Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Caderno G
  3. Histórico da devoção ao Menino Deus e à Nossa Senhora das Brotas

Tropeirismo

Histórico da devoção ao Menino Deus e à Nossa Senhora das Brotas

  • Gazeta do Povo Online
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Em dezembro Piraí do Sul realiza festividades em homenagem aos seus padroeiros: Senhor Menino Deus e Nossa Senhora das Brotas, ambos com tradições de 133 anos (Menino Deus) e 125 anos (Nossa Senhora das Brotas) de história ligadas ao tropeirismo.

O culto ao Senhor Menino Deus iniciou quando Bernardino Rodrigues de Almeida, antigo condutor de tropas, levou para Piraí do Sul, da cidade de Pelotas (RS), uma imagem do Menino Jesus feita em jacarandá, que foi encontrada numa igreja em ruínas das reduções jesuíticas. Almeida ergueu uma pequena capela onde recolheu a imagem. Com a elevação de Freguesia pela lei nº 329 de 12 de abril de 1872 pelo presidente da Província do Paraná ocorreu a invocação do Senhor Menino Deus. As festividades foram iniciadas e o dia 25 de dezembro completam 133 anos do culto ao Senhor Menino Deus de Piraí do Sul.

Nossa Senhora das Brotas tem uma história ligada ao visitador provincial frei Galvão, que no início do século 19, deixou como recordação uma estampa de Nossa Senhora das Barracas (venerada em Portugal) a senhora Ana Rosa Maria da Conceição de Paula, integrante de antiga família de tropeiros, dizendo-lhe: “Venerai sempre esta Santa Efígie, porque ela é muito milagrosa”. A estampa foi colada em cartolina, e emoldurada em madeira. Viúva, ao contrair as segundas núpcias com o tropeiro Joaquim Maciel de Almeida, morador no Rincão do Silva, fez a mudança em carroça quando a estampa foi perdida durante o transporte. Certo dia, após o Natal, Dona Ana Rosa indo pelas cercanias do antigo pouso de tropeiros, próximo à sua casa, no meio da vegetação que brotava após a tradicional queima de campo para recuperação do pasto, encontrou a imagem da Santa entre as cinzas e brotos. O fogo destruíra, além da vegetação, a moldura de madeira do quadro, sem, no entanto, queimar a estampa que era de papel. Perplexos com o ocorrido, os moradores interpretaram o fato como um milagre operado por Nossa Senhora. Este acontecimento foi uma revelação da vontade de Nossa Senhora de estender o culto aos habitantes da região e aos tropeiros. A devoção à Nossa Senhora, que pelo milagre passou a ser denominada Nossa Senhora das Brotas, foi transmitida pelos tropeiros aos mais distantes rincões. Protetora do gado, das plantas, dos doentes e necessitados, o culto a Nossa Senhora das Brotas é praticado diariamente por devotos, por caravanas regionais e em especial no dia 27 de dezembro, quando da realização da grande festa anual.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE