Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
comida caiçara
Tartar de salmão e pupunha com toque de cachaça. do Antonina.| Foto: Gisele Rech

O Antonina não é apenas um novo restaurante de comida caiçara em Curitiba. Apesar de o foco ser em pratos feitos com ingredientes típicos do litoral paranaense, o conceito também busca trazer um ar de novidade, já que a casa foge aos padrões que remetem àquela atmosfera mais rústica de casas especializadas em frutos do mar. O visual moderno e descolado do espaço, divido entre restaurante e bar, tem muito a ver com a inspiração contemporânea dos pratos, que se apoiam na tradição dos sabores litorâneos, mas em versões adaptadas pelo chef Rafael Krueger, um dos sócios da casa.

"A gente quis desconstruir alguns paradigmas tanto dos frutos do mar quanto de ingredientes como a cachaça dos nossos drinks, que são produtos geralmente tidos como muito fortes. Buscamos dar leveza a eles e apresentá-los de uma maneira diferente, com uma boa puxada em aromas como mel e gengibre, bem típicos do nosso litoral", explica o chef.

O menu inspirado na comida caiçara é enxuto e a valorização dos ingredientes litorâneos é clara. A começar pelo bolinho de barreado com vinagrete de banana (R$ 29), uma adaptação para comer aos bocados do prato tradicional da cidade que dá nome ao restaurante e à vizinha Morretes. "O bolinho é feito exclusivamente de barreado e farinha de mandioca. É o barreado apresentado em um formato diferente", explica o chef. Quando se prova, é possível sentir, de fato, a essência do prato, complementado com a tradicional banana na forma mais cítrica e refrescante do vinagrete. O siri, crustáceo encontrado com fartura no litoral, também tem a sua versão de bolinho por R$ 34, seis unidades, e é servido acompanhado por maionese caseira.

restaurante frutos do mar
Bolinho de siri e bolinho de barreado são opções de entrada do Antonina. Foto: Gisele Rech

Já o camarão, outro protagonista da comida caiçara, é apresentado tanto na sua forma mais pura, apenas refogado no azeite e no alho com pãozinho fresco (R$ 69) como em forma de caldo de bobó, que tem aquele toque de azeite de dendê numa homenagem à Bahia. O caldinho também é servido na versão pupunha, outro ingrediente regional. Por fim, tem aquela isca de peixinho empanado, mas com toque de cerveja e maionese de abacate ou o tartar de salmão caiçara, que apesar de não ser um peixe do litoral paranaense, ganha a companhia de pupunha e uma leve dose de cachaça. O prato é servido com banana crocante, que complementa o jogo de texturas.

Como opções de pratos principais, é possível escolher entre preparos na brasa, por gosto pessoal do chef pela técnica, ou na panela, que tem mais a ver com a tradição da comida do litoral. Na brasa, é possível escolher entre proteínas do mar, como camarão, peixe ou lula ou ir para uma pegada mais da terra, com mignon ou cogumelo. Para acompanhar, os pratos são servidos com tartar de banana e farofinha de cebola. A pedida do Bom Gourmet foi o peixe, uma pescada-cambucu, para sermos mais precisos. "A gente escolheu esse peixe porque ele é um representante da nossa pesca no litoral e tem boa consistência para ir à brasa", conta Rafael.

comida caiçara
Peixe na brasa com tartar de banana e farofinha de cebola. Foto: Gisele Rech

Na panela, a comida caiçara ganha toques italianos com espaguete cremoso de grana padano e limão pode fechar a parceria com lula, camarão, lula e camarão e shitake. Há, por fim, uma opção de kafta de siri, servido com salada grega e molho de iogurte, para quem abre mão da massa. Nos finais de semana, a comida caiçara do Antonina está presente no barreado tradicional e moqueca de peixe e camarão.

Drinks para acompanhar a comida caiçara

O bar do restaurante fica em um simpático quiosque feito em madeira clara, onde a cachaça impera em 90% dos drinks. Afinal, o destilado de cana-de-açúcar é um dos produtos mais tradicionais do litoral paranaense e, inclusive, aguarda análise do Instituo Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) para receber a certificação de Indicação Geográfica (IG).

Como sugestão da casa, o Bom Gourmet provou o Robusta, que leva a cachaça litorânea infusionada com café robusta do Norte Pioneiro do Paraná, vermute rosso e angostura. A mescla da cachaça com os demais ingredientes é coesa e o café aparece ao fundo, quando a boca já está tomada pelos demais sabores.

Já o Graciosa, que homenageia a serra e a tradicional estrada que leva ao litoral, leva cachaça branca, maracujá, gengibre e limão, ingredientes também muito presentes na região litorâneas. As caipirinhas também são feitas a partir da autêntica cachaça paranaense. Na carta, até há drinks clássicos, mas para quem quer entrar no clima caiçara, nosso voto vai para uma das opções com a "branquinha".

comida-caiçara
Drink Graciosa leva cachaça, maracujá e genibre. Foto: Gisele rech

Serviço

Antonina
Onde: Rua Conselheiro Carrão, 336 - Juvevê
Quando: De quarta a sexta das 19 às 23h, sábado das 12h às 16h e 19h às 23h, domingo das 12h às 16h.
Mais informações: @antonina336_

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]