i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Música

Batucada leite-quente

Festival Paranaense do Samba começa amanhã e leva 24 grupos a dois palcos no Largo da Ordem

  • PorCristiano Castilho
  • 30/11/2010 21:01
Cortejo de afoxé que passou pela Praça Tiradentes, durante o festival em 2009 | Divulgação
Cortejo de afoxé que passou pela Praça Tiradentes, durante o festival em 2009| Foto: Divulgação
  • Maé da Cuíca: música nova aos 83 anos
  • Confira alguns destaques do festival, que segue com programação até domingo

Patrono do samba do Paraná, Maé da Cuíca estava compondo, no conforto da sua casa, quando a reportagem o interrompeu. "Está ficando mais ou menos assim", disse o senhor de 83 anos, antes de emendar com voz sussurrada. "Vai, vai, saudade. Meu bandolim, por favor, deixa-me viver em paz. Vai, vai, saudade. Me abandone de uma vez e não volte nunca mais."

Maé é autor do primeiro samba-enredo composto na cidade e criador de diversas canções que agitaram a antiga Vila Tassi, hoje parte do Prado Velho, lá no fim da década de 1930. O sambista responsável por difundir o gênero no Paraná terá um encontro, a partir de amanhã, com outros músicos e intérpretes que agora defendem o samba "tipicamente curitibano". Tudo isso acontece durante o Festival Pa­­ra­­naense do Samba, evento que acontece até o próximo domingo (5), em dois palcos instalados no Largo da Ordem, no Centro Histórico. Todas as apresentações serão gratuitas.

"Tenho que marcar presença, é uma obrigação. Fui eu quem criei essa criança, que plantei essa se­­mente. Agora tenho de estar por perto", diz Maé. "Parece que a coisa está querendo pegar outra vez". Já pegou, na verdade.

Vinte e quatro grupos (cerca de 200 artistas) estão escalados para mostrar, ao vivo, o samba produzido na Paraná. Essa é a terceira edição do festival, que conta com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba, e a primeira em que os artistas irão se apresentar – as outras eram basicamente encontros e debates sobre o gênero. "São grupos de todas as vertentes. Do samba rural ao de terreiro, do samba-rock ao de gafieira", diz Adegmar Candiero, um dos organizadores do Festival e também presidente do Centro Cultural Humaitá. Mãe Orminda, do Grupo Divina Luz, é uma das figuras de destaque. Ela foi uma das primeiras puxadoras de samba do Brasil, quando esteve à frente da Escola de Samba Dom Pedro II, em 1978.

No sangue

Para Candiero, a quantidade e, prin­­cipalmente, a qualidade do samba feito no Paraná são constantes há pelo menos 80 anos. "Basta conversar com as pessoas por aí. Não temos dificuldades em achar quem é do samba", diz o or­­ganizador, que sugere uma ideia interessante. "Fazer samba não é um privilégio geográfico. Ele está no sangue, não importa onde o artista nasça ou esteja. O que sentimos e a maneira como extravasamos isso não é diferente do samba carioca, por exemplo", conta Candiero, nascido em Goioerê, in­­terior do Estado, mas radicado em Curitiba.

Outra prova de que o samba está em alta na terra das araucárias foi o que alcançou a música "Pelo Amor de Deus", composta pelos curitibanos Cláudio Peba, Nego Chandi e Fábio Pires. Ela chegou até a a semifinal do 3.º Concurso de Samba de Quadra, evento de ca­­ráter nacional – Monarco e Noca da Portela estavam no páreo – promovido pela empresa de eletricidade Light (RJ).

"Os compositores daqui estão em pé de igualdade e não devem absolutamente nada aos outros. Então, espero que Curitiba vire a capital do samba nesses quatro dias", arremata Candiero.

Serviço:Festival do Samba Paranaense. De 2 a 5 de dezembro. Largo da Ordem – Palcos Ruínas e Bebedouro. Entrada franca.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.