i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
ACORDES LOCAIS

Duas orquestras de música popular e um CD infantil

  • PorLuiz Claudio Oliveira – luizs@rpc.com.br
  • 23/06/2009 21:10
A Orquestra à Base de Corda surgiu em decorrência da criação do Conservatório de MPB | Divulgação
A Orquestra à Base de Corda surgiu em decorrência da criação do Conservatório de MPB| Foto: Divulgação

Curitiba terá dois shows de orquestras de música popular neste fim de semana. Duas propostas distintas, dois shows imperdíveis para quem gosta de música popular e instrumental de qualquer país. A Orquestra à Base de Corda, da Fundação Cultural de Curitiba e a Bayaka, grupo múltiplo que busca a Música do Mundo, serão as atrações de sexta a domingo, na cidade. Vamos a elas:

Orquestra à Base de Corda

Mais uma boa consequência da criação do Conservatório de MPB de Curitiba, surgiu em 1998. A formação tem violino, bandolim, cavaquinho, viola caipira, violão, violão sete cordas, piano e percussão. É dirigida desde 2001 pelo violonista e bandolinista João Egashira. No ano passado, lançou o belo CD Antiqüera, com músicas do violeiro e pesquisador Roberto Corrêa. O disco foi indicado a alguns prêmios como o melhor do ano. Entre os artistas que já trabalharam com a Orquestra estão nomes da ponta da música popular brasileira, como o violonista, compositor e arranjador Paulo Bellinati, o violonista Maurício Carrilho, o compositor, arranjador e violonista Dante Ozzetti e os músicos convidados Mônica Salmaso, Roberto Corrêa, Ceumar, Dominguinhos, Joel Nascimento, Maurício Carrilho, Zé Renato e Ná Ozzett, entre outros.

Dois componentes da Orquestra à Base de Corda têm trabalhos novos e recentes: o violeiro Rogério Gulim lançou neste mês o CD Orvalho, gravado com o apoio do grupo Terra Sonora, do qual Gulin também faz parte e que pesquisa sons globais, da chamada música étnica. O disco foi realizado graças a um prêmio de produção, concedido pela Funarte junto com o Projeto Pixinguinha. Outro que lançou disco não faz um ano foi o violonista André Prodóssimo, o belo Samba Paraná.

Desta vez, a Orquestra se reúne para tocar músicas de Pixinguinha junto com o o flautista e saxofonista carioca Carlos Malta. O "escultor do vento", como é chamado, veio junto com o título do segundo CD de Malta, que já tem outros seis discos, o último deles justamente intitulado Pixinguinha Alma e Corpo, que será apresentado junto com a OABC, no sábado e no domingo, no Teatro do Museu Oscar Niemeyer.

Bayaka

A outra orquestra que toca neste fim de semana é mais um trabalho do incansável músico, arranjador, pesquisador e professor Plínio Silva, da Faculdade de Artes do Paraná (FAP). Plínio é o diretor do grupo formado por alunos e ex-estudantes dos cursos de Música e Musicoterapia da FAP. Assim como o semelhante Terra Sonora, também coordenado por Silva, a proposta é pesquisar, rearranjar e apresentar a música tradicional de diversos países. São 13 instrumentistas e oito cantores, todos orientados pela cantora e professora Liane Guariente.

Há algumas aproximações entre as duas orquestras acima. O violeiro Rogério Gulin, por exemplo, trabalha com Plinio Silva no Grupo Terra Sonora, espécie de irmão mais velho do Bayaka. O músico Eduardo Gomide toca violão na OABC e viola na Bayaka – não me pergunte como ele fará para conciliar as duas apresentações neste fim de semana.

Mundiverso

A compositora Etel Frota é a portadora da boa notícia: o disco Mundiverso, feito com base em textos de alunos das escolas Trilhas (Curitiba) e Stagium (Diadema, SP), é finalista do Prêmio Música Brasileira de 2009 (www.premiodemusica.com.br), na categoria Infantil. As crianças fizeram textos sobre a Carta da Terra, motivadas pelo Ano Internacional do Planeta Terra e, com base neles, os compositores Estrela Leminski, Téo Ruiz, Milton Karam e Paulo de Nadal criaram 15 músicas. Os arranjos são de Ale Age e a direção musical é de Nélio Spréa. Concorre com outros dois CDs: Contando e Cantando Histórias, do Grupo Pererê (Maíra Simões, Luciana Catarina e Renato Murakami – Independente) e Carnaval Palavra Cantada, de Sandra Peres e Paulo Tatit (MCD). O resultado sai no dia 1º de julho. Boa sorte.

* * * * * * * *

Serviço

Orquestra à Base de Corda e Carlos Malta. Teatro do MON (Museu Oscar Niemeyer – Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico), (41) 3350-4441. Dia 27 de junho (sábado), às 20 horas, e 28 de junho (domingo), às 19 horas. Ingressos a R$ 10 e R$ 5

Bayaka – Música do Mundo.Teatro do Paiol (Lgo. Guido Viaro s/nº), (41) 3213-1340. Dias 26 e 27, às 21 horas, e 28, às 20 horas. Ingressos a R$ 10 e R$ 15.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.