i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Artes visuais

Artista curitibano coloca sua obra anti-gravidade para voar

Jack Holmer apresentou seu projeto “poético tecnológico” nos Estados Unidos

  • PorSandro Moser
  • 27/01/2016 14:47
“Elas voam”: obra do artista Jack Holmer no céu do Wyoming | Jack Holmer/
“Elas voam”: obra do artista Jack Holmer no céu do Wyoming| Foto: Jack Holmer/

O artista curitibano Jack Holmer fez as esculturas tecnológicas de seu “Manifesto Anti-Gravidade” flutuarem no céu frio e azul do Wyoming, oeste dos Estados Unidos na última quinta-feira (28)

A instalação foi o resultado final do processo de residência artística de Holmer no Teton Art Lab.

Holmer passou todo o mês de janeiro de 2016 desenvolvendo as obras “Manifesto Anti-Gravidade”, projeto em que o artista brinca com as leis da física criando esculturas que flutuam em balões de hélio e interagem com o público através de um sistema eletrônico.

O artista trabalha com uma linguagem “poéticas tecnológicas” em que cria robôs e objetos não-humanos para intervir afetivamente com as pessoas.

Dançando no ar: feia de canudos, a escultura de Holmer vai para o céu. Jack Holmer
Canudos Brancos

O “Manifesto Anti Gravidade” é uma obra que começou a ser desenvolvida em 2014, quando Holmer realizou testes com câmeras de vídeo presas em balões de hélio que flutuaram a 100 metros de altitude do cume do Morro da Palha em Campo Magro.

Destas experiências foram desenvolvidos as esculturas leves, feitas de canudinhos de refrigerante, que são costuradas para formar a a silhueta final.

O processo que Holmer desenvolveu nos Estados Unidos passa desde a modelagem da forma do corpo humano em softwares “3D”, passando pela simplificação da forma em “Low Poly”, a impressão em papel da forma escultórica, até a construção da escultura final em canudos de plástico branco costurados delicadamente a mão entre si.

Depois, a escultura é presa através de fios em um grande balão de hélio, que a suspende no ar. Na parte de baixo a escultura é presa a um aparato eletrônico que mede a distância que o público esta da obra.

“Dependendo do movimento das pessoas em frente a obra a escultura desce e sobe, em movimento sutís, interagindo com os observadores. A obra em cores brancas quase se camufla na paisagem nevada da cidade”, explica Holmer.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.