Bebidas

Coquetelaria

Tiger Cocktails amplia carta de drinks

Bar completa um ano e aumenta para 80 coquetéis; novidades saem a partir de R$ 25

por Andrea Torrente Publicado em 19/06/2015 às 22h
Compartilhe
Basil Tonic Cupuaçu Tiger Cocktails

Basil Tonic, feito com gim, tônica, cupuaçu e manjericão japonês. Foto: Andrea Torrente/Gazeta do Povo.

O Tiger Cocktais, bar comandado pelo premiado bartender Igor Bispo, completou um ano de funcionamento em junho e ampliou a carta de bebidas, que agora soma mais de 80 coquetéis. São drinks à base de gim, cachaça, vodca, bourbon, entre outros destilados, e uma variedade de ingredientes nacionais como açaí, cupuaçu e priprioca. As novidades saem a partir de R$ 25, mas no cardápio permanecem drinks que custam a partir de R$ 16.

“Cada bartender criou de 3 a 5 coquetéis para elaborar o novo cardápio. São criações ousadas e arrojadas, algumas desenvolvidas ao longo dos últimos anos. Temos também coquetéis que são apresentados em campeonatos nacionais e internacionais que geram grande curiosidade no público”, explica Igor Bispo que lidera a equipe de mixologistas formada por Vinicius Kodama, Gustavo Smolinski, Alan Rechetelo e o recém-chegado, o canadense Emmet Groves.

Tzaziki do Tiger Cocktails

Tzaziki é uma criação ousada: feito com gim Hedrick’s, iogurte, pepino, azeitona, hortelã e uma pitada de sal. Ele é servido na xícara. Foto: Andrea Torrente/Gazeta do Povo.

Os drinks à base de gim estão em alta na coquetelaria. O que mais chama atenção é o Tzaziki, de inspiração grega: ele é feito com gim Hedrick’s, iogurte, pepino, azeitona, hortelã e uma pitada de sal, e servido numa xícara de chá. Já o Beet Root leva Tanqueray N. 10, limão siciliano, purê de cupuaçu e xarope de beterraba. O Hair of Bulldog também leva gim, misturado com bitter de priprioca, licor Strega e vinho xerez.

 

>>> Tendência: cachaça e vinho nos coquetéis

>>> 10 mitos e verdades sobre cerveja

 

“Criamos muita coisa usando cupuaçu, cacau e açaí porque acreditamos que a coquetelaria tem que interagir com os ingredientes locais”, afirma Bispo. O Saint Berry é outro exemplo: ele é feito com vodca de açaí, St. Remy de maçã, vermute branco e óleos essenciais da laranja. Já o 3 Américas mistura bourbon, tequila de café e cupuaçu. O Fruty Martini é feito com vodca Grey Goose, purê de açaí, vermute rosso e limão siciliano.

Bronze Tiger do Tiger Cocktails

O Bronze Tiger é o carro-chefe do cardápio: uísque Glenfiddich 18 anos infusionado com especiarias e servido no copo defumado com lascas de tabaco. Foto: Andrea Torrente/gazeta do Povo.

O carro-chefe da casa, porém, é o Bronze Tiger, criado por Bispo. Especiarias como cardamomo, cravo e pimenta rosa são esmagados na hora no pilão, e na frente do cliente é feita a infusão com uísque single malte Glenfiddich 18 anos e Frangélico. O drinque é servido no copo defumado com lascas de tabaco e sai por R$ 78.

O cardápio de petiscos e sanduíches elaborado pela cozinha do Lagundri permanece inalterado, mas ganha a opção Tiger Bomb: porção de seis bolinhos de batata recheados com parmesão e envoltos no bacon. Acompanha molho de iogurte, gorgonzola e salsinha. Seguindo o modelo de bares de alta coquetelaria de Estados Unidos e Europa, garrafas de água são disponibilizadas gratuitamente em todas as mesas.

Tiger Bomb do Tiger Cocktails

Tiger Bomb: porção de seis bolinhos de batata recheados com parmesão e envoltos no bacon. Essa é a versão degustação. Foto: Andrea Torrente/Gazeta do Povo.

 

Serviço

 

Compartilhe

8 recomendações para você