Receitas & Pratos

Oito pratos perfeitos para “ogros veganos”

Ao contrário do que muita gente pensa, há veganos que não comem "como passarinhos", tanto que até criaram um evento chamado Festival Ogros Veganos

por Flávia Schiochet Publicado em 27/08/2016 às 18h
Compartilhe

Engana-se quem espera que um evento vegetariano tenha apenas comida saudável e em porções moderadas. O primeiro Festival Ogros Veganos foi realizado em Curitiba na tarde de sábado, 27, nos fundos do primeiro “açougue vegano” do país, o Armazém VegAninha, e provou que prato vegetariano não é “comida de passarinho”.

Borscht, sopa de beterraba com creme azedo de tofu da Slaviet, uma das participantes do Festival Ogros Veganos. Foto: Divulgação

Borscht, sopa de beterraba com creme azedo de tofu da Slaviet, uma das participantes do Festival Ogros Veganos. Foto: Divulgação

Andrey Sanson, sócio-proprietário do Armazém VegAninha, é um dos principais organizadores de eventos de comida vegetariana de Curitiba. Para ele, as maiores dificuldades são conseguir receitas em português para fazer “simulacro” de comida e alguns ingredientes, como o sal negro do Himalaia (que confere o aroma de ovo para o tofu), são caros. “Mas a alimentação vegetariana não é só isso”, alerta. Apesar de muitos vegetarianos gostarem da comida que parece que leva carne, estes preparos geralmente fazem parte de uma dieta de adaptação para o vegetarianismo ou para matar saudade de algum prato que gostavam muito. Os doces são os principais, pois a confeitaria tradicional é quase toda à base de ovos e manteiga. Para o festival, a Bolo de Café com Bolo levou sobremesas variadas, mas tiveram que desmontar o estande às 15 horas: todas as doçuras haviam sido vendidas.

>>> Acesse o blog Verdura sem Frescura

>>> Últimos dias para se inscrever no MasterChef Profissionais

>>> Confira os indicados ao Prêmio Bom Gourmet 2016

Muitas vezes considerados “naturebas” por retirarem do cardápio todos os ingredientes de origem animal como carnes, laticínios e ovos, há veganos que gostam de junk food e não dispensam uma porção generosa de indulgência.

No cardápio das oito marcas presentes, muita fritura e “imitações” de pratos com carne, como bacon, hambúrguer, frango e até ovo frito. “Eu nem como alface. Se todo vegetariano só comesse comida saudável, eu seria um faquir”, riu Leal Neto, vegetariano desde 2009. Sua marca, a Kits Gourmet Veg, estava presente com acarajé e vatapá.

Neto explicou ao Bom Gourmet como a ideia do evento surgiu: depois daquela série de reportagens de coxinhas gigantes pelo Brasil. A ideia foi sendo amadurecida pelo grupo de empresários do setor e o evento foi organizado horizontalmente. “Estávamos brincando que ninguém havia feito uma coxinha gigante vegetariana e eu, que me intitulo um ogro, queria um festival para comer várias coisas exageradas”, contou.

“Ogros Veganos” é o nome de um grupo fechado no Facebook onde vários internautas se reúnem para compartilhar fotos de seus pratos exagerados. O Festival Ogros Veganos será itinerante e organizado pela comunidade vegetariana local de outras cidades, mas ainda não há datas confirmadas.

Veja algumas das opções que foram devoradas pelos “ogros veganos”:

Pizzaburguer (Faz pra fora)

Pizzaburguer feito pelo Faz pra Fora. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Pizzaburguer feito pelo Faz pra Fora. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Nada mais ogro que juntar dois preparos em um. Estela Prado e Renan Sândalo, do Faz pra Fora, fizeram uma minipizza cuja massa empana um hambúrguer de proteína de soja com feijão fradinho. No lugar do queijo, um creme de batatas e por cima, uma rodela de tomate. A dupla faz comida sob encomenda para cafés e lanchonetes, como salgados, bolos e tortas. No Armazém VegAninha, venderam cheesecake feito com tofu no lugar do cream cheese e para encomendar o pizzaburguer o pedido mínimo é de dez unidades (R$ 50). Outra opção de recheio é com batata e brócolis. Encomendas: (41) 9133-3792.

 

Batata recheada (Hangry Grrrls)

Batata recheada com creme de castanhas e cenoura e "bacon" de glúten. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Batata recheada com creme de castanhas e cenoura e “bacon” de glúten. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Giulie Amaral e Clari Penha mudaram-se de Matinhos para Curitiba no início do ano, depois de dois anos no litoral paranaense. A dupla faz sob encomenda creme de castanha tipo “muçarela” e “cheddar” e também versões de glúten com fumaça líquida e temperos para substituir bacon e rosbife. Para o festival, elas prepararam batata recheada com creme de castanha, cenoura, ervas, especiarias e extrato de tomate e glúten defumado fazendo as vezes de bacon. O creme de castanha e as “carnes vegetais” são encontradas no Armazém Veganinha por R$ 9 (200 gramas de creme) e R$ 7 (100 gramas do bacon e rosbife). Encomendas: (41) 9227-4107.

 

Acarajé com vatapá (Kits Gourmet Veg)

Acarajé com vatapá do Kits Gourmet Veg. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Acarajé com vatapá do Kits Gourmet Veg. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

O prato baiano é quase igual ao convencional: o bolinho de feijão fradinho é frito no azeite de dendê e o vatapá leva leite de coco, coentro fresco (pouco, para agradar o paladar do Sul), cebola e tomate. A diferença é que não entra o camarão seco ao triturar os temperos. Leal Neto, que criou a marca em 2014, vende o kit para o preparo do bolinho por R$ 16 (rende cerca de 30 acarajés). O valor da entrega depende do bairro. Os kits também estão à venda na Veg Veg Empório Vegetariano e Natural Café. Encomendas pela página do Facebook.

