Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Walter Mitty (Ben Stiller): em busca de uma imagem perdida | Divulgação
Walter Mitty (Ben Stiller): em busca de uma imagem perdida| Foto: Divulgação

Cinema

Confira informações deste e de outros filmes no Guia JL.

Faz todo o sentido que a estreia norte-americana de A Vida Secreta de Walter Mitty, que chega neste fim de semana aos cinemas brasileiros, tenha sido, estrategicamente, marcada para o Natal. O filme, dirigido e estrelado por Ben Stiller (de Uma Noite no Museu), é uma daquelas histórias realizadas para fazer com que o espectador saia do cinema acreditando que a felicidade é possível, e está ao alcance de quem se coloca em movimento para buscá-la (veja o serviço completo no Guia Gazeta do Povo).

O protagonista, cujo nome dá título ao longa-metragem, tem muito em comum com grande parte dos papéis que fizeram de Stiller um astro: é um sujeito comum, cuja vida parece estar rumando a lugar nenhum, mas que, de repente, é chamado à aventura e, enfrentados os desafios, se torna um ser humano mais autoconfiante e realizado.

Walter Mitty é funcionário há vários anos da Life, lendária revista de fotojornalismo norte-americana, que está às vésperas de deixar de circular em sua versão impressa, depois de uma mudança de comando que visa ao lucro. Uma última edição irá às bancas e, na capa, trará uma imagem inédita de um importante fotógrafo (Sean Penn, em participação não creditada), conhecido por sua excentricidade.

Como Mitty é o responsável pelo departamento de negativos da publicação, cabe a ele encontrar a misteriosa foto. Acontece que Mitty não a acha em lugar algum, o que pode significar sua demissão imediata caso não tome uma atitude, o que não é um de seus fortes: na verdade, o personagem vive no mundo da lua, imaginando aventuras que só se concretizam dentro de sua cabeça. Sejam elas de natureza romântica ou heroica.

Esses devaneios se materializam na tela, no que parece ser uma grande sacada do filme, mas que acabam se banalizando um tanto, devido à repetição com que acontecem.

Na tentativa de encontrar o negativo desaparecido, e de sair da imobilidade que é seu cotidiano, Mitty inicia uma jornada algo absurda, ao mesmo tempo lírica e engraçada, que atravessa o mundo, passando pela Groenlândia, Islândia e Afeganistão.

Os ótimos efeitos visuais e a bela fotografia hiper-realista de Stuart Dryburgh são trunfos de A Vida Secreta de Walter Mitty, assim como a boa trilha sonora, que inclui David Bowie (usado em uma das melhores cenas do filme), o íbero-sueco Jose González e a banda islandesa Of Monsters and Men.

O ponto fraco é o roteiro, que aposta muito alto em sua inventiva premissa e no carisma de Stiller, mas não consegue dar à trama a consistência dramática que precisava para se tornar o filme catártico que pretende ser. GGG

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]