Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Festival de literatura chacoalha a pequena Paraty, no litoral do Rio de Janeiro, entre os dias 1 e 5 de julho. Gazeta do Povo irá acompanhar o evento in loco. | Divulgação
Festival de literatura chacoalha a pequena Paraty, no litoral do Rio de Janeiro, entre os dias 1 e 5 de julho. Gazeta do Povo irá acompanhar o evento in loco.| Foto: Divulgação

Um escritor jurado de morte pela máfia italiana, Roberto Saviano, romancistas internacionais de peso como o queniano NgÅ©gÄ© wa Thiong’o, e uma homenagem ao principal agitador da literatura nacional, Mário de Andrade, são algumas das atrações da 13.ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que começa na próxima quinta-feira (1.º) e vai até o próximo domingo (5). A Gazeta do Povo irá acompanhar o evento.

Acompanhe

Flip 2015

De 1 a 5 de julho, em Paraty (RJ).

A Gazeta do Povo fará uma cobertura especial do evento. A programação completa da Flip pode ser acessada no site http://www.flip.org.br/

Paralelas

Além da programação oficial, eventos paralelos ligados ou não ao festival promovem pré-estreias e exibições de filmes, leituras de peças teatrais, exposições e debates. O jornal “Folha de S. Paulo” vai ocupar uma casa no centro histórico em que colunistas do periódico vão conversar com escritores.

A programação principal da Flip 2015 conta com 39 autores, 16 deles internacionais (veja destaques ao lado). A presença de nomes importantes, mas não tão badalados da literatura, como o cubano Leonardo Padura, o irlandês Colm Tóibín e o brasileiro Reinaldo Moraes, além de programação temática ampla que inclui arquitetura, erotismo, política cultural, música e poesia, confirmam a tendência iniciada no ano passado, quando o editor Paulo Werneck assumiu a curadoria do evento.

Como em 2014, esta edição da Flip está mais modesta, tanto na estrutura e nos custos, quanto no número de atrações “de peso” em relação à algumas edições da primeira década do evento iniciado em 2003.

Na apresentação oficial, mês passado, o diretor-presidente da Associação Casa Azul, que organiza a Flip, afirmou que o orçamento total previsto desta vez era de R$ 7,4 milhões – cerca de R$ 600 mil a menos do que o ano anterior.

Reinaldo Moraes, autor de “Pornopopeia”, estará presente.Gianluca Battista / Divulgação

Um indicativo claro do comedimento na festa literária é que o espetáculo de abertura ficará a cargo dos artistas paratienses Luís Perequê, Dani Lasalvia e o grupo Os Caiçaras.

Mais do que a ideia de “celebrar a arte popular local”, como justificou a organização, representa uma economia significativa para o evento que se acostumou a promover shows gratuitos de abertura com medalhões da MPB, como Paulinho da Viola, Maria Bethânia, Gal Costa, Edu Lobo e Elza Soares.

Queniano Ngugi wa Thiong’o, de 77 anos, escreveu no cárcere.Daniel A. Anderson/Divulgação

Nada, porém, que interfira significativamente na finalidade principal da Flip, em um momento em que outros eventos da área minguam ou correm riscos de extinção, como aconteceu com a Jornada Literária de Passo Fundo (RS), cancelada neste ano.

Se por um lado há contenção de gastos, por outro a Flip 2015 fortalece a abordagem de temas ecléticos que caminham em paralelo à literatura e programa mesas que discutem ciência, matemática e psicologia. O teatro está representado pela figura controversa do dramaturgo inglês David Hare. Os quadrinhos pelo cartunista Riad Sattouf, que colaborou durante oito anos com o semanário francês “Charlie Hebdo”.

Principal estrela da Flip, Roberto Saviano cancela participação

Por questões de segurança, governo italiano recomendou que escritor não saísse da Europa

Leia a matéria completa

Homenagem

O homenageado desta edição é o escritor Mário de Andrade, ponta de lança do modernismo brasileiro, autor que afirmou a importância do diálogo dela com o mundo, de acordo com o curador Paulo Werneck. “Somos todos filhos de Mário”, disse, destacando a programação “dedicada, variada e seletiva” que se dará na orbita da obra e figura de Andrade. Algo que deve ficar claro já na mesa de abertura composta pela ensaísta argentina Beatriz Sarlo, a escritora Eliane Robert Moraes e o primeiro biógrafo oficial de Mário, o carioca Eduardo Jardim. Ou ainda na presença de fortes nomes na área de música e crítica musical – tema de estudo do homenageado como o crítico José Ramos Tinhorão, o compositor Hermínio Bello de Carvalho e o pesquisador José Miguel Wisnik.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]