Bebidas

Tributação

Vinho importado no Paraná é o mais caro do país

A bebida no estado ficou pelo menos 20% mais cara nos últimos dois anos por conta da alta da alíquota do ICMS

por Katia Michelle, especial para Gazeta do Povo Publicado em 24/01/2016 às 22h
Compartilhe

Desde agosto do ano passado, empresas e consumidores de vinho importado têm observado alterações no que diz respeito à tributação da bebida no Paraná. As mudanças pesam no bolso de quem gosta de degustar a bebida e prometem mudar o cenário de consumo no estado. Para se ter uma ideia, um vinho que custava R$ 29 em novembro do ano passado, está custando R$ 39 agora. O mesmo vinho é encontrado em São Paulo a um preço 10% menor e no Rio Grande do Sul a um valor 15% inferior do que o praticado nas prateleiras paranaenses. Por conta do aumento, algumas importadoras têm sentido uma retração nas vendas.

>>> Celso Nascimento: Mais caro, vinho já não serve para afogar mágoas

Na verdade o cenário não é animador há pelo menos dois anos. Em 2013, o governo do Paraná chegou a publicar um decreto criando redutores para os valores pagos antecipados, mas a medida foi revogada. O especialista em vinhos e importador Luiz Groff ilustra o que aconteceu em números: “Até novembro do ano passado todos os impostos que incidem sobre o vinho giravam em torno de 31%. Agora estamos pagando 66,55%, somados aos impostos do governo federal”, explica, ressaltando que é o imposto mais caro do País, já que nos outros estados o mesmo imposto gira em torno de 30% a R$ 50%.

Esta diferença é resultado do valor do tributo estadual, o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que no Paraná é de 56,66%, sobre o valor do produto. Outro reclamação dos empresários, é que este imposto tem o pagamento antecipado.

“O aumento do preço infelizmente implica em uma mudança de hábitos do consumidor e também favorece o mercado clandestino, já que o Paraná é um estado de fronteira”, diz Groff. Ele exemplifica a mudança com o valor do vinho Catena Malbec na importadora In Vino Véritas. Em novembro do ano passado, o vinho custava  R$ 117,00 . Com os impostos atuais o vinho passou a custar R$ 146,00, enquanto o mesmo vinho em São Paulo pode ser encontrado por R$ 128,61.

Pedro Corrêa Oliveira:  "É preciso buscar alternativas para equilibrar o faturamento". Foto Ivonaldo Alexandre/Gazeta do Povo

Pedro Corrêa Oliveira: “É preciso buscar alternativas para equilibrar o faturamento”. Foto Ivonaldo Alexandre/Gazeta do Povo

Para tentar solucionar o impasse, os empresários se mobilizam para buscar um canal de diálogo com o governo estadual. Na quarta-feira (20), a portas fechadas, um grupo de 12 importadores de vinho se reuniu na Secretaria Estadual da Fazenda, em uma reunião informal para expor a situação. “Vamos formalizar um projeto que mostra como estamos sendo prejudicados e não queremos ser penalizados apenas porque somos paranaenses”, enfatiza o Pedro Corrêa, diretor da importadora Porto a Porto. O documento deve ser entregue nesta próxima semana, quando o grupo pretende ser ouvido novamente por representantes do governo em busca de uma solução.

Queda nas vendas

Por conta do aumento nos preços dos vinhos importados, desde 2013, as lojas do Mercado Municipal de Curitiba, por exemplo, registraram queda de 50% nas vendas deste tipo de vinho, segundo levantamento divulgado pelo diretor da Porto a Porto. Na importadora dirigida por Pedro Corrêa, algumas medidas foram necessárias para driblar a situação: “No que diz respeito ao faturamento de vinhos, podemos dizer que tivemos redução de 35% se compararmos 2013 e 2015”, lamenta. “Por isso, estamos buscando rótulos mais baratos e outros produtos que equilibrem o faturamento total”, diz.

Compartilhe

8 recomendações para você