Prêmio Bom Gourmet 2018

Prêmio Bom Gourmet

Chineque não é cuca! Os finalistas do Sabor Popular de Curitiba explicam a diferença

O pão doce de origem alemã leva fermento biológico e é enrolado no formato de caracol, que em alemão se chama Schnecke

por Flávia Alves, especial para a Gazeta do Povo Publicado em 27/07/2018 às 08h
Compartilhe

Um dos clássicos das padarias curitibanas, o chineque é uma herança alemã. O doce (que em alemão se diz Schnecke) é tão popular por estas bandas que mesmo quem não tem ascendência germânica traz na memória o sabor desta iguaria. Mas mesmo com tanta popularidade, algumas pessoas ainda confundem o chineque com a cuca. Para desfazer esta confusão, o Bom Gourmet conversou com quem entende de chineque: os três finalistas da categoria no Sabor Popular do Prêmio Bom Gourmet 2018.

>>CONHEÇA TODOS OS INDICADOS AO SABOR POPULAR E VOTE 

Chineque da América (esquerda), do Empório Kaminski (acima) e Mannah (abaixo).

“O chineque é uma espécie de pão doce, por isso é mais densa que a massa da cuca, que é um tipo de bolo”, explica Georgeth Sara Fabro, da Confeitaria Mannah, que concorre com o chineque de gotas de chocolate com creme.

O tipo de fermento também é diferente, conforme explica Eduardo Engelhardt, da Padaria América, finalista com o chineque de frutas secas e coco. “No chineque usamos fermento biológico, que é o mesmo usado para fazer pães, enquanto na cuca vai o fermento químico”, diferencia ele, que detalha ainda mais o processo do chineque. “Usamos um processo misto de fermentação, começando pelo natural e depois complementando com fermento biológico.”

Eduardo fala ainda que tem um outro tipo de cuca, a alemã, que também é feita com fermento biológico. “Neste caso, o que a diferencia do chineque é que nele enrolamos a massa, depois de colocar o recheio, como um rocambole, e na cuca alemã colocamos a massa numa forma, como um bolo, e depois colocamos a cobertura por cima”, esclarece Eduardo.

No Empório Kaminski, finalista com o chineque de banana, o pãozinho segue a receita tradicional, mas é moldado num formato um pouco diferente, o que não compromete em nada o sabor, garante João Paulo Passos, gerente da rede, que há dez anos veio de São Paulo para Curitiba e teve que aprender do zero como é feito o pão doce alemão. “Lá em são Paulo não temos chineque, então quando cheguei aqui não fazia ideia do que era”, conta. Assim como na América, eles também fazem a cuca alemã e a cuca tradicional, respeitando as diferenças entre cada uma delas.

>> Veja as estratégias dos finalistas do Sabor Popular para conquistar votos

Os melhores de Curitiba

Independentemente do sabor, quem irá definir o melhor chineque de todos é o público. Para isso basta votar no site do Prêmio Bom Gourmetvotação começou no dia 7 e vai até este domingo (29 de julho) e além do melhor chineque você pode escolher os melhores em outras cinco categorias: coxinha, cachorro-quente, sonho, pastel e carne de onça.

Os candidatos participaram de entrevista ao vivo no face do Bom Gourmet; confira:

LEIA TAMBÉM:

>> Uma polêmica ronda o mundo das coxinhas: onde morder primeiro?

>> Carne de onça, o “tartar das araucárias”, também conquista os jovens

>> Como deixar o pastel sequinho e crocante?

>> A revolução dogueira de Curitiba: o que mudou no tradicional cachorro-quente

>> Tradição e criatividade são pontos fortes dos melhores sonhos de Curitiba

Prêmio Bom Gourmet

Prêmio Bom Gourmet 2018 da Gazeta do Povo elege os melhores também em outras três categorias: Chefs 5 Estrelas, que definirá os cinco nomes que se destacam no comando das cozinhas curitibanas, e o Sabor Especial, que contempla 25 especialidades, e Haus, que é uma das novidades do ano e irá destacar os melhores ambientes gastronômicos inaugurados nos últimos dois anos.

Para determinar os vencedores, foram selecionados mais de 170 jurados, representantes das mais variadas áreas da sociedade que, além do hábito de frequentar boas mesas, têm uma relação especial com a gastronomia. O grande número de indicações faz com que o Prêmio se transforme em um grande guia gastronômico, plural e democrático, que realmente traz o que a cidade tem de melhor.

Compartilhe

8 recomendações para você