Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Girard era um defensor do cristianismo. | Vicq/Wikimedia Commons
Girard era um defensor do cristianismo.| Foto: Vicq/Wikimedia Commons

Morreu, na madrugada desta quarta-feira (4), o filósofo franco-americano René Girard, nos Estados Unidos. Considerado conservador, Girard tem uma obra que passeia por vários campos do conhecimento, como a filosofia, a antropologia, a crítica literária, a teologia, entre outros.

Publicado no Brasil pela É Realizações, ele é autor de obras como “O Sacrifício” e “A Conversão da Arte”. Desde 2008, era membro da Academia Francesa -instituição criada por Luís XIV, na qual a Academia Brasileira de Letras foi inspirada. O autor também era professor emérito da Universidade de Stanford.

René Girard é conhecido por ter criado a teoria do desejo mimético. Segundo esse conceito, os seres humanos tendem a imitar os desejos uns dos outros, o que seria uma fonte de tensão social. Tal violência em uma comunidade seria resolvida por um “bode expiatório”, sobre o qual a violência de uma sociedade é direcionada, antes que a agressividade de um grupo possa destrui-lo.

Por ser um defensor do cristianismo, costumava ser visto como um filósofo conservador. A hermenêutica bíblica, aliás, era uma de suas áreas de atuação.

René Girard nasceu em 25 de dezembro de 1923, em Avignon, na França. Seu primeiro livro “Mentira Romântica e Verdade Romanesca”, foi publicado em 1961. Escreveu ao longo da vida quase 20 livros.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]