Polenta com salsa trufada e gema do Romeo.
Polenta com salsa trufada e gema do Romeo.| Foto: Munir Bucair Filho

Os olhares mais atentos não devem se furtar de esticar os olhos para a fachada da Vicente Machado, quase esquina com a Desembargador Mota, que tem uma estátua vermelha em sua frente, cercada por sugestivos pés de limão siciliano, e o nome Romeo estampado no alto. Sim, o nome do novo restaurante italiano remete ao clássico personagem de Shakespeare, mas a escultura, que representa Julieta, da o toque disruptivo do novo espaço de Curitiba, que serve comida italiana, com jeito mais descolado e contemporâneo.

Fachada do Romeo. Foto: Reprodução/Instagram
Fachada do Romeo. Foto: Reprodução/Instagram

"Percebemos uma lacuna, uma necessidade de Curitiba ter um restaurante com inspiração italiana tradicional, a gente não foge do Carbonara e do Cacio e Pepe exatamente como os clássicos, mas em uma cara mais moderna, que foge daquela cara de cantina", explica Elisa Gabasa Barrachina, uma das seis sócias da casa. Além da arquitetura e decoração, que passa longe das típicas toalhas xadrezes em vermelho, verde e branco, a trilha sonora contemporânea e a atenção especial ao bar de drinks completam a atmosfera.

Carbonara do Romeo. Foto: Munir Bucair Filho
Carbonara do Romeo. Foto: Munir Bucair Filho

Para levar a cabo o conceito do restaurante para o menu, o Romeo aposta no repertório italiano do chef Rafael Gonçalves, ex-Cantina do Délio, que acaba de voltar de um ano de estudos na renomada ICIF (Escola Internacional de Cozinha Italiana), com direito a passagem por dois estrelados no guia Michelin: o Trattoria Zappatori e o Volli. Ele também é diretor da Federazione Italiana Cuochi - Delegazione Brasile, o que só corrobora a intimidade com a especialidade da casa.

De acordo com o chef, a ideia é surpreender os comensais em todos os sentidos, do serviço à comida com muito cuidado nos sabores e detalhes, para um conjunto de sensações completas. "Quis trazer um reconforto para o menu, com toques de criatividade, mas sem tirar a essência de uma boa culinária italiana, com respeito a toda a tradição. Para alguns pratos, inclusive, sigo a base das receitas de Pellegrino Artusi, o pai da cozinha italiana, com toques de criatividade". Na construção do menu, vale frisar, houve um cuidado especial em pensar os pratos em conjunto com a carta de bebidas, que inclui drinks e vinhos.

Gamberi com Anguria. Foto: Rafael Gonçalves
Gamberi com Anguria. Foto: Rafael Gonçalves

O toque de modernidade do chef pode ser conferido em pratos como Gamberi com Anguria, uma das entradas mais elogiadas nos testes de menu da casa. O preparo tem uma base de melancia com stracciatela - um gelato de nata -, finalizado com camarão e guanciale (R$ 48). Ou na tradicionalíssima polenta, que no Romeo ganha uma textura super cremosa e é servida acompanhada de salsa trufada e gema caipira (R$ 32). Mas também há espaço para a tradição, como a salumeria, que tem uma apresentação super criativa, com um varalzinho com parma e mortadela estendidos (R$ 80), ou a Batuta di Manzo, a versão italiana do steak tartar (R$ 42).

Battuta di Manzo do Romeo. Foto: Munir Bucair Filho
Battuta di Manzo do Romeo. Foto: Munir Bucair Filho

Entre os pratos principais, surgem os autênticos Alla Carbonara, feito com guanciale e pecorino (R$ 52) e o All'Arabiata, feito com pici - uma versão artesanal mais grossa do espaguete -, guanciale, pimenta, polvo e Pangrattato, uma farofinha de pão super delicada (R$ 74). Mas também há espaço para as novidades, como o Parmeleone, que leva a usual mistura entre parma e melão como companhia para o penne grano duro (R$ 50).

Parmaleone. Foto: Gisele Rech
Parmaleone. Foto: Gisele Rech

Como segundo prato, há três opções: uma com carne suína, outra bovina e um versão de peixe fresco. Aliás, uma coisa que chama a atenção no menu é a ausência dos risotos, uma escolha do chef para o que se chama de primeiro momento da casa.

Para fechar a refeição, há desde o tradicional tiramisù (R$ 25) ao Romeo e Giulietta (R$ 25), inpirada na sobremesa brasileira que une o queijo à goiabada. A versão do Romeo leva queijo de cabra e o adicional de creme de ovos.

Para beber

Para cumprir a proposta de oferecer um ambiente moderno com sotaque italiano, o novo italiano investe forte nas opções de drinks, alguns deles com ingredientes que têm tudo a ver com a Itália. É o caso do Romeo Pistacchio (R$ 35), que leva gin, vermouth dry, limão e pistache, que confere à bebida uma cor verde intensa, que se mistura ao cubo de gelo personalizado com o nome da casa: um carinho a mais com o cliente. Entre as dez opções, também está o clássico Negroni, com gim, vermute rosso e campari (R$ 35).

Romeo Pistacchio leva pistache, limão, gim e vermute. Foto: Munir Bucair Filho
Romeo Pistacchio leva pistache, limão, gim e vermute. Foto: Munir Bucair Filho

A carta de vinho tem em torno de 80 rótulos, cujas garrafas se distribuem simetricamente em uma adega que é parte fundamental na decoração da casa e que pode ser vista já na entrada. É ela que dá as boas vindas e o tom da casa, que passa longe das tradicionais cantinas italianas, mas que traz nos pratos o sabor que faz os comensais fazerem uma verdadeira viagem gastronômica à Itália, mas sem tirar os pés de Curitiba.

A adega do Romeo tem em torno de 80 rótulos. Foto: Gisele Rech
A adega do Romeo tem em torno de 80 rótulos. Foto: Gisele Rech

Serviço
Onde: Rua Vicente Machado, 975 - Centro
Quando: Jantar (de terça-feira a sábado, das 18h às 22h) e almoço (de sexta-feira a domingo, das 12h às 16h)
Mais informações: @romeo.cucina

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]