Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Susan Boyle: disco para as festas | Divulgação
Susan Boyle: disco para as festas| Foto: Divulgação

Recordista

Saiba mais sobre a trajetória de Susan Boyle:

Estreia

Seu álbum de estreia, o multiplatinado I Dreamed a Dream, vendeu mais de 8,3 milhões de cópias em todo o mundo.

Sucesso

O álbum fez de Susan a artista mais bem-sucedida de 2009 em todo o mundo e a que vendeu mais álbuns em menor tempo em toda a década.

Topo

O disco alcançou a primeira posição em mais de 21 países, incluindo Inglaterra, Estados Unidos, Canadá, Austrália, Japão, Nova Zelândia e África do Sul.

Estimativa

A previsão é de que o segundo álbum da cantora, o recém-lançado The Gift, venda 5 milhões de exemplares ao redor do planeta.

Tente se lembrar qual foi a trilha sonora da sua ceia de Natal no ano passado. A recordação pode estar distante, mas muito possivelmente trará de volta a seus ouvidos uma voz aguda e potente, entoando canções familiares, como "Cry Me a River" (Ella Fitzgerald), "You’ll See" (Madonna) ou ainda "Wild Horses" (The Rolling Stones).

Sim, é a voz de Susan Boyle, aquela escocesa conhecida por sua participação no programa de calouros inglês Britain’s Got Ta­­lent e que virou sensação mundo afora após o lançamento de seu disco de estreia, I Dreamed a Dream (2009), tema do Natal de pelo menos 8,3 milhões de pessoas que adquiriram o álbum, fazendo do CD o mais vendido em todo o mundo no ano passado.

Esse ano não será diferente. Chegou às lojas na última terça-feira (9) o segundo trabalho de estúdio de Susan Boyle, The Gift, que, não coincidentemente, é formado, em sua maioria, por canções natalinas. Gravado entre os meses de julho e setembro, com produção de Steve Mac (Leona Lewis, Kelly Clarkson e Westlife), o disco já é campeão de pré-vendas, de acordo com a gravadora da cantora, Sony Music.

Somente para os Estados Unidos, foram reservados 1,2 milhão de exemplares e a expectativa, segundo informações da revista Billboard, é de que 300 mil sejam vendidos apenas na primeira semana de lançamento. Ao todo, a previsão é de que 5 milhões de cópias sejam comercializadas ao redor do planeta. E uma delas, muito provavelmente, vai chegar até você – nem que seja um presente de amigo secreto.

Repertório

Composto por canções natalinas, clássicos da música pop e composições de folk tradicional, The Gift conta com dez faixas de arranjos simples – por vezes, apenas voz, piano e cordas – em que Susan divide os vocais com um coral. Entre elas, está uma releitura de "Perfect Day", canção antológica do álbum Transformer (1972), de Lou Reed, que, por pouco, não ficou de fora do álbum.

Isso porque, no mês de setembro, Lou Reed não permitiu que Susan interpretasse a canção na televisão, durante o programa American’s Got Talent. A recusa levou a cantora às lágrimas e o compositor nova-iorquino, arrependido, acabou voltando atrás e liberando a regravação do clássico. Não à toa, a versão é a canção que abre The Gift e o primeiro single de trabalho do álbum. Lou Reed colaborou ainda na produção do videoclipe da faixa, exibido na última segunda-feira (8), no Reino Unido, como parte do lançamento do disco.

Na sequência, outra releitura: "Hallelujah", de Leonard Cohen, que, assim como "Perfect Day", ganhou ares natalinos, assemelhando-se a uma apresentação de um coral infantil no mês de de­­zembro. Também causa um certo estranhamento a versão para a balada oitentista "Don’t Dream It’s Over", do grupo de rock australiano Crowded House.

No fim das contas, é nas canções originalmente natalinas – como "The First Noel" e "O Holy Night" – que Susan Boyle se sai melhor. Sua voz soa mais firme e menos comedida do que quando ela tentar reinterpretar melodias pop. E são justamente essas as mais adequadas para embalar sua ceia de Natal. Melhor já reservar um lugar para Susan à mesa. GG

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]