 

Hulopti (Slaviet)

Hulopti, receita de família de Ederson Maksemiv: trigo mourisco, arroz quebrado e molho à base de tomate enrolados em couve-manteiga. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Hulopti, receita de família de Ederson Maksemiv: trigo mourisco, arroz quebrado e molho à base de tomate enrolados em couve-manteiga. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Ederson Maksemiv é descendente de ucranianos e há quatro meses prepara pratos típicos de culturas pouco difundidas no meio vegetariano. Uma delas é o hulopti, receita de sua família, feita com trigo mourisco, arroz quebrado e um molho à base de tomate, enrolado na couve-manteiga. “Algumas pessoas costumam colocar carne de porco”, diz Ederson. Para ele, a carne não faz falta na receita. Ele aceita encomendas de vários pratos, como borscht, perohê, banh mi (sanduíche vietnamita que leva jaca verde cozida e desfiada) e som tam (salada de papaya verde com algas do sudeste da Ásia). O pedido mínimo é de dez a quinze unidades, dependendo do prato, e as encomendas partem de R$ 40. Informações: (41) 9670-2152.

 

Coxinha e churros (Zanquetta Alimentos Congelados)

Coxinhas de jaca verde cozida e desfiada do Zanquetta Alimentos Congelados. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Coxinhas de jaca verde cozida e desfiada do Zanquetta Alimentos Congelados. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Depois de 13 anos na área de alimentação, o empresário Cleverson Zanquetta mirou uma fatia do mercado que não estava sendo bem atendida em 2014: os veganos. Ele resolveu passar um mês em uma dieta vegetariana sem carnes, laticínios e ovos para entender mais da cozinha e gostou. No início, lançou uma linha de refeições congeladas vegetarianas pela sua empresa, a Zanquetta Alimentos Congelados, e, desde então, dobrou o tamanho de sua fábrica: passou de 75 metros quadrados para um espaço de 150 metros quadrados em um ano.

Churro recheado com doce de leite feito de leite de coco do Zanquetta Alimentos Congelados. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Churro recheado com doce de leite feito de leite de coco do Zanquetta Alimentos Congelados. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Modificou toda a sua produção para atender apenas este nicho e hoje trabalha com salgados assados e fritos, vendidos tanto para food service quanto para o cliente final, em pacotes de 360 g ou de um quilo. Seus produtos encontram-se em dezenas de lojas pelo país. Os principais produtos são a coxinha (em formato grande ou para coquetel), com jaca verde cozida e desfiada, e o minichurro, recheado de doce de leite feito de leite de coco. O cento sai por R$ 50 para as minicoxinhas e R$ 60 para os minichurros. Informações: (41) 3156-2022.

 

Sanduíche “O-grão” (Fejón)

"O-grão", sanduíche feito pela Fejón Cozinha Vegana que combina hambúrguer de lentilha, linguiça de glúten, batata palha e mais ingredientes veganos. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

“O-grão”, sanduíche feito pela Fejón Cozinha Vegana que combina hambúrguer de lentilha, linguiça de glúten, batata palha e mais ingredientes veganos. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Para fazer jus ao nome do evento, a Fejón Cozinha Vegana levou várias combinações para seus sanduíches, mas o mais emblemático foi o O-Grão, montado com hambúrguer de lentilha, linguiça de glúten, batata palha, barbecue caseiro (com suco de laranja, shoyu, mostarda e polpa de tomate), creme de castanha de caju com pimentões e cebola roxa. A adaptação da receita de barbecue exclui o molho inglês ou molho de peixe, usado por algumas marcas para realçar o sabor do molho. Informações: (41) 8736-4931.

 

X-Egg Veg Bacon (Armazém VegAninha)

X-Egg Veg Bacon do Armazém VegAninha, que tempera o tofu defumado com sal negro do Himalaia para lembrar ovo. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

X-Egg Veg Bacon do Armazém VegAninha, que tempera o tofu defumado com sal negro do Himalaia para lembrar ovo. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Emprestando os fundos do empório para o evento, o Armazém VegAninha é a única marca com um ponto fixo e que não trabalha sob encomenda desde junho, quando inauguraram o local. Nas prateleiras, produtos que vão desde temperos a pastas de castanhas e o balcão refrigerado tem tofu fresco, defumado e “queijos” à base de mandioca e de castanhas para vender a granel. A especialidade da casa são os “embutidos vegetais”, imitações da proteína animal feitas com glúten, soja ou milho.

O local abre de quarta a domingo a partir das 11h e serve sanduíches a partir de R$ 8 com opções de hambúrgueres de ervilha (sem glúten e sem soja), de beterraba com proteína de soja (sem glúten) e de glúten com soja e cheiro-verde.

Para o Festival Ogros Veganos, preparam um sanduíche exclusivo: o X-Egg Veg Bacon, que leva tofu defumado no lugar do ovo frito. O sabor característico do ovo fica por conta do sal negro do Himalaia, com forte odor de enxofre. O hambúrguer de proteína de soja com tomate seco e bacon de glúten. Completam o sanduíche molho agridoce e alface.

Serviço: Armazém VegAninha. Rua Eugênio Flor, 468, Abranches. Abre de quarta a sábados das 11 às 20h e aos domingos das 11 às 18h – (41) 9860-8231.

Compartilhe

8 recomendações para você