Bom Gourmet

uniforme de cozinheiro

Roupas da Grife Bom Gourmet unem beleza e proteção para o cozinheiro

Para os chefs Guilherme Guzela e Patrícia Skvira, que apresentam a Grife Bom Gourmet por Versadas, praticidade e segurança também contam na hora de escolher a roupa de trabalho

por Priscila Bueno, especial para a Gazeta do Povo Publicado em 11/12/2016 às 20h
Compartilhe

Quem trabalha horas de pé, em um ambiente quente e que demanda proteção, sabe que um uniforme confortável e funcional é essencial. Pensando nisso, a Versadas Uniformes Profissionais e o Bom Gourmet se uniram e criaram a grife Bom Gourmet por Versadas. As roupas são destinadas a quem trabalha ou é apaixonado pela cozinha. Os produtos já estão à venda pelo e-commerce www.e-versadas.com.br

Para apresentar a coleção, o Bom Gourmet convidou dois cozinheiros profissionais de Curitiba: Guilherme Guzela e Patrícia Skvira. A coleção tem 29 itens, entre dólmãs, calças, aventais, toques e acessórios dos tamanhos 34 ao 60. Os uniformes são de tecido com elevada resistência e baixa absorção de umidade, o que interfere na respirabilidade, facilitando a transferência do calor e do suor do corpo para o exterior, além de conforto.

 

 

São quatro modelos de dólmã masculino e quatro femininos, com abotoamento tradicional, acinturado com pences até com gola assimétrica. Os valores são de R$ 193,28 até R$ 208,60. As calças custam R$ 84,55. São nove modelos de avental – de R$ 83,88 a R$ 116,70 (com peito e saia em 100% algodão). O toque custa R$ 45,82; o toque blanche, R$ 91,70 e os acessórios para cabeça variam de R$ 39,89 (em quatro cores) até R$ 58,27 (maxiturbante).

LEIA MAIS
>>> Grife Bom Gourmet tem linha especial para crianças e bebês

>>> O que é preciso para ser um chef de cozinha?

>>> O que tem na geladeira dos grandes chefs?

Na avaliação de Guzela, a primeira característica do uniforme é ele ser um EPI (equipamento de proteção individual). “É através dele que o cozinheiro se protege de queimaduras, por exemplo. É sempre bom lembrar que o uniforme não deve ser só bonito, mas seguro. Material lavável, de fácil remoção, que não pegue fogo fácil”, explica.

Patrícia Skvira completa que um bom uniforme tem que ser prático, “bolsos nos lugares certos, mangas com comprimento e largura adequados. Calça confortável e sem apertar muito a cintura. E, claro ter, modelos com respiradores no verão e tecidos mais quentes no inverno”.

 

 

Porém, a beleza não deve ser deixada de lado, diz Guzela. Com a profissão mais reconhecida, é importante a apresentação e caracterização como chef ou cozinheiro. Outra função da beleza é transmitir, através dele, a sua característica pessoal e profissional. “Apliques em tecidos diferentes, cores, formas, tudo o que possa fazer o público te identificar com aquele uniforme”, conta. “As cores são sempre legais. Eu tenho um laranja e uso sempre quando dou aula para crianças. Para o restaurante prefiro o branco”, diz Patrícia.

Por fim, Guzela comenta que o uniforme tem que fazer o cozinheiro se sentir bem. “Livre para poder se mexer dentro da cozinha, carregar peso, se abaixar, se esticar, tentando passar o mínimo de calor e com boa respirabilidade”.

 

Serviço
Os uniformes da grife Bom Gourmet por Versadas está à venda pelo site www.e-versadas.com.br
Mais informações pelo telefone (41) 3078-3312.

Compartilhe

8 recomendações para você