 20 M e R$ 25 G). Todos têm como opções de acompanhamento o Fufu, Wwanga, salada ou Makemba, que é  banana da terra cozida.

Nas feiras gastronômicas e eventos onde apresentou seus pratos, o fufu e a Kwanga foram os que mais chamaram a atenção. “A maioria das pessoas que servi até já tinham ouvido falar de fufu, mas não sabia como comer”, diz Gloire. Em feiras, em função da estrutura, não havia como apresentar os pratos mais elaborados, que serão servidos agora.

Em função da pandemia, o Merci Afrik irá abrir aos poucos. A princípio aos sábados para entrega no sistema delivery ou retirada no balcão. Gloire tinha projeto de abrir um espaço que imprimisse na decoração a ambientação e cultura africana, mas diante do atual cenário de pandemia, resolveu começar aos poucos. As encomendas podem ser feitas pelo WhatsApp (41) 97888759 até sexta-feira às 17h. Mais informações: @merci_afrik

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